quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Charge da Nani


Estoque de medicamentos de alto custo está regularizado

O secretário da Saúde, Michele Caputo Neto, encaminhou ofício à Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Paraná relatando que não há desabastecimento na farmácia especial do Estado e que a distribuição de medicamentos de alto custo está regularizada.

Caputo Neto foi representado na reunião da comissão, nesta terça-feira (9), pela diretora do Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), Deise Pantarolli. Segundo ela, a secretaria trabalha hoje com estoques estratégicos e os problemas enfrentados no início do ano estão solucionados. O empenho do governo para resolver a situação foi reconhecido pela promotora Luciana Duda, do Ministério Público da Saúde. “O que temos visto é um comprometimento do gestor em resolver os problemas, nunca se negando a responder a este Ministério Público”, disse a promotora.

A reunião foi solicitada pelo presidente da comissão, deputado Tadeu Veneri, e contou também com a presença dos professores Suzana França e Luiz de Lacerda Filho, do setor de pediatria e endocrinologia da Universidade Federal do Paraná (FPR), e da promotora Luciana Duda, do Ministério Público da Saúde.

Os profissionais da UFPR são responsáveis pelo atendimento de muitos dos pacientes que utilizam os hormônios de crescimento (somatropina) e de alguns análogos de insulina, medicamentos de alto custo que só são receitados seguindo protocolos do Ministério da Saúde. “Os eventuais problemas com a distribuição da somatropina não causaram danos aos pacientes e podemos dizer que o programa funciona muito bem”, disse Suzana França, ao relatar que o atraso na entrega desses remédios no mês de maio foi administrado de forma a não prejudicar os pacientes.

O mesmo aconteceu com os análogos de insulinas, que são indicados para diabéticos tipo 1 que não respondem aos tratamentos convencionais. “Orientamos esses pacientes para substituir os análogos por um curto período de tempo até que a distribuição estivesse regularizada”, afirmou. Segundo Lacerda Filho, a UFPR atende cerca de 25 mil pacientes por ano e todos os casos em que há indicação de medicamentos de alto custo são discutidos em câmara técnica – e só são prescritos a partir de uma análise científica.

Pantarolli relatou aos deputados que o Cemepar gerencia 1.500 itens, entre medicamentos do componente básico, estratégico, especializado e da assistência farmacêutica, além dos programas especiais da Secretaria da Saúde (Sesa), como os análogos de insulina, medicamentos para os hospitais próprios, entre outros.

“Desse total, 157 medicamentos são do componente especializado (alto custo), que se destinam a doenças específicas com protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde”, disse. “A falta de estoques estratégicos deixados pelo governo anterior e de processos de compra organizados causaram desabastecimentos momentâneos que exigiram o fracionamento de alguns itens da farmácia especial. Hoje, no entanto, tudo está regularizado”, justificou.

Segundo ela, 21 atas de registro de preços realizadas em 2010 não foram homologadas pelo governo anterior. A isso somou-se a dificuldade de estabelecer novos processos de compra antes da abertura do orçamento do Estado, o que aconteceu no fim de fevereiro.

RESPOSTA – A promotora Luciana Duda disse que 80% das demandas do Ministério Público da Saúde se referem a medicamentos e que em maio protocolou ofício junto à Sesa solicitando informações sobre o problema – que foi respondido pontualmente pelo secretário com as planilhas de todos os medicamentos da farmácia especial, processos de compras e pendências de entregas de fornecedores.

Segundo ela, as demandas dessa área aumentaram muito a partir do decreto 284/2007, que condicionava a compra de todos os medicamentos à autorização do governador. Já em janeiro deste ano, o decreto nº 343/2011, do governador Beto Richa, autorizou que as compras até R$ 100 mil fossem feitas pelo secretário da Saúde.

No dia 2 de maio, o decreto nº 1198 ampliou essa autorização para R$ 500 mil, o que está agilizando os processos de compra para evitar definitivamente o desabastecimento. Alguns processos continuam sendo conduzidos pela Casa Civil, pelo grande volume de recursos envolvidos, mas já estão planejados de forma a manter os estoques estratégicos.

O presidente da comissão, Tadeu Veneri, surpreendeu-se com o número de pacientes cadastrados na farmácia especial, que chega a quase 82 mil pessoas em todo o Estado, sendo mais de 24 mil pessoas somente na Região Metropolitana de Curitiba.

O diretor da 2ª regional de Saúde, Matheus Chomatas, disse que a secretaria estuda um novo endereço para a farmácia especial, reconhecendo a falta de um espaço adequado para atendimento da população, que cresceu muito nos últimos anos. Chomatas também relatou que o Governo do Estado contratou na última semana 108 farmacêuticos e bioquímicos para atuar preferencialmente nas farmácias especiais do estado, e que está em estudo inclusive um espaço destinado para atender e ensinar pais e responsáveis a aplicar os medicamentos ou até mesmo para que a administração deles possa ser feita na farmácia especial, quando for o caso.

Ao fim da reunião os deputados agradeceram a presença e os esclarecimentos prestados pela Sesa e, atendendo a demanda dos pais presentes, solicitaram que seja estudada uma forma de comunicação aos pacientes cadastrados para receber medicamentos da farmácia especial de forma a se evitar filas e idas desnecessárias à farmácia, alternativa essa que já está em estudo na secretaria. (AEN
)

Querem restringir radicalmente a liberdade da internet no Brasil, assine contra!

Atualização: 9 agosto 2011
A pressão está funcionando! A pressão popular fez a Câmara adiar a votação. Um Seminário na Câmara para debater o projeto de lei está marcado para o dia 24 de agosto, onde entregaremos a nossa mensagem diretamente para os deputados. Vamos duplicar o nosso chamado antes da entrega!
Postado: 1 agosto 2011
Na semana que vem, o Congresso poderá votar um projeto de lei que restringiria radicalmente a liberdade da internet no Brasil, criminalizando atividades on-line cotidianas tais como compartilhar músicas e restringir práticas essenciais para blogs. Temos apenas seis dias para barrar a votação.

A pressão da opinião pública derrotou um ataque contra a liberdade da internet em 2009 e nós podemos fazer isso de novo! O projeto de lei tramita neste momento em três comissões da Câmara dos Deputados e esses políticos estão observando atentamente a reação da opinião pública nos dias que antecedem à grande votação. Agora é nossa chance de lançar um protesto nacional e forçá-los a proteger as liberdades da internet.

O Brasil tem mais de 75 milhões de internautas e se nos unirmos nossas vozes poderão ser ensurdecedoras. Envie uma mensagem agora mesmo às lideranças das comissões de Constituição e Justiça, Ciência e Tecnologia e Segurança Pública e depois divulgue a campanha entre seus amigos e familiares em todo o Brasil!

Assine o abaixo assinado:

Querem restringir radicalmente a liberdade da internet no Brasil, assine contra!

Atualização: 9 agosto 2011
A pressão está funcionando! A pressão popular fez a Câmara adiar a votação. Um Seminário na Câmara para debater o projeto de lei está marcado para o dia 24 de agosto, onde entregaremos a nossa mensagem diretamente para os deputados. Vamos duplicar o nosso chamado antes da entrega!
Postado: 1 agosto 2011
Na semana que vem, o Congresso poderá votar um projeto de lei que restringiria radicalmente a liberdade da internet no Brasil, criminalizando atividades on-line cotidianas tais como compartilhar músicas e restringir práticas essenciais para blogs. Temos apenas seis dias para barrar a votação.

A pressão da opinião pública derrotou um ataque contra a liberdade da internet em 2009 e nós podemos fazer isso de novo! O projeto de lei tramita neste momento em três comissões da Câmara dos Deputados e esses políticos estão observando atentamente a reação da opinião pública nos dias que antecedem à grande votação. Agora é nossa chance de lançar um protesto nacional e forçá-los a proteger as liberdades da internet.

O Brasil tem mais de 75 milhões de internautas e se nos unirmos nossas vozes poderão ser ensurdecedoras. Envie uma mensagem agora mesmo às lideranças das comissões de Constituição e Justiça, Ciência e Tecnologia e Segurança Pública e depois divulgue a campanha entre seus amigos e familiares em todo o Brasil!

Assine o abaixo assinado:

Vanhoni negocia aliança com PR de Carlos Simões

O deputado Angelo Vanhoni, um dos pré-candidatos do PT à prefeitura de Curitiba, se reuniu com o ex-deputado Carlos Simões, que preside o PR em Curitiba, e a aliança entre os dois partidos já está praticamente selada.
A aliança entre os dois partidos também está sendo negociada em Brasília. A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, já conversou com o presidente do PR paranaense, o deputado federal Fernando Giacobo.
Carlos Simões, que já resgatou seus direitos políticos, é um eventual nome para integrar a chapa como candidato a vice. (Blog da Roseli)


DEPOIS DAS PRISÕES BLAIRO MAGGI NÃO QUER TRATAMENTO IGUAL AO DADO PELO GOVERNO DILMA AO PMDB

As prisões no Ministério do Turismo são o assunto do plenário do Senado e viraram motivo de piada para Roberto Requião. Ao encontrar Blairo Maggi, o peemedebista quis saber:


- E aí, Blairo, ainda quer tratamento igual do Planalto?

Entre gargalhadas, o senador do PR devolveu:

- Eu disse que queria tratamento igual, mas não precisavam exagerar. (Radar)


FELICIDADE: Adolescentes são encontradas em casa no Uberaba

As duas adolescentes que estavam desaparecidas desde segunda-feira (8) foram encontradas na noite desta terça-feira (9). Segundo as primeiras informações da Delegacia de Vigilâncias e Capturas (DVC), Rafaela Teixeira, de 13 anos, e Emily da Silva Oliveira, de 12 anos, foram localizadas em uma casa no bairro Uberaba, em Curitiba. As duas estão bem.

De acordo com o delegado Marcelo Lemos de Oliveira, da Delegacia de Vigilâncias e Capturas (DVC), as jovens faltaram às aulas e passaram a tarde em um shopping. De lá, elas seguiram para a casa de uma amiga, no Centenário. “Depois de um tempo na casa desta colega, as duas saíram, dizendo que iam ao Terminal Capão Raso. Elas chegaram a deixar as mochilas na casa desta amiga”, contou o delegado.

As duas adolescentes moram no Cristo Rei e estudam na Escola Estadual Professor Elias Abraão, que fica no mesmo bairro. De acordo com a irmã de Rafaela, Luana Wisniewski Teixeira, as meninas não levaram documentos nem roupas. “Minha irmã é muito fechada e estava descontente porque ela estava de castigo, sem internet”, contou Luana.

Um vigilante do Terminal do Centenário foi o último a ver as jovens antes de elas sumirem. Ele disse que não notou nada de estranho, porque elas conversavam normalmente com alguns garotos.

As famílias das meninas fizeram contato com todos os colegas de classe das jovens. Por mídias sociais, os familiares se mobilizaram, divulgando informações sobre o desaparecimento e sobre as meninas.

Cohapar e Caixa Econômica reafirmam parceria

O presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Mounir Chaowiche, recebeu o vice-presidente de governo da Caixa Econômica Federal, José Urbano Duarte, para discutir sobre as parcerias entre os governos Estadual e Federal. “A Caixa é a maior parceira do Estado nas questões habitacionais e queremos estudar como ampliar ainda mais estes laços. Esta reunião demonstra a sintonia que existe entre nós para o desenvolvimento de parcerias que levem moradia digna aos paranaenses”, disse Chaowiche.

O presidente da Cohapar apresentou um panorama geral da empresa e mostrou a evolução no andamento das obras. “Até o fim do ano passado nossas obras andavam num ritmo muito lento, cerca de 1,5% ao mês e agora estamos atingindo média de 8%, sendo que alguns canteiros ultrapassam a iniciativa privada”, afirmou.

Chaowiche disse ainda que o principal objetivo do governo do Estado é oferecer casas de qualidade e a preços acessíveis. “Para que o resgate social aconteça precisamos atender as famílias de forma rápida, eficaz e com qualidade, sempre pensando naquelas de menor renda que são as que mais precisam do poder público”.

Para o vice-presidente da Caixa, é importante conversar com os parceiros e estudar novas iniciativas. “Vamos buscar sempre novas possibilidades para que possamos construir cada vez mais, sempre juntos, oferecendo qualidade, potencializando recursos e atendendo mais famílias”, destacou.

“A parceria com a Cohapar e o governo do Paraná são importantes para a Caixa, pois temos o mesmo objetivo, que é atender a população de baixa renda, promovendo uma mudança social no País”, completou Urbano Duarte.

Benefícios – O governo do Paraná oferece vários benefícios para que as casas tornem-se mais baratas e, como consequência, as prestações fiquem mais baratas para o consumidor final. “O governador Beto Richa entende que precisamos atender as famílias mais carentes e para isso está oferecendo a isenção do ICMS, além de Copel e Sanepar também entrarem com benefícios que reduzem os custos finais da obra”, afirmou Chaowiche. (AEN)

CRISE: As demissões nos bancos

Os maiores bancos voltam a sofrer com a crise, recorrem a empréstimos para manter a liquidez de suas operações e promovem demissões para tentar reequilibrar suas contas.

As projeções apontam que mais de 100 mil pessoas serão demitidas no setor financeiro internacional, no que promete ser o pior ano para os bancos desde a quebra do Lehman Brothers, em 2008. Nesta semana, as ações dos bancos sofreram as maiores perdas em três anos.

Nos últimos dias, outro sinal preocupante foi registrado. O Banco Central Europeu (BCE) indicou que emprestou em menos de uma semana 7,7 bilhões a mais para aos bancos comerciais europeus para garantir sua liquidez.

Nem mesmo os bancos suíços, conhecidos por sua estabilidade, foram poupados. No caso do UBS, os planos apontam para uma redução de 5 mil trabalhadores - quase 10% do total de pessoal - para permitir uma economia anual de US$ 1,2 bilhão. Ontem, as ações do Credit Suisse chegaram a um valor inferior ao que foi registrado nos dias da quebra do Lehman Brothers.

Segundo estudo da Bloomberg Industries, os 50 maiores bancos do mundo já demitiram 60 mil pessoas desde o início do ano. Pelo planejamento anunciado, cortarão mais 50 mil. Os maiores cortes estão no HSBC (30 mil) e Bank of America (35 mil). Só o ano de 2008 foi mais difícil para o setor, com 192 mil postos de trabalho eliminados nos bancos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. (AE)


Sequestro de ônibus no Rio: Vítimas não relataram tiros dentro de ônibus sequestrado, diz delegada

Uma perícia da Polícia Civil vai apontar de onde partiram os tiros durante um sequestro de um ônibus na noite de terça-feira (9), na Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio de Janeiro. No entanto, segundo a delegada Gisele Rosemberg, da 6ª DP (Cidade Nova), testemunhas afirmaram em depoimento na madrugada desta quarta-feira (10) que os criminosos não dispararam dentro do veículo. Cinco pessoas - entre elas um policial militar - ficaram feridas no crime.

Na saída da delegacia, uma passageira, que não quis se identificar, reafirmou que os tiros não partiram dos criminosos. "Os tiros partiram do policial. Vieram de fora para dentro. Eles (criminosos) não dispararam nenhum tiro. Não houve disparo dentro do ônibus", disse ela após prestar depoimento e fazer o reconhecimento dos suspeitos. Ela não ficou ferida no tiroteio.

O ônibus que liga a Praça XV a Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, foi cercado pela polícia na pista sentido Praça da Bandeira, na altura do Sambódromo. Segundo a polícia, quando o ônibus parou no ponto, os criminosos entraram e pagaram a passagem. O motorista desconfiou e no ponto seguinte conseguiu fazer sinal para dois policiais e aproveitou para fugir. Lataria do ônibus ficou com marca de tiros, que também atingiram os pneus.

Policiais militares do batalhões do Méier, de São Cristóvão e da Praça Tiradentes, do Batalhão de Policiamento de Choque (BPCHQ) e do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foram acionados para o local. Os pneus do ônibus foram furados após duas tentativas de fuga dos criminosos. Policiais armados de fuzis e pistola se posicionaram do outro lado da pista.

De acordo com a delegada Gisele Rosemberg, a maioria dos passageiros disse em depoimento que quatro homens entraram no ônibus e que um deles saltou do veículo com uma refém e depois fugiu. Outro criminoso teria deixado o veículo em seguida. Durante a fuga, o homem ainda roubou um carro e manteve um casal refém até Manguinhos, no subúrbio.

Após uma hora e meia, os dois criminosos que estavam no ônibus se renderam. Mais tarde, a polícia prendeu em flagrante o suspeito que tinha fugido para Manguinhos. Ele foi preso quando recebia atendimento num hospital, em Copacabana, na Zona Sul. A polícia disse que o quarto suspeito do crime já foi identificado e que vai pedir a sua prisão preventiva.

O G1 tentou entrar em contato com a Polícia Militar, mas ninguém foi encontrado para comentar o assunto. Comparsas

A delegada afirmou, ainda, que haveria outros comparsas num carro que estava em frente ao ônibus. Segundo ela, as vítimas contaram que os criminosos se comunicavam com outras pessoas pelo celular.

O analista de suporte, Hélio Gomes, que foi obrigado pelos criminosos a dirigir o ônibus após o motorista abandonar o veículo, disse que ouviu os suspeitos se comunicarem com os comparsas: "Toda hora eles falavam ‘volta para socorrer a gente, volta pra socorrer a gente’. Eles mandaram arrancar. Eu consegui fugir já no segundo cerco, quebrei o vidro e sai”, contou.

De acordo com a delegada Gisele, um dos suspeitos presos já possui passagem pela polícia e outro possui um mandado de busca e apreensão. Ele afirmou que todos vão responder pelos crimes de roubo triplamente qualificado, formação de quadrilha e receptação. Com eles, a polícia apreendeu três pistolas - uma delas com numeração raspada - e uma granada. Fim do sequestro

A Secretaria estadual de Segurança Públicia anunciou o fim do sequestro por volta das 21h30 de terça-feira. Os dois criminosos se renderam após cerca de uma hora e meia de negociação com a polícia. Segundo a Secretaria municipal de Saúde, quatro pessoas foram baleadas. A Polícia Militar também confirmou que um policial ficou ferido durante o tiroteio.

De acordo com a Secretaria de Saúde, os feridos são duas passageiras e um homem que estava dentro de um veículo que passava pelo local. Um outro homem foi atingido de raspão na perna e já foi liberado do hospital. Uma mulher que levou um tiro no tórax e está no CTI. Seu estado de saúde é grave.

A outra mulher foi atingida perto da região do glúteo e passa bem, e o homem foi baleado no pescoço. Ele está em observação.

O policial foi ferido na perna, e foi levado para o hospital central da Polícia Militar. Onze reféns saíram ilesos na operação. O Comandante da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, falou sobre o sequestro logo após a rendição dos bandidos. “Foi tudo resolvido de uma forma muito rápida”.

"Foi uma noite de terror", diz passageira

Amparada pelo filho, Maria dos Santos, de 52 anos, que estava no ônibus, contou que os criminosos aparentavam estar nervosos e que eles ameaçavam os reféns com uma granada: “Eu nunca pensei que fosse passar por isso. Foi uma noite horrível, de terror. Não desejo isso a ninguém”, disse ela, que trabalha no camelódromo na Uruguaiana, no Centro.

O estudante Eduardo da Silva, de 21 anos, filho de Maria dos Santos, disse que soube do assalto por telefone. Ele afirmou que a mãe costuma pegar o ônibus que faz a linha Praça XV/Duque de Caixas com frequência, e confirmou que ela nunca tinha sido assaltada antes. Ele acompanhou a mãe na noite desta terça, durante depoimento no 6ª DP. (G1)


Charge do Paixão:



Presos pela Operação Voucher são conduzidos para um ônibus: todos os acusados devem ser levados ao Amapá

Presos pela Operação Voucher são conduzidos para um ônibus: todos os acusados devem ser levados ao Amapá, onde as investigações estão centralizadas

A Polícia Federal (PF) prendeu ontem o número 2 do Ministério do Turismo, o secretário-executivo Frederico Silva da Costa, indicado para o cargo pelo PMDB. Ele e ou­­­tras 34 pessoas foram detidas acusadas de envolvimento numa quadrilha que teria desviado pelo menos R$ 3 milhões de um convênio firmado pela pasta com uma ONG do Amapá. Outros 3 envolvidos estão foragidos. Na operação, também foram apreendidos R$ 610 mil.


A ação da PF acirrou ainda mais a crise no Planalto, pois atingiu um ministério comandado pelo PMDB e que tem petistas em cargos de chefia. As prisões da Operação Voucher deixaram ainda os ânimos no Congresso mais agitados, diante do temor de que a presidente Dilma Rousseff teria colocado a polícia para terminar a “faxina” ministerial. O Planalto e a PF correram para negar a informação de que a presidente tivesse conhecimento da ação. E a polícia negou qualquer conotação política na ação.


Detidos


O secretário-executivo do ministério, detido ontem pela PF, ocupa cargos de direção no Turismo desde o primeiro governo Luiz Inácio Lula da Silva.


Entre os presos estão ainda o ex-deputado Colbert Martins da Silva Filho, secretário nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, também indicado do PMDB; e o ex-presidente da Empre­­­sa Brasileira do Turismo (Embra­­tur), Mário Moysés, petista ligado à senadora Marta Suplicy, que comandou o ministério em 2007.


Os três tiveram prisão preventiva, com duração mais longa, de 30 dias prorrogáveis pelo tempo necessário à instrução do inquérito “As provas contra eles são robustas”, explicou o diretor-executivo da Polícia Federal, delegado Paulo de Tarso Teixeira. Todos os envolvidos devem ser levados a Macapá (AP), onde a operação foi centralizada.


As investigações da operação, batizada de Voucher em referência a um conhecido documento de compensação turística, foram iniciadas em abril, a partir de denúncia do Tribunal de Contas da União (TCU), que encontrou indícios de fraude num convênio de R$ 4,45 milhões entre o ministério e o Instituto Brasileiro de Infraes­­­trutura Sustentável (Ibrasi), empresa sem fins lucrativos que deveria fazer treinamento de profissionais da área turística. Do total, R$ 4 milhões foram repassados pelo ministério e o restante deveria ser contrapartida da entidade, que tem sede no Amapá.


“O dinheiro era repassado pelo ministério ao Ibrasi, que usava empresas do grupo ou fictícias. A partir desse repasses, os treinamentos não eram executados”, disse o delegado Teixeira. A PF suspeita que pelo menos dois terços do valor do convênio (cerca de R$ 3 milhões) foi desviado.


O Ministério do Turismo fez o convênio com dinheiro originado de emenda parlamentar. Segundo o delegado, contudo, não há indícios, “até o momento”, de participação de deputados no esquema.


Governo desvincula ministro das denúncias

A ministra de Relações Institu­­­cionais, Ideli Salvatti, também defendeu ontem o ministro. Ideli tentou “despartidarizar” os envolvidos. E destacou que as prisões atingiram pessoas de várias legendas, pouco antes de se reunir com a bancada do PMDB no Senado. Ela ainda lembrou que a operação investiga um convênio de 2009. “O convênio base da investigação é de 2009. Portanto, o ministro Pedro Novais não teria participação nesse convênio”, disse.


Já o presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), buscou tirar seu partido do foco. Afirmou que o secretário-executivo do Ministério do Turis­­­mo, Frederico Silva da Costa, um dos presos ontem, não era um nome exclusivamente ligado ao partido. Segundo ele, setores do PT também são responsáveis pela indicação. “A informação que eu tenho é que ele foi apoiado por setores do PMDB e também do PT. Houve também apelo de setores do partido da presidente nesta indicação”, disse Raupp.


Assim como as duas ministras, Raupp destacou que até o momento as investigações não mostram envolvimento do ministro Pedro Novais no caso. “Esta ação não foi em cima do ministro do PMDB”, disse ele.


Entenda o caso

Como ocorreu o desvio de dinheiro, segunda a PF:

Congresso

A deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP) apresentou emenda de R$ 4 milhões ao orçamento de 2009 para que a ONG Ibrasi executasse um projeto de capacitação profissional do Amapá na área de turismo.

Ministério

O Ministério do Turismo repassou a verba para o instituto. No total, o Ibrasi já recebeu R$ 15,9 milhões do ministério em dois anos por quatro convênios diferentes.

Ibrasi

Segundo a PF, o Ibrasi teria desviado parte desses recursos, forjando concorrências, não prestando serviços e apresentando notas fraudadas para comprovar despesas.

Empresas

Empresas subcontratadas pela ONG também teriam sido usadas no esquema de desvios.

Principais envolvidos

- Mário Moysés, ex-secretário executivo do ministério e ex-presidente da Embratur. Assinou o convênio de 2009 do ministério com a Ibrasi. Trabalhou com a senadora Marta Suplicy (PT-SP).

- Frederico Silva da Costa, secretário executivo do ministério, assinou o convênio de 2010 com o Ibrasi. Chegou ao ministério em 2003 com o PTB. Até 2010 era secretário de Programas de Desenvolvimento do Turismo. É apadrinhado no cargo pelo PMDB da Câmara, pelo líder Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) para o cargo.

- Colbert Martins, ex-deputado federal pelo PMDB-BA, estava desde março de 2011 como secretário nacional de Desenvolvimento do Turismo, cargo que fora de Frederico. É apadrinhado pelo ex-deputado peemedebista Geddel Vieira Lima. (Agências)

MISÉRIA TITANS

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | belt buckles