quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Nelson Jobim: Adeus “Capitão Jojoba” ...














Boa escolha: Celso Amorim será o novo ministro da Defesa

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, que já vai tarde, entregou a carta de demissão à presidente Dilma Rousseff. O encontro entre Jobim e Dilma foi rápido, durou apenas cinco minutos.

Com a saída de Jobim, o ex-chanceler Celso Amorim assumirá a pasta da Defesa, segundo informou o Palácio do Planalto. Amorim já foi convidado para o cargo.

A competência do ousado e nacionalista Celso Amorim repousa na capacidade de reconhecer com rapidez as mudanças no cenário internacional e se adaptar a elas, tendo como foco os interesses do Brasil e da América Latina. Este conhecimento acumulado na diplomacia vai ser muito útil no novo papel que irá desempenhar no comando da Defesa. O Jobim, muito conservador, destoava no novo cenário político latino americano, que é progressista.

110 anos do nascimento de Louis Armstrong




Pelo telefone Dilma disse para o Jobim:


“Ou você pede para sair ou saio com você”

Uma família de Ipatinga, na Região do Vale do Aço, foi acordada com uma vaca no telhado. Foi um susto, mas ninguém se feriu. Segundo os moradores, o animal estava em um lote vago, que fica atrás de uma casa. A vaca se desequilibrou e foi parar bem em cima do telhado. Ainda de acordo com os moradores, por alguns minutos, ela ficou presa na estrutura de madeira antes de cair em cima de um guarda-roupa e de um colchão.

Três pessoas dormiam no quarto que ficou destruído, uma delas, um bebê de apenas quatro meses. O berço fica a poucos centímetros do lugar onde a vaca caiu. O animal chegou a andar por outros cômodos da casa e só saiu depois que a dona de casa abriu a porta da sala e os portões da garagem. O dono do terreno onde o animal estava disse que vai pagar os prejuízos.


Não é a primeira vez que uma vaca provoca um susto destes. Em dezembro do ano passado, um animal caiu em uma falha de um terreno, também em Ipatinga, e ficou presa no telhado. Só saiu de com a ajuda do corpo de bombeiros e de um guincho. (G1)


Dique construído pela COHAPAR evita alagamentos na Vila Zumbi dos Palmares, em Colombo

O trabalho da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) continua na Vila Zumbi dos Palmares, na cidade de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba. Mesmo após a conclusão das moradias, cerca de 2 mil famílias ainda são beneficiadas com ações da Companhia. A estação de bombeamento evitou que a Vila alagasse com as fortes chuvas que caíram em Curitiba e Região Metropolitana de Curitiba no início da semana.

A bomba foi acionada durante 14 horas e evitou que a Vila, que já sofreu muito com os alagamentos, ficasse debaixo d’água. Adair Trajano da Silva é colaborador da Cohapar, mora na Vila, e é o responsável pela bomba. Ele conta que morava na beira do rio antes da intervenção da Cohapar e que perdeu muitas coisas por causa das fortes chuvas. “Cansei de ficar com a água na altura do peito e hoje nem acreditamos que não alagou, quando estava vindo para casa passei por vários locais e estavam cheios de água. Sei bem o que essas pessoas passaram”, disse.

O volume de chuvas no primeiro dia do mês de agosto foi de 81,4 milímetros, sendo que a média de precipitação para o mês inteiro é de 73 milímetros. Em apenas um dia choveu mais do que o esperado para todo o mês.

PROTEÇÃO - O projeto para evitar as enchentes no local contempla galerias de águas pluviais constituídas por coletores, com tubos de concreto, poços de inspeção e bocas de lobo. Também conta com o dique de contenção do Rio Palmital, lagoa artificial, além da estação de bombeamento de água. As bombas da estação impedem que a lagoa formada pelo dique transborde.

Também foi realizada a canalização, em concreto armado, e desvio do rio Santa Mônica, com extensão de 1,1 mil metros. Além disso, todas as ruas são atendidas por rede de galerias de águas pluviais e de esgoto.

O programa de urbanização e regularização fundiária da Vila Zumbi, coordenado pela Cohapar, em parceria com vários órgãos estaduais, retirou 289 famílias de áreas de risco. Elas foram transferidas para sobrados de 40 metros quadrados, dotados de infraestrutura (água tratada, esgoto, energia elétrica, pavimentação). Além disso, o programa regularizou os terrenos de 1.797 famílias, que ocupavam áreas irregularmente a área.


Polícia apreende R$ 12 milhões com funcionários da Receita Federal suspeitos de negociar fiscalizações

A Operação Paraíso Fiscal, deflagrada hoje (4) pela Polícia Federal (PF), levou à apreensão de cerca de R$ 12,2 milhões. O dinheiro foi encontrado nas residências de servidores da Receita Federal que trabalham em Osasco, região metropolitana de São Paulo. Cinco funcionários da Receita foram presos. Um doleiro e o filho e a mulher de um auditor fiscal também foram presos na operação.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), na casa dos servidores foram encontrados R$ 7,8 milhões e US$ 2,8 milhões, além de pedras preciosas. Só na casa do auditor fiscal, os agentes encontraram R$ 2,5 milhões e US$ 2,5 milhões.

Todos os presos são suspeitos de integrar um esquema de venda de fiscalizações, segundo informou a PF. As investigações, que começaram no início do ano, revelaram que a quadrilha lavrava autos de infração com valores menores do que os efetivamente devidos pelos contribuintes. Os presos devem ser denunciados à Justiça pelos crimes de violação de sigilo, corrupção, advocacia administrativa, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. (AB)

Em Curitiba as drogas são responsáveis por 77% dos homicídios

Três em cada quatro assassinatos registrados em Curitiba têm relação direta com as drogas. A constatação é de um levantamento feito pelo serviço de inteligência da Delegacia de Homicídios (DH), com base nos boletins de ocorrência. Das 357 pessoas assassinadas no primeiro semestre deste ano na capital, 274 tinham envolvimento com entorpecentes, seja como usuário ou traficante. Para as autoridades, os números comprovam que as drogas representam o principal problema a ser enfrentado pela segurança pública no estado. As estatísticas apontam que 108 traficantes morreram na guerra pelo tráfico, enquanto 166 usuários foram assassinados: de cada dez homicídios diretamente relacionados às drogas registrados na capital, seis foram de pessoas que apenas faziam uso de entorpecentes. O levantamento aponta que houve pouca oscilação em comparação com o mesmo período do ano passado, quando 74,7% dos homicídios tiveram relação direta com as drogas. O número de usuários assassinados, no entanto, era maior: 71,1%.

“Os números comprovam que as drogas são o principal problema da contemporaneidade e motivador não só de homicídios e de outros tipos de crimes como roubos e furtos, mas responsáveis também por distúrbios sociais, como conflitos familiares e de relacionamentos”, avalia o professor de Sociologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) Lindomar Boneti.

Tragédias pessoais

Embora uma parcela significativa dos usuários de drogas tenha sido assassinada por não ter quitado dívidas com traficantes, a questão não se restringe a este aspecto. A delegada Maritza Haisi, chefe da DH, explica que boa parte dos homicídios envolvendo pessoas que faziam uso de drogas ocorreu porque as vítimas se envolveram em situação de risco por causa dos entorpecentes. “Para conseguir manter o vício, alguns usuários partem para os delitos. Essas situações geram desdobramentos. Os usuários acabam sendo mortos em decorrência destes crimes”, aponta.

Em relação à morte de traficantes, a dinâmica é outra. Segundo o delegado Riad Farhat, da Divisão de Narcóticos (Denarc), os homicídios ocorrem por dois motivos básicos: confronto pelo controle de pontos de drogas ou por desacerto entre os criminosos. “Para comprar grandes quantidades de entorpecentes, os traficantes se organizam em uma espécie de consórcio. Na partilha da droga, não é raro ocorrer desentendimentos, que acabam gerando conflitos internos e integrantes de um mesmo grupo acabam se matando”, explica.

Outra característica mencionada pelas autoridades é que os homicídios vinculados aos entorpecentes, em geral, estão relacionados uns aos outros. O delegado Jaime da Luz, responsável por investigar mortes ocorridas em bairros como Uberaba e Cajuru, aponta que os “personagens” dos crimes costumam se repetir com frequência. “Uma pessoa mencionada como testemunha em um inquérito aparece como suspeita de homicídio em outro caso. Há muitos crimes interligados.”

Para o delegado Rubens Recalcatti, responsável pelo grupo Homicídios Não Resolvidos (Honre), que investiga casos anteriores a 2008, o alto índice de mortes relacionadas às drogas não é um fenômeno recente. “Nos antigos, percebemos que o porcentual é muito parecido com os atuais”, avalia. Policial há 31 anos e delegado há 16, Recalcatti observa que os entorpecentes sempre tiveram impacto direto na segurança pública, mas ressalva que o problema se agravou consideravelmente nos últimos dez anos. “O Estado negligenciou seu papel. O resultado é este. Infelizmente”, lamenta. (GP)

O secretário da Fazenda do Paraná, Luiz C. Hauly, enviou ofício ao MP pedindo a responsabilização de ex-gestores da Secretaria do Trabalho

O secretário da Fazenda do Paraná, Luiz Carlos Hauly, enviou ofício ao Ministério Público pedindo a responsabilização de ex-gestores da Secretaria do Emprego, Trabalho e Promoção Social em função do enorme prejuízo causado aos cofres públicos pela contratação da empresa Orbral, que tem sede no município de Caucaia, no Ceará.

A Secretaria da Fazenda já pagou exatos R$ 1.374.374,28 em dívidas trabalhistas deixadas pela empresa e terá de pagar outros R$ 9 milhões como multa imposta pelo Tribunal de Contas da União (TCU), por má gestão. A condenação se refere ao ano de 2003, quando o secretário era o padre Roque (PT).

No governo anterior, a secretaria terceirizou serviços à Orbral. Nos anos em que a empresa atuou no Paraná, houve queixas trabalhistas em várias ocasiões, incluindo a falta de pagamento de salários aos funcionários e não-recolhimento do FGTS. Depois de uma série de denúncias, em novembro de 2007, a empresa abandonou as funções, deixando para trás 180 desempregados e descumprindo contrato com o governo.

Até o momento, a Justiça do Trabalho enviou à Secretaria da Fazenda decisões para o pagamento de 151 reclamações trabalhistas que tiveram ganho de causa contra a Orbral. No total, as ações concluídas pela justiça somam R$ 1.561.302,50. Como a empresa desapareceu, o tesouro estadual é obrigado a pagar as dívidas, porque era responsável pela contratação da empresa.

Reincidente - Em maio de 2009, o Tribunal de Contas da União (TCU) condenou a mesma Secretaria do Trabalho a pagar R$ 17.812.403,10, valor da época, por irregularidade na aplicação de recursos recebidos do Ministério do Trabalho.

O então secretário teria contratado 195 funcionários terceirizados da empresa Rosch Administradora de Serviços de Informática Ltda, para a área de digitação nas agências do trabalhador dos municípios.

O TCU identificou que 88 terceirizados trabalhavam em outras áreas. O pessoal fornecido pela Rosch era superior ao necessário para suprir o serviço e, portanto, os funcionários excedentes executavam outras funções. Além do que a empresa não recolheu o FGTS e outros encargos sociais dos trabalhadores.


Paraná: Mais de 880 mil crianças devem ser vacinadas contra o sarampo

A campanha de vacinação contra o sarampo começa no dia 13 de agosto e vai até 16 de setembro. A meta da Secretaria Estadual de Saúde é imunizar 95% da população com idade entre um e seis anos. A vacina também protege contra a rubéola e a caxumba. Segundo o superintendente de vigilância em saúde do estado, Sezifredo Paz, as crianças que já foram imunizadas devem tomar uma nova dose. Ele ressalta a importância de se proteger do sarampo, já que a doença pode levar a morte.

O Sarampo é uma doença viral e é uma infecção do sistema respiratório causada por um paramixovírus do gênero Morbillivirus. É altamente contagiosa e afeta principalmente crianças. É transmitida através de gotículas expelidas pelo nariz, boca ou garganta de pessoas infectadas. Os sintomas iniciais, que geralmente aparecem 8-12 dias após a infecção, incluem febre alta, coriza, olhos vermelhos, e pequenas manchas brancas na parte interna da boca. Vários dias depois, uma erupção se desenvolve, geralmente começando no pescoço e na face e gradualmente se espalhando pelo corpo.

A maioria das pessoas se recuperam mesmo sem tratamento dentro de 2-3 semanas. Contudo, principalmente as crianças desnutridas e pessoas com imunidade reduzida, o sarampo pode causar complicações sérias, incluindo dor de cabeça ,cegueira, grave, infecção do ouvido e pneumonia.


Manifestação em SP pede mais rigor na aplicação da Lei Maria da Penha

Cerca de 150 pessoas ligadas a movimentos de defesa dos direitos das mulheres participaram, no início da tarde, de um protesto em frente ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) para pedir a criação de mais juizados especializados em violência doméstica e mais rigor na aplicação da Lei Maria da Penha, que criminaliza esse tipo de violência. As mais de 20 entidades que organizaram a manifestação escolheram a data em função do aniversário da lei, que completa cinco anos no próximo domingo (7).

“São Paulo é a maior cidade do país, com mais de 11 milhões de pessoas, e temos apenas um Juizado de Violência Doméstica que, além não ser suficiente para atender a demanda, não está constituído de acordo com a lei. Atende apenas a questões criminais e não presta os serviços de assistência psicossocial que a lei prevê”, explicou Amelinha Teles, militante de direitos humanos e coordenadora das Promotoras Legais Populares.

Na manifestação, parentes de vítimas de violência doméstica usaram o microfone para relatar as próprias experiências e ressaltar a importância da participação do Estado nessa causa. “Em São Paulo, apenas a Delegacia da Mulher do centro funciona 24 horas, as demais trabalham de segunda à sexta, até as 17h. Uma mulher agredida fora desse horário e que more longe do centro não tem a quem recorrer, pois as delegacias tradicionais não atendem a esse tipo de caso”, reclamou Maria Iraneide de Matos, militante do Promotoras Legais Populares. No protesto, correu um abaixo assinado que pede que todas as delegacias de atendimento à mulher fiquem abertas 24 horas.

Clara Charf, presidente da Associação Mulheres pela Paz, espera que a Justiça seja mais ágil no trato dos casos de violência doméstica e mais rigorosa com os agressores. “Não podemos aceitar a violência e temos os direitos garantidos por lei. Estamos aqui para exigir que o Judiciário faça o que tem que fazer e não deixe mais mulheres serem assassinadas”. (AB)

Receita libera na segunda-feira consulta ao terceiro lote do IR


A Receita Federal libera na segunda-feira (8) a consulta ao terceiro lote de declarações do Imposto de Renda Pessoa Física 2011. Será liberada também a consulta a lotes residuais das declarações de 2008, 2009 e 2010. Para saber se foi incluído em um dos lotes, o contribuinte deve acessar a página da Receita nainternet, no endereço www.receita.fazenda.gov.br ou telefonar para o número 146. O dinheiro estará disponível no dia 15, na conta informada pelo contribuinte.

Estão previstos ainda mais quatro lotes regulares até o final do ano. O último deverá ter a consulta liberada na segunda semana de dezembro.

Em 2011, a Receita Federal registrou a entrega de aproximadamente 24,370 milhões de declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2011, ano-base 2010.

A Receita lembra que caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá ir a qualquer agência do Banco do Brasil (BB) ou ligar para a Central de Atendimento do BB – cujos telefones são 4004-0001 (capitais), 0800 729 0001 (demais localidades) e 0800 729 0088 (deficientes auditivos) – a fim de agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Vereador do PMDB ligado a Força Sindical tem o mandato cassado por suposta cabeçada em colega

O vereador Nelson Silva de Souza (PMDB) de Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, teve o mandato cassado nesta quarta-feira (3) por quebra de decoro parlamentar. Nelsão, como é conhecido no município, é acusado de agredir um colega vereador dentro do plenário da Câmara com uma cabeçada.


A agressão contra o vereador Wilson Andrade (PSB) teria ocorrido no dia 21 de março após o encerramento de sessão plenária. O Partido Socialista Brasileiro ofereceu denúncia contra o peemedebista. “Nelsão ao observar que o vereador conversava com um de seus assessores, que se encontrava no espaço reservado para a platéia, inesperadamente, de forma agressiva e audaciosa, dirigiu-se contra este parlamentar, percorrendo aproximadamente 10 metros, até agredi-lo de forma violenta e covarde com uma cabeçada no rosto”, sustentouo partido na denúncia.

A comissão processante, formada para investigar a denúncia, apresentou um parecer favorável à cassação do mandato do parlamentar. Os vereadores Jorge Julio (PSB) e o presidente da Câmara, vereador Josley Andrade (PSC), votaram favoravelmente ao parecer. Já o terceiro integrante da comissão, o vereador Sérgio Schmidt (PDT) apresentou um parecer em separado pela não cassação.

Dos onze vereadores de Campo Largo, nove participaram da sessão desta quarta-feira. Em votação secreta, sete foram favoráveis a cassação do mandato e dois contrários. Os envolvidos, Nelsão e Wilson, não puderam votar.

“Ele teve todo direito de defesa, o advogado dele falou por mais de duas horas na sessão de hoje. Todo o processo correu dentro da legalidade”, afirmou o presidente. O esquema de segurança da Câmara foi reforçado, pois favoráveis ao vereador fizeram uma manifestação em frente a Câmara com faixas e cartazes. Segundo o presidente da Casa, não houve tumulto.

Nelsão nega que tenha agredido o colega e afirma que a perda do mandato é resultado de perseguição em razão de uma série de denúncias que ele vinha fazendo na Câmara. “Tudo isso foi para calar a minha boca. É claro que estou triste, mas estou de cabeça erguida”, disse.

O presidente da Câmara explicou que a vaga de Nelsão deve ser ocupada pelo suplente do PMDB. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Airton Roberto Vaz da Silva é o suplente do partido com o maior número de votos. O vereador cassado ainda pode recorrer da decisão. (GP)


Depois de dois dias sem chover, estradas do PR ainda seguem com bloqueios

Beto Richa inspeciona os estragos causados pela chuva na ponte sobre o Rio Ribeira

Depois de dois dias inteiros sem registro de chuva, ruas rodovias federais e duas estaduais seguem com bloqueios ou pontos de risco no Paraná, reflexo das fortes chuvas que caíram no estado entre a sexta-feira (29) e a segunda-feira (1). Nesta quinta-feira (4), a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) liberou o trecho da PR-160, no quilômetro 380, entre a BR-277 e Prudentópolis, que havia sido alagado na quarta-feira (3).

No entanto, a PR-092, no trecho entre Cerro Azul e Doutor Ulysses, segue bloqueada por conta da destruição da ponte sobre o Rio Ribeira. O acesso ao município de Doutor Ulysses deve ser feito por Jaguariaíva. O trânsito também segue impedido na PR-554, no trecho entre São Jorge do Ivaí e Doutor Camargo, na região Norte, porque a ponte sobre o Rio Andirá está submersa.

Nas rodovias federais, a BR-116, no quilômetro 03, perto da divisa do Paraná com São Paulo, permanece em meia-pista. A cabeceira da ponte que passa pelo trecho foi danificada pelas chuvas. Além disso, há risco de queda de barreira na BR-376, próximo ao quilômetro 668, na região de Guaratuba, mas o trânsito flui normalmente no local.

Balanço

Em todo o Paraná, 150.793 pessoas foram afetadas pelas chuvas, de acordo com balanço divulgado às 8 horas desta quinta-feira (4) pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. O número de cidades atingidas permanece em 29. Ao todo, 4.090 casas foram danificadas e outras 19 completamente destruídas em todo o Paraná. As chuvas também deixaram 2.878 desalojados e 256 desabrigados nos municípios atingidos. Segundo o órgão, nenhum município decretou situação de emergência ou calamidade pública.

Um dos municípios mais atingidos pelas chuvas é Cerro Azul, na região metropolitana de Curitiba. Nesta quinta-feira (4), equipes da defesa civil, corpo de bombeiros e prefeitura faziam um levantamento dos estragos causados pelas chuvas na cidade. A expectativa da defesa civil do município é de que até a sexta-feira (5), a balsa que fará a ligação na cidade, substituindo emergencialmente a ponte que caiu sobre o Rio Ribeira, esteja operando. (GP)

Paraná deve enfrentar frio intenso também durante o fim de semana

A massa de ar frio e seco que está atuando sobre oParaná baixou ainda mais as temperaturas nesta quinta-feira (4). Algumas cidades registraram temperaturas negativas e houve ocorrência de geadas em diversas localidades do estado, especialmente no Centro-Sul. De acordo com o Instituto Tecnológico Simepar, a tendência é de que o frio continue rigoroso no estado até o fim de semana, já que haverá estabilidade atmosférica.

As cidades que registraram as mínimas mais baixas foram Palmas, no Centro-Sul, e Palotina, no Oeste, com -1,1°C. As outras localidades em que as estações meteorológicas do Simepar registraram temperaturas abaixo de zero foramCampo Mourão (-0,8°C), Jaguariaíva (-0,8° C),Entre Rios (-0,6°C), Ponta Grossa(-0,5°C), Telêmaco Borba (-0,5°C), Cândido de Abreu (-0,1°C) e Toledo (-0,1°C). Em Curitiba, a mínima registrada foi de 3°C. No entanto, moradores de muitas cidades tiveram uma sensação de frio maior por causa dos ventos, que deslocam o ar gelado.

Mesmo com o frio, a possibilidade de nevar no Paraná é remota, já que não há umidade suficiente para a ocorrência do fenômeno. No entanto, casos de geada devem ocorrer até o próximo sábado (6), porém mais restritos aos setores centro, sul e leste do estado. Nesta quinta-feira (4), houve registro de geada emCampo Largo, na região metropolitana, Palotina, no Oeste, e Guarapuava, na região central. Em Curitiba, a sexta-feira (5) deve ser gelada, com temperaturas entre 1° C e 15° C. No fim de semana, a temperatura aumenta e deve ficar entre 8° C e 20° C na capital.

PRESTES AO QUE TUDO INDICA A SER DEFENESTRADO DO GOVERNO JOBIM CHUTA O BALDE E ATACA O "CLUBE DA LULUZINHA"

Em reportagem da revista Piauí desta semana, nas bancas a partir de sexta feira, o ministro da Defesa ao se referir às negociações sobre o sigilo eterno de documentos, atira no "Clube da Luluzinha, núcleo duro do governo de Dilma Rousseff, dizendo: "É muita trapalhada".

"A Ideli é muito fraquinha. Já Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, nem sequer conhece Brasília".

Collor e Romero Jucá: irmão não se escolhe ...


Irmão não se escolhe, nós temos!!!

O Oscar Jucá Neto é o novo Pedro Collor?

Oscar Jucá Neto, ex-diretor financeiro da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), deixou o cargo dando tiros para todos os lados.

O ministro Wagner Rossi em depoimento na Câmara negou as acusações de Jucá Neto e centrou suas declarações em destacar que foi o ex-diretor quem cometeu irregularidades.

Jucá Neto havia sido exonerado depois que a revista “Veja” revelou que ele havia autorizado um pagamento de R$ 8 milhões a uma empresa fantasma, que já foi ligada à sua família e tem como sócios dois laranjas, sendo um que é pedreiro e o outro é um vendedor de carros.

Demitido Jucá Neto denunciou que o esquema de desvio de recursos públicos na Conab é comandado pessoalmente pelo ministro Wagner Rossi e que o esquema envolve o PMDB e o PTB no controle do ministério.

Entre as denúncias Jucá citou o acerto com a Caramuru Alimentos para postergar o pagamento de uma dívida em troca de recebimento de propina. E o senador Gim Argello (PTB-DF) foi acusado por ele como sendo o homem forte na venda de terrenos da Conab abaixo do preço de mercado.

Reagindo as denúncias o ministro Rossi foi à Comissão de Agricultura da Câmara e acusou Jucá Neto de querer tornar sua demissão num ato político: “Ele tenta transformar um caso estritamente administrativo, em que ele foi pego em infração gravíssima, ele quis transformar em caso político. Agredindo a todos, seus colegas de trabalho na Conab e inclusive esse ministro que aqui está” . O ministro alegou que o Jucá Neto "saiu da Conab depois que utilizou verba carimbada destinada apenas à compra de estoque regulador para fazer pagamento a uma empresa".

Descontrolado e com muita raiva na entrevista Jucá Neto disse: "na Conab “só tem bandido”.

Fora o caso da empresa Caramuru Jucá Neto denunciou a venda em janeiro deste ano de um terreno da Conab em Brasília. Este foi leiloado por R$ 8 milhões, mas segundo ele valeria muito mais, e o comprador é vizinho do senador Gim Argelo do PTB. Será que é coincidência? Ele também disse: "por que alguém iria majorar o valor de uma dívidapara beneficiar uma empresa?”.

Na entrevista, O Jucá, que é irmão do senador Romero Jucá (PMDB) , líder do governo, também afirmou que Rossi foi nomeado ministro por indicação direta do vice-presidente Michel Temer, vice-presidente e ex-presidente do PMDB. E acrescentou que, "no ministério, Rossi faz o que Temer manda" , como também disse “Deve proporcionar ao vice-presidente muita coisa boa que eu com certeza não proporcionaria”.

A demissão de Jucá Neto provocou uma séria discussão entre Temer e o irmão dele, senador Romero Jucá (PMDB-RR). O "cuidadoso' Temer não polemizou muito para não aumentar ainda mais o escândalo. A assessoria do vice-presidente informou que ele não iria comentar as acusações e que as explicações seriam dadas pelo ministro da Agricultura, conforme está acontecendo. Ou seja, Temer correu da briga e dos holofotes da imprensa.

Com toda certeza, Jucá Neto tem mais munição na algibeira. Se decidir enfrentar Rossi em campo aberto, ninguém pode prever aonde essa contenda vai parar. Seria Jucá Neto um novo Pedro Collor? Esta é a grande dúvida do momento político.



 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | belt buckles