terça-feira, 27 de agosto de 2013

O pedófilo "coroné" Eduardo Gaievski, violador de "cabritinhas", parece com os amorais personagens dos livros de Jorge Amado



Estou enojado com a história de pedofilia envolvendo o poderoso Eduardo Gaievski, ex-prefeito de Realeza e ex-cargo comissionado no quarto andar do Palácio do Planalto, andar de onde despacham as principais autoridades da República.

Fico a refletir sobre o fato deste país não mudar, de ver que a senzala é a mesma, e nela os filhos dos humildes continuam sendo vistos como mercadorias a bel prazer dos membros  da  elite, até de seus caprichos sexuais.

Neste país de moral feudal nos rincões soa como normal os velhos “coronés” correrem atrás das “cabritinhas”, coisa de livro do Jorge Amado retratando os amorais pedófilos tarados do passado, que em nada se diferenciam dos de hoje, que no poder continuam a ver o povo como se fosse gado, e eles continuam se se sentindo donos de gado e gente.

O “coroné” de Realeza, como consequência de seus atos, gerou o processo que traz 38 fatos com 23 vítimas. Com 17 meninas os crimes de abuso de incapaz teriam acontecido mais de uma vez.

Segundo a mídia ele está sendo processado por vários atos criminosos, entre eles por abuso de incapazes, como por ameaça e coação de vítimas e testemunhas, pois o acusado de pedofilia insistiu para que os depoimentos tivessem outras versões.

 Outro fato que já foi apontado pelas testemunhas é o de incentivo a prostituição de menores, já que ele pagava pelos atos sexuais com dinheiro, e até com cargos na Prefeitura.

Para qualquer um ser nomeado para os cargos federais a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), investiga profundamente a vida dos que estão para assumir funções de grande responsabilidade. Então a vida do Eduardo Gaievski, nomeado como assessor especial da pasta na Casa Civil, dirigida pela ministra Gleisi, foi anteriormente devassada, e assim com certeza quem o nomeou sabia muito bem quem estava contratando.

Mesmo que a ABIN não tivesse detectado os atos criminosos deste tarado, coisa impossível de ocorrer, o fato de que ele estava sendo processado era público, e com certeza o comando de seu partido tinha consciência do risco que este representava para a sociedade, para o governo e o próprio partido.

 Os crimes foram cometidos em uma cidade pequena, onde todos sabem de tudo, os que comandam o partido em Realeza sabiam disto, como com certeza a direção estadual, da qual a ministra Gleisi, que já foi presidente da agremiação,  faz parte também. A cidade só possui 16 mil habitantes.

Como o “coroné” é bom de voto, e a nova eleição para o governo se aproxima, o fato de ele ter seduzido e violentado menores incapazes se tornou "coisa secundária". 

Os que o nomearam agora juntamente terão de arcar com as consequências deste sujo oportunismo eleitoreiro, Não adiantando após o escândalo ter ido se esconder, mesmo que seja na China.

Ficamos na espera que ele seja condenado, e que dentro da cadeia a “justiça dos presos” também seja feita.
 

Os duques 14 ansiosamente o esperam!!!

Como deselitizar os cursos de Medicina? Eis a questão!!!

A maioria dos caros cursos são destinados a elite.

Com os preços cobrados pelas Universidades não dá para o povo passar nem pela porta de entrada.

Com certeza a maioria destes bem nascidos depois de formada não irá se sujeitar a ir fazer um trabalho de cunho missionário nacional e popular nos interiores desse país continente.


Se levarmos em conta que os cursos privados de Medicina recebem verbas estatais, dinheiro suado dos impostos pagos pela população, em sua maioria composta por pobres e miseráveis, o cinismo do discurso corporativista da parte da classe médica querendo impedir a entrada dos estrangeiros 
fica ainda mais cruel, desumano.

Valores das Mensalidades dos Cursos de Medicina Privados:

http://www.escolasmedicas.com.br/mensal.php

Pedofilia é Crime!!! Eduardo Gaievski continua foragido!

PROCURADO!


Assessor da Casa Civil acusado de estupro segue foragido. Vítimas afirmam que foram ameaçadas durante o processo



O assessor da Casa Civil da Presidência da República acusado de estupro ainda não foi encontrado pela polícia. O mandado de prisão preventiva de Eduardo Gaievski (PT), que é ex-prefeito de Realeza, no Sudoeste do Paraná, e foi convidado pela ministra Gleisi Hoffmann para trabalhar em Brasília, foi expedido pelo Tribunal de Justiça do Paraná na semana passada. Ele foi afastado do cargo depois de uma reportagem da Revista Veja divulgando o caso. De acordo com o mandado de prisão, Gaievski é procurado por estupro de vulnerável. O processo, que corre em segredo de justiça, traz 38 fatos com 23 vítimas. Com 17 meninas os crimes aconteceram mais de uma vez. Uma das garotas, identificada como A.F., que na época tinha 14 anos, falou em depoimento que Gaievski pagava até R$ 200 e oferecia emprego na prefeitura em troca de sexo.Eduardo Gaievski PT GLEISI mandado
O conteúdo foi cedido pela Band TV de Curitiba “As meninas saíam sempre, desde mais novas que eu. Depois ele começou a ameaçar, que se alguém ‘abrisse a boca’ poderia acontecer alguma coisa. Eu nunca mais saí”, diz A.F. De acordo com a vítima, quando o ex-prefeito descobriu que o processo estava sendo feito, ele ameaçou ainda mais as meninas. “Eu prometi que não ia falar nada. Ele ameaçou e falou que se a gente não saísse desse processo ia acabar acontecendo ‘alguma coisa’. Depois que arquivou o caso, ele nunca mais me procurou. Eu penso que o que aconteceu comigo pode estar acontecendo com qualquer menina agora”.
O assessor da Casa Civil foi prefeito de Realeza entre 2005 e 2012. Em Brasília, ele coordenava programas sociais, como o combate ao crack. Na reportagem da revista, ele nega as acusações e atribuiu a denúncia a uma retaliação de promotores do Estado por causa da atuação na prefeitura. Ele não foi encontrado pela rádio BandNews.
PREFEITURA DE REALEZA
Prefeitura de Realeza (PR)

Só bons médicos sanitaristas não basta!!!


É importante para a população ter acesso a Saúde, mesmo que de forma precária.

Bons médicos sanitaristas, e os cubanos, espanhóis, portugueses, etc. o são, não é tudo. É importante questionar a precariedade de condições de trabalho que estes profissionais irão enfrentar.


Estes profissionais que chegam tem de ter estruturas de apoio,  terem equipes a disposição (atendente, enfermeira, etc.), como estrutura física, no caso um posto bem equipado (mini centro cirúrgico, laboratório, farmácia bem suprida, ambulância com motorista, etc.).

O sistema de saúde tem de ser repensado do ponto de vista estratégico: universalização,mais investimentos, melhor aplicação dos recursos, maior transparência, maior fiscalização por parte e do poder central nos recursos aplicados, maior envolvimento das comunidades com a participação popular no controle dos equipamentos públicos, etc..

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | belt buckles