sábado, 5 de fevereiro de 2011

Portinari: Mistério de ''Guerra e Paz'' intriga experts


Centímetro a centímetro, os gigantescos painéis que compõem Guerra e Paz, de Candido Portinari, voltam a ganhar tons originais. Com pincéis, tubos de ensaio e um microscópio eletrônico, restauradores tentam reverter no Rio efeitos da exposição ao sol, desgastes provocados por um pigmento misterioso e até respingos de coquetéis servidos na sede da ONU, em Nova York, onde a obra ficou por 54 anos.

Serão necessários quatro meses para a recuperação minuciosa das 28 peças que compõem os murais, de 140 m² cada. No ateliê montado no Palácio Gustavo Capanema, aberto à visitação até 20 de maio, o público poderá ver de perto um trabalho que envolve análises químicas, soluções tecnológicas e técnicas aparentemente rudimentares, como o uso de esponjas para limpeza.

Para calcular com precisão os danos provocados aos painéis desde sua conclusão, em 1956, os restauradores identificaram até a posição das janelas do prédio das Nações Unidas. E descobriram que placas inferiores de Paz sofreram desgaste maior, pois o mural estava voltado para sudoeste e foi bombardeado por anos pela luz do pôr do sol. "O pigmento branco que Portinari usou reagia com facilidade à luz, o que deixou algumas áreas do painel esbranquiçadas", diz Edson Motta Júnior, um dos coordenadores da restauração.

Apenas 5% de Guerra e Paz sofreu com esse fenômeno, mas a equipe vai fotografar cada ponto danificado com um microscópio digital e aplicar resina para devolver a cor original à obra.

Outra particularidade do material usado por Portinari intriga restauradores. Eles enviaram amostras a laboratório da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para tentar entender como, após cinco décadas, algumas tintas não estão completamente secas. A textura viscosa facilitou acúmulo de poeira e consequente alteração das cores, que será corrigida com esponjas que absorvem impurezas. "De modo geral, os painéis estão em ótimo estado. Encontramos apenas problemas pontuais, que serão corrigidos com o menor número possível de intervenções", afirma o restaurador Claudio Valério Teixeira.

A restauração dos imponentes murais exigiu que eles fossem totalmente desmontados. Os painéis só voltarão a ser vistos novamente como uma única obra a partir de julho, em São Paulo, na primeira exibição mundial de Guerra e Paz após sua recuperação. João Candido Portinari, filho do artista, negocia patrocínio para exposição de dois meses na Oca, no Ibirapuera.

Quando voltar à ONU, em 2013, os painéis de Guerra e Paz estarão cobertos por um verniz que reduzirá desgastes por luz e poluição. Restauradores também recomendarão uso de películas nas janelas do prédio.

Filho de Mubarak e cúpula do partido governante egípcio renunciam


A liderança do Partido Nacional Democrático (PND), legenda governista do Egito, renunciou neste sábado, informou a TV estatal egípcia. Entre os dirigentes que caíram estão Gamal Mubarak, filho do presidente Hosni Mubarak, e Safwat el-Sharif, secretário-geral do partido.

Conhecido por manter boas relações com a oposição, Hossam Badrawi assumirá o posto de El-Sharif. Crítico de algumas políticas governistas, ele é considerado um membro da ala liberal do PND. De acordo com a TV estatal, houve seis mudanças na alta cúpula.

Por anos, Gamal foi apontado como provável sucessor de Mubarak. Fora da liderança do PND, porém, ele não pode mais concorrer à presidência, segundo a constituição egípcia. Sua renúncia foi vista pelos Estados Unidos como um "passo positivo" e "necessário", disse uma fonte oficial norte-americana à Reuters. "Esperamos ansiosos por passos adicionais", afirmou.

A maioria dos novos designados é jovem, disse um deles, Mohammed Kamal. "É uma boa mudança. Reflete o clima de mudança no país", afirmou. O anúncio, porém, não foi recebido com entusiasmo pelos manifestantes que se concentravam na Praça Tahrir, no Cairo, segundo a Associated Press.

Neste sábado, o presidente se reuniu com o primeiro-ministro e os ministros das Finanças, do Petróleo e Indústria e do Comércio. Os bancos reabrirão no domingo, mas o ministro das Finanças, Samir Radwan, afirmou que a situação é "muito séria". De acordo com a BBC, analistas avaliam que a crise tem custado ao país pelo menos US$ 310 milhões por dia.

Deputados petistas brigam pela presidência da CCJ

A bancada do PT na Câmara está em pé de guerra. De um lado estão os aliados do recém-eleito presidente da Casa, Marco Maia (RS). Do outro, o grupo ligado a Cândido Vaccarezza (SP), reconduzido à liderança do governo pela presidente Dilma Rousseff. O principal alvo da disputa é a presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Estão no páreo os deputados João Paulo Cunha (SP), apoiado pelo grupo de Vaccarezza, e Ricardo Berzoini (SP), defendido por aliados de Maia. Adversários de João Paulo o acusam de buscar "proteção" na presidência da CCJ. O deputado é réu do escândalo do mensalão, que deve ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) este ano. A CCJ é fundamental para a tramitação de projetos de interesse do Judiciário.

As relações pioraram após a escolha de Maia para concorrer à presidência da Câmara, expondo a disputa dentro da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), da qual o gaúcho e Vaccarezza fazem parte. Membros da bancada definem essa divisão como "mensaleiros versus não mensaleiros". O grupo contrário à indicação de João Paulo alega que a bancada não pode "carregar o peso" de ter um réu do mensalão comandando a CCJ.

Por sua vez, a turma de Vaccarezza acusa Berzoini e seus aliados de serem "rebeldes", já que não conseguiram emplacar ninguém nos cargos mais importantes do governo. Os petistas de Minas, por exemplo, cobram um lugar para o ex-ministro Patrus Ananias.

Fonte: O Estado de S. Paulo.

Varredura encontra equipamentos de espionagem na Assembleia

Varredura iniciada na manhã deste sábado (5) feita para identificar possíveis pontos de escuta clandestina na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, já localizou três centrais de escutas clandestinas nos gabinetes do presidente Valdir Rossoni (PSDB) e do 1º secretário Plauto Miró (DEM).

O trabalho foi solicitado pelo presidente em função dos últimos acontecimentos que envolvem situações irregulares em várias áreas da Assembleia. Rossoni determinou a varredura para garantir total transparência e condições de trabalho para a nova mesa diretora e para os deputados. “Temos que ter ampla liberdade e garantias de trabalho. Não podemos ter o risco de qualquer tipo de intimidação ao nosso trabalho.”

De acordo com o técnico em dispositivos eletrônicos da empresa de segurança Embrasil, Antônio Carlos Walger, os equipamentos de espionagem encontrados na Casa são "incomuns" e de alta tecnologia.

"Durante as buscas nas dependências da Assembleia, encontramos aparelhos estranhos, como microfones de indução para escuta de ambiente. São dispositivos bastante sofisticados, de origem israelense, que custam entre R$ 20 mil e R$ 50 mil, e que foram instalados recentemente escondidos sobre o forro", afirmou Walger. Num dos pontos onde havia uma central de escuta escondida, foram desenhadas três suásticas (adotadas pelo partido nazista).

Fizemos essa varredura por questão de segurança, seguindo o conselho do chefe do gabinete militar da presidência, tenente-coronel Arildo Luiz Dias. Doa a quem doer, vamos até as últimas consequências com as investigações para apurar todas as irregularidades cometidas na Assembleia", garantiu Rossoni.

O 1º secretário, deputado Plauto Miró, disse que a Mesa Diretora fez um pacto para dar transparência total à Casa. "Armaram uma cama de gato para tentar manter os privilégios que certas pessoas tinham aqui dentro. Mas estamos absolutamente tranquilos e certos do que temos que fazer."

Diante de mais esse episódio, o presidente Rossoni reafirmou que é preciso urgência para realizar as mudanças no Poder Legislativo do Paraná. "Até o final de fevereiro nós vamos tomar as medidas necessárias para sanear totalmente a Assembleia."

Os equipamentos de escuta clandestina foram apreendidos pelo Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), da Polícia Civil, e encaminhados para perícia técnica na Polícia Científica. Os policiais dizem ter evidências de que haja uma central de escutas dentro da Assembléia. Há a suspeita de que os aparelhos tenham sido colocados recentemente no local, já que a cola que fixa os fios ainda está fresca.

Fonte: Assessoria de imprensa da ALEP

Mata Atlântica tem 80% de sua área em terras privadas



Mais ameaçado dos biomas brasileiros, 80% dos remanescentes da Mata Atlântica estão concentrados nas mãos de proprietários privados, o que torna a floresta mais suscetível a desmatamentos - principalmente se for adiante a proposta de alteração do Código Florestal, que tramita no Congresso Nacional.

Há no País pelo menos 17 milhões de hectares que descumprem as premissas do atual Código Florestal e podem ser recuperados. São áreas de preservação permanente (APPs), como margens de rios e topos de morros, e de reserva legal nas propriedades agrícolas. Caso seja reduzida a área destinada à proteção permanente, como prevê a proposta do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), o País não cumprirá os compromissos internacionais firmados em outubro na Convenção de Biodiversidade da ONU, realizada em Nagoya, no Japão.

É o que mostra o estudo Convenção sobre Biodiversidade Biológica - Metas 2010 Mata Atlântica, elaborado pela ONG WWF-Brasil e o Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e apresentado ontem, em São Paulo. “O principal desafio hoje para a recuperação da Mata Atlântica é reverter a proposta de mudança no Código Florestal. Se isso ocorrer, como querem entidades ligadas ao agronegócio, não cumpriremos a meta firmada em Nagoya de proteger 17% do bioma até 2020”, afirma Cláudio Maretti, superintendente de conservação do WWF-Brasil.

Ele explica que na situação atual o País já não cumpriria o acordo, pois o bioma está restrito a 7,9% da cobertura original, num total de 102 mil km². Quando o Brasil foi descoberto, em 1500, a Mata Atlântica cobria 1,3 milhão de km². O bioma é importante também por abrigar 65% das espécies ameaçadas de extinção no Brasil - muitas são endêmicas, ou seja, só existem ali.

Reservas privadas
Para o WWF-Brasil, uma das maneiras de aumentar a proteção do bioma é estimular a criação de unidades de conservação em áreas privadas. Hoje existem 627 reservas privadas (RPPNs) de Mata Atlântica em todo o País, que protegem 0,1% do bioma. Parques nacionais e estaduais somam apenas 2,3% da área protegida da Mata Atlântica. “Os proprietários privados são fundamentais para se resguardar o que resta da floresta. Mas praticamente não existe política pública para incentivar a criação de reservas particulares”, diz Luciana Simões, coordenadora do Programa Mata Atlântica do WWF-Brasil. Ela também defende o uso de ferramentas econômicas para estimular a preservação, como o pagamento a agricultores que preservarem seus remanescentes de floresta.

Fonte: O Estado de S. Paulo.

Hospital de Clínicas funciona com apenas metade dos funcionários

Os cerca de 15 mil pacientes que procuram o Hospital de Clínicas de Curitiba encontraram hoje (03) pela manhã, um atendimento lento e vários protestos. Devido a paralisação iniciada às 7h da manhã, o efetivo de servidores foi reduzido de aproximadamente 700 para apenas 300 funcionários. “ Pode ser que demore, porém, ninguém deixará de ser atendido”, garantiu Wilson Messias, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Terceiro Grau Público de Curitiba, RMC e Litoral (SINDITEST-PR).

Ainda de acordo com Messias, as áreas que podem ser mais afetadas pela greve devem ser o laboratório e o centro cirúrgico, que no momento contam com escala geralmente adotada em finais de semana. “Devem ficar apenas umas cinco pessoas no centro cirúrgico, para dias normais isso é muito pouco”, disse o presidente.

Em reunião realizada também na manhã de hoje, no 7º andar da unidade, os funcionários aprovaram o indicativo de greve, que ainda não tem previsão de início. Além da paralisação de um dia, os funcionários prometem fazer uma passeata ainda no final da manhã de hoje até a Praça Santos Andrade, onde devem se reunir para tentar chamar a atenção da população para a sua causa. Para o dia 16 de fevereiro está prevista uma caravana de alguns dos manifestantes até Brasília, onde se encontrarão com o Ministro da Saúde para tentar colocar um ponto final no imbróglio.

Reinvidicações

Os servidores cruzaram os braços em protesto à medida provisória 520, que cria a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, podendo assim privatizar indiretamente todos os 46 hospitais universitários federais do país. Para os trabalhadores, esta medida põe em risco o emprego de vários profissionais, além de tornar o atendimento do hospital mais precário. “Esta medida aprovada no dia 31 de dezembro faz com que os hospitais universitários federais sejam administrados por uma empresa de caráter privado. Com isso corremos o risco de seguir o modelo do hospital de Porto Alegre que tem uma porta para os pacientes particulares e outra para os públicos. Além disso, todas as características do hospital, como pesquisa e desenvolvimento de tratamentos serão comprometidas”, afirmou Wilson.

Fonte: Banda B

Manobras do Requião para tentar abafar o escândalo no Porto de Paranaguá

Com questões cabeludíssimas para explicar a respeito da gestão do irmão – o Crocodilo Dudu – no comando do Porto de Paranaguá, o senador Requião passou a questionar os custos da dragagem promovida pela atual administração.

É uma manobra bastante primária de tentar tirar o foco da tenebrosa passagem de Eduardo Requião pelo Porto jogando suspeição difusa sobre a nova administração.

Esse tipo de estratégia de provocar ruído, costumava dar certo, resta saber se ainda existe alguém disposto a dar crédito para esse tipo de coisa.
Com questões cabeludíssimas para explicar a respeito da gestão do irmão – o Crocodilo Dudu – no comando do Porto de Paranaguá, o senador Requião passou a questionar os custos da dragagem promovida pela atual administração.

É uma manobra bastante primária de tentar tirar o foco da tenebrosa passagem de Eduardo Requião pelo Porto jogando suspeição difusa sobre a nova administração.

Esse tipo de estratégia de provocar ruído, costumava dar certo, resta saber se ainda existe alguém disposto a dar crédito para esse tipo de coisa.

Fonte: hHNews

Rubens Bueno apresenta projeto contra manipulação de pesquisas eleitorais

O líder do PPS na Câmara, deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR), apresentou na quinta-feira Projeto de Lei para evitar abusos cometidos pelos institutos de pesquisa de intenção de voto. A proposta tem o objetivo de punir as empresas responsáveis por erros grosseiros às vésperas da eleição e também pretende dar um basta na promiscuidade entre candidatos e institutos de pesquisa. Pelo projeto, os institutos que, na véspera das eleições, divulgarem pesquisas eleitorais com resultados completamente divergentes do verificado nas urnas (acima da margem de erro) podem pagar multa de até R$ 1 milhão. Atualmente, a lei eleitoral prevê multa de 50 mil Ufirs e detenção de seis meses a um ano.

O projeto também pretende impedir que institutos de pesquisas, por serem contratados ao mesmo tempo por candidatos, partidos e veículos de comunicação, manipulem ou fraudem resultados de pesquisas. Ele estabele que “a existência de vínculo formal de partido político ou de coligação com a entidade ou a empresa responsável pela divulgação de pesquisa fraudulenta, no período de um ano antes da eleição, pode resultar na cassação do registro ou do diploma” do candidato beneficiário.
“Queremos impedir fraudes e erros crasos que influenciam diretamente o resultado das eleições. Com a multa pesada para os institutos e a possibilidade de cassação de candidatos, as empresas certamente terão mais cuidado na divulgação de pesquisas. Isso também visa impedir a proliferação das chamadas pesquisas compradas, que beneficiam o candidato que paga mais”, afirma Rubens Bueno.

Segundo o líder do PPS, os levantamentos na última eleição demonstram grandes distorções, que induzem os eleitores e influenciam diretamente nos resultados das eleições. Ele cita como exemplo a diferença de votos entre os candidatos ao Senado no Paraná – Gustavo Fruet (PSDB) e Roberto Requião (PMDB). No Ibope da véspera das eleições, Fruet aparecia com 27% das intenções de voto e Requião com 47%. O resultado foi bem diferente: Requião teve 24,8% dos votos e Fruet 23,1%.

Fonte: Política em debate

Rossoni anuncia corte de R$ 5 milhões em gastos na AL

As principais ações que serão implantadas a partir de segunda-feira na Assembleia Legislativa serão discutidas amanhã, a partir das 18h, em reunião de trabalho com o presidente Valdir Rossoni (PSDB) e todos os novos diretores da Casa. O encontro servirá também para avaliar as medidas adotadas no início desta gestão.

Uma delas diz respeito à economia que a Casa deverá ter com cortes de R$ 5 milhões em gastos, já a partir deste mês. “Apesar da dificuldade que estamos encontrando, visualizamos alguns cortes, principalmente em contratos e na folha de pagamento”, disse Rossoni.

Gerenciamento

O 1.º secretário do Legislativo, deputado Plauto Miró (DEM), afirmou que todos os levantamentos a respeito da estrutura antiga da Casa estão sendo feitos gradativamente.

“As informações estão chegando e nesta reunião de domingo poderemos clarear alguns pontos importantes. Acreditamos que com esse novo gerenciamento da Assembleia Legislativa faremos uma grande economia”, destacou.

A decisão de marcar a reunião para amanhã foi anunciada na tarde de ontem pelo presidente e pelo 1º secretário durante encontro na sala da presidência do Legislativo.

Fonte: O Estado do Paraná

Aécio Neves quer indenização de R$ 500 mil do deputado de Londrina André Vargas

O deputado federal André Vargas (PT), que também é secretário nacional de Comunicação do Partido dos Trabalhadores, está sendo processado pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG). De acordo com o portal iG, o mineiro pede uma indenização de R$ 500 mil por danos morais.

No ano passado, na época das eleições, o paranaense disse que Aécio foi o autor de um dossiê contra José Serra, então candidato à presidência pelo PSDB. No dia 8 de setembro, no Twitter, o petista escreveu: "Quem produziu o dossiê foi o Aécio, com sua vontade de disputar a Presidência. Acredito que hoje ele esteja feliz por não passar este vexame".

A reportagem do iG teve acesso ao processo movido pelos advogados de Aécio Neves. A ação foi motivada por declarações de Vargas classificadas como "caluniosas". "A ofensa ao autor (Aécio) teve irrestrita divulgação, pois além de o réu ter 4.735 seguidores no Twitter [na época], foi noticiada amplamente nos jornais impressos e na Internet".

No processo, segundo o iG, constam três supostas acusações de André Vargas que atentariam contra a dignidade e a honra de Aécio: crime de divulgação de segredo (ao afirmar que o tucano participou da quebra de sigilo fiscal da filha de Serra), crime de denunciação caluniosa (ao ressaltar que Aécio praticou ilícito e imputou o ato ao PT) e ato de infidelidade partidária (ao falar que o senador tucano, contrariando deliberações da convenção e interesses do PSDB, está prejudicando a imagem de Serra).

O processo tramita na 35ª Vara Cível de Belo Horizonte e aguarda decisão de juíza substituta Luzia Divina de Paula Peixoto. O deputado, com residência em Londrina, deve ser citado nos próximos meses.

O deputado federal foi procurado para comentar a ação, mas não houve resposta.

Fonte: Folha de Londrina

Chega ao fim a greve dos vigilantes no PR

A greve dos vigilantes terminou na noite de ontem, sexta feira. Após quatro dias de paralisação está categoria funcional volta ao trabalho neste sábado. Os vigilantes aceitaram a proposta patronal de 7% de reajuste no piso salarial, mais o adicional de risco de vida de 12% e o vale refeição de 13 reais. Eles também terão estabilidade de 60 dias e irão receber pelos dias parados. O presidente do Sindicato dos Vigilantes João Soares disse que os trabalhadores aprovaram a proposta, mesmo com a negativa da direção da greve. A paralisação teve a adesão de mais de 70% dos vigilantes de todo o Paraná. Durante a greve a maior parte das agência bancárias ficaram fechadas, pois por lei são necessários no mínimo dois vigilantes por estabelecimento.

Porto de Paranaguá conclui primeira etapa da dragagem

O secretário da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, esteve no Porto de Paranaguá, na manhã desta sexta-feira (7), para acompanhar de perto dos trabalhos da dragagem dos berços de atracação. Richa foi até o cais do porto e monitorou o trabalho da draga holandesa que está fazendo os trabalhos. A primeira etapa da dragagem será finalizada neste sábado, com a retirada de 60 mil metros cúbicos de sedimentos.

“Estamos trabalhando para que o Porto de Paranaguá já possa oferecer melhores condições operacionais já para esta safra. A dragagem dos berços de atracação vai permitir que os navios operem com carga plena, dando mais segurança às operações portuárias”, disse o secretário.

Após a visita ao cais, José Richa Filho participou de uma reunião entre a diretoria dos Portos de Paranaguá e Antonina e membros da Secretaria de Infraestrutura e Logística. De acordo com o superintendente da Appa, Airton Vidal Maron, o objetivo da reunião foi discutir projetos do porto. “Nós estamos seguindo uma diretriz de governo que visa promover a integração e valorizar o diálogo”, disse.

DRAGAGEM – A dragagem dos berços de atracação entra em sua segunda fase neste sábado (8). Serão dragados os berços 1 ao 9. Com a finalização da primeira etapa, os cinco berços já dragados voltam a operar normalmente no sábado e serão esvaziados os seis berços relativos à segunda fase dos trabalhos.

A previsão é que no dia 10 de fevereiro seja iniciada a dragagem dos últimos três berços de atracação, que compreendem os berços de navios de contêineres e veículos.

Ao todo, a dragagem dos berços de atracação vai retirar 110 mil metros cúbicos de sedimentos. A obra custará R$ 2,5 milhões e será paga com recursos próprios da Appa.

Governador Beto Richa e ministro da Justiça formalizam parceria para combater o crime

O governador Beto Richa e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, formalizaram uma parceria para a realização de ações conjuntas de combate ao crime no Paraná. O acordo foi feito durante reunião no Palácio das Araucárias, em Curitiba, nesta sexta-feira (4), para discutir formas de integrar as políticas públicas estaduais e federais no combate à violência, à criminalidade e resolver questões como a superpopulação carcerária.

“Temos um planejamento de ações para combater o crime e a violência, com foco especial às drogas e a região de fronteira”, disse o governador. “Para nós, isso é uma prioridade e fico feliz em saber que teremos a mão estendida do governo federal para enfrentar esse grave problema”, afirmou.

Por determinação do ministro, um grupo de técnicos do ministério voltará ao Paraná na próxima semana para uma visita à fronteira com Paraguai e Argentina para verificar as dificuldades e criar um plano de combate à criminalidade na região.

Cardozo disse que é uma diretriz de governo o enfrentamento da violência e o combate do crime organizado. Ele afirmou que é necessário que os governos estaduais e federal desempenhem juntos essa tarefa. “É necessário integrar esforços na questão da segurança pública”, reforçou o ministro.

Gestão Integrada - O secretário da Segurança Público do Paraná, Reinaldo de Almeida César, apresentou um conjunto de ações e propôs a criação de um Gabinete de Gestão Integrada, com participação dos diversos organismos policiais e de inteligência, do Estado e da União, para nortear as ações de combate ao crime no Paraná. “O projeto terá apoio do ministério”, destacou.

O governador Beto Richa também entregou ao ministro um ofício requisitando ao ministro Cardozo e a presidente Dilma Rousseff o reencaminhamento ao Congresso Nacional de um projeto de lei para que o Paraná possa receber recursos para a construção de unidades prisionais.

Além do secretário estadual de Segurança Pública, Reinaldo de Almeida César, e da secretária de Justiça, Maria Tereza Uille Gomes, participaram do encontro a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, o diretor do Departamento Penitenciário, Augusto Rossini, do diretor geral da Polícia Federal, Leandro Coimbra, e do diretor geral da Polícia Rodoviária Federal no Paraná, Hélio Derenne.

Também estiveram presentes no encontro a senadora Gleisi Hoffmann, os deputados federais Alfredo Kaefer, André Vargas, Doutor Rosinha, Eduardo Sciarra, Fernando Francischini e Zeca Dirceu, e o deputado estadual professor Lemos.

MP-PR propõe ação contra empresa de ônibus por poluição ambiental

A Promotoria de Justiça de Proteção ao Meio Ambiente de Curitiba apresentou uma ação civil pública contra a empresa Auto Viação Mercês (nome fantasia das empresas de ônibus São Braz Ltda e Osmar Bertoldi & Cia Ltda) por poluição ambiental. Segundo o Ministério Público do Paraná (MP-PR), o problema ocorre no pátio da empresa, localizado na Rua Alcides Munhoz, no bairro Mercês. No local foram constatadas diversas formas de poluição, como a de solo, dos lençóis freáticos, poluição do ar e a sonora. O responsável pelo caso é o promotor de Justiça Sérgio Luiz Cordoni.

O MP-PR investiga o caso desde 2003 e diz que a empresa não cumpriu as adequações propostas desde então. Em razão dos problemas, o órgão solicita a suspensão das atividades até que a situação seja regularizada. A reportagem da Gazeta do Povo entrou em contato com o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp), que informou que a empresa não vai comentar o caso enquanto não tiver acesso aos autos do processo.

Irregularidades

Durante a investigação, o MP-PR solicitou que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Curitiba (SMMA) vistoriasse as empresas de ônibus, entre as quais estava a Auto Viação Mercês. Na primeira vistoria, em março de 2003, foi constatado que as caixas para retenção de areia e óleo estavam sujas e saturadas e que a área de abastecimento não possuía piso impermeável nem canaletas para escoar os líquidos derramados até o sistema de óleo. A empresa recebeu diversas notificações nesta e em vistorias posteriores, mas o problema não foi resolvido.

Em junho de 2004, a empresa fez modificações nas caixas separadoras de água e óleo da área de lavagem, mas o sistema permanecia ineficiente e o piso impermeável não havia sido construído. As adequações não haviam sido feitas até setembro de 2005, quando a empresa foi notificada a providenciar a análise da água dos poços de monitoramento e relatório conclusivo com o nível de extensão de contaminação do solo e do aquífero freático, além do plano de remediação da área contaminada. A empresa Orlando Bertoldi & Cia Ltda firmou, em março de 2006, um Termo de Compromisso e Ajustamento com a SMMA. Como o termo não foi cumprido, foi concedido novo prazo para a empresa regularizar a situação, até abril de 2008.

Novamente, o termo não foi cumprido e um novo termo de ajustamento foi expedido em maio de 2008, com prazo de 180 dias. Nesta época, o Corpo de Bombeiros constatou que havia discrepâncias entre o projeto e a construção do posto de abastecimento de combustível. No período, foi requisitado à empresa que enviasse alguns documentos necessários para seu funcionamento. Em julho de 2009, a empresa apresentou, entre outros documentos, o alvará de funcionamento da prefeitura com validade enquanto satisfizer as exigências da legislação em vigor, laudos de análises das caixas separadoras de áreas e relatório de monitoramento ambiental.

Em dezembro de 2009, o relatório da SMMA sobre o termo de ajuste indicava que ainda era necessário dar continuidade às ações de remediação. A empresa solicitou elaboração de novo termo de ajustamento, que tem vigência até maio de 2011. A Secretaria Municipal do Urbanismo informou que houve bloqueio da indicação fiscal para impedir a renovação do alvará comercial da empresa.

A SMMA também recebeu reclamações de moradores da região sobre a poluição sonora e atmosférica na região. A garagem da empresa se localiza em uma zona residencial. Segundo o MP-PR, a empresa está irregular quanto ao alvará de licença para localização e descumpre exigências legais para o uso do solo e localização.

Fonte: Gazeta do Povo

Começam audiências judiciais de maior quadrilha de traficantes do Paraná


Começaram, nesta semana, as audiências de instrução do processo no qual são rés nove pessoas, acusadas de integrar a maior quadrilha de tráfico de drogas do Paraná. Dentre os presos está Éder de Souza Conde, de 35 anos, apontado como o cabeça da quadrilha, e a suposta namorada dele, Suzimara Steff, segundo lugar no concurso Miss Curitiba 2010. O grupo foi preso em maio do ano passado durante a Operação Ressaca, deflagrada pela Polícia Federal (PF). As investigações apontaram que a quadrilha movimentava 100 quilos de drogas a cada três meses no estado.

As audiências ocorrem na 9ª Vara Criminal da capital, no bairro Santa Cândida. Os nove réus participam presencialmente de todas as sessões. Sete homens acusados de integrar a quadrilha, que estavam presos na Penitenciária de Catanduvas, foram trazidos a Curitiba para os procedimentos. Até o fim da série de audiências, eles permanecem encarcerados na sede da PF. As duas mulheres – entre elas, Suzimara – já estavam presas na capital.

Na segunda-feira (7), os nove réus devem ser interrogados. Na primeira etapa da audiência, eles devem responder as perguntas apresentadas pelo Ministério Público. Em seguida, os questionamentos são feitos pela defesa e, por fim, pelo juiz.

Nesta semana, foram ouvidas testemunhas de acusação e de defesa. O primeiro a depor foi o delegado da PF, Wagner Mesquista, responsável pelas investigações que terminaram com a prisão do grupo. Em quatro horas de depoimento, ele deu detalhes sobre as diligências e detalhou as provas que já foram apresentadas à Justiça. “Foi uma audiência produtiva, em que demonstramos a consistência das acusações e das provas, que são muito fortes contra todo o grupo”, disse o delegado.

Quadrilha e provas

Conde é considerado pela PF como o “Fernandinho Beira-Mar do Paraná”. O acusado se notabilizava por morar em mansões, ostentar carros de luxo e frequentar badaladas casas noturnas.

Segundo a PF, a droga que era distribuída pela quadrilha vinha de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, trazida ao Paraná em carros e ônibus. Cada carregamento do entorpecente adquirido por Conde custava em torno de R$ 250 mil. No Paraná, a droga era distribuída a traficantes menores e a usuários. De acordo com a PF, o grupo movimentava 100 quilos de drogas a cada três meses,com lucro anual estimado em R$ 6 milhões.

As investigações apontaram que o dinheiro levantado com o tráfico era investido em uma empresa de guincho e uma que financiava compras de veículos a uma loja de carros. Conde seria sócio de ambos os empreendimentos.

Duas pessoas que transportavam drogas para Conde chegaram a ser presas pela PF e apontaram-no como proprietário do produto. A polícia também conseguiu comprovante de compras de entorpecentes e monitoramento de viagens de Conde a Ponta Porã para negociar pessoalmente a compra dos carregamentos.

A PF localizou ainda uma casa, no bairro Cidade Industrial de Curitiba que funcionava como “quartel-general” da quadrilha. Em paredes ocas da casa, foram encontrados fuzis e 15 tijolos de cocaína.

Fonte: Gazeta do Povo

Ex-superintendente do Porto deixa a prisão em Piraquara

O ex-superintendente do Porto de Paranaguá, Daniel Lúcio Oliveira de Souza, deixou o Centro de Triagem (CT) II, em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, na início da noite desta sexta-feira (4). Ele estava preso desde o dia 19 de janeiro e foi liberado às 19h30 após o pagamento de uma fiança no valor de R$ 200 mil.

Às 15h35 desta sexta-feira, o juiz federal de Paranaguá Marcos Josegrei da Silva, aceitou a garantia de R$ 200 mil em dinheiro e decretou a liberdade do ex-superintendente do Porto de Paranaguá. Ele estava preso há 16 dias, quando foi detido no Rio de Janeiro nas ações da Operação Dallas da Polícia Federal. Daniel Lúcio é investigado por formação de quadrilha, fraude em licitação, corrupção e desvio de dinheiro público. Ele era o único dos dez presos durante a operação Dallas que ainda estava detido.

Fonte: Gazeta do Povo

Leia a íntegra da nota oficial da Secretaria de Educação sobre o Processo de Seleção Simplificado (PSS)

Nota oficial – Secretaria de Estado da Educação

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) fará, na segunda-feira, dia 7, um pedido de reconsideração das liminares emitidas pelo Tribunal de Justiça do Paraná que suspendem a classificação do Processo de Seleção Simplificado (PSS) para os cargos de professor e técnico administrativo.

A Secretaria reitera que necessita da contratação imediata de no mínimo 9.500 professores para iniciar o ano letivo de 2011 na terça-feira, dia 8, sem prejuízo algum para os estudantes atendidos pela rede estadual de ensino.

A Secretaria ressalta que os editais que regem o PSS foram construídos pela gestão anterior do governo do Estado.

A Seed ainda destaca que tomou todas as ações possíveis para realizar contratações de professores antes do início do ano letivo e trabalha para tornar mais estável o quadro de servidores da educação.

A meta da nova gestão da Secretaria é contratar professores efetivos aprovados no concurso público de 2007, com validade até março de 2012.

Cinza da queima do bagaço de cana substitui areia na fabricação de concreto

A substituição da areia por cinzas da queima do bagaço da cana gerou um concreto 15% mais resistente do que o comum -feito com a mistura de pedra, cimento e areia.

A conclusão faz parte de uma pesquisa do departamento de engenharia civil da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos). Segundo o professor responsável pelo estudo, Almir Sales, a mistura pode chegar a 50% do total da areia.

O maior ganho é ambiental, pela conservação dos rios, de onde se extrai a areia, e do solo das usinas.

Sales afirmou que a degradação dos rios com a extração da areia é imensa e que a falta de licenças ambientais para exploração têm deixado o produto mais caro. "Atualmente, até 120 milhões de toneladas de areia de rio são consumidas por ano no Brasil", disse.

Já no caso das usinas, as cinzas se acumulam nos pátios e podem impermeabilizar o solo, além de gerar contaminação ou assoreamento de rios com a chuva.

De acordo com o professor, as usinas produzem cerca de 4 milhões de toneladas de cinzas por ano provenientes da queima do bagaço da cana. Cada tonelada de bagaço, segundo ele, gera cerca de 25 quilos de cinza."O trabalho com a queima do bagaço é fantástico na geração de energia, mas e as cinzas que restam? O que fazer com elas? Essa pode ser uma destinação", disse.

PROCESSO
A cinza é processada e peneirada até ficar idêntica a um grão de areia.

A mistura com cimento gera um concreto "levemente escurecido", diz Sales, e pode ser utilizada para obras de calçadas, guias e sarjetas. "Para a construção predial, precisa ter regulamentação da ABNT [Associação Brasileira de Normas Técnicas], o que já está sendo tratado", disse o professor.

A pesquisa está em andamento há quatro anos. O financiamento é da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

O bagaço de cana demostrou possuir condição de ser adicionada ao concreto em substituição parcial ao cimento, dessa forma, verifica-se que a cinza do bagaço de cana com adição ao concreto, contribui para o desenvolvimento sustentável, uma vez que reutiliza um recurso ja explorado eleva uma diminuição do consumo de cimento, cuja a produção cria serios problemas ambientais.

A região sudeste é o maior centro consumidor de cimento e também o maior produtor de resíduos agricolas e a incorporação dos resíduos ainda não tem perspectivas de ser absorvida pela industria cimenteira.

Cerca de 1,5 a 2 milhões de cinzas da queima do bagaço de cana sobram de caldeiras e geradores para produção de energia eletrica para abastecimento das proprias usinas. As cinzas do bagaço de cana são ricas em sílica amorfa, diferente da forma cristalina encontrada, por exemplo, na areia. Podendo ser entao utilizadas como pozolanas, a principal propriedade de uma pozolana é a sua capacidade de reagir com o hidróxido de cálcio, um dos produtos de hidratação do cimento formando compostos estáveis. Portanto, este projeto busca um bloco mais leve, pela adição de cinzas do bagaço de cana, e resistente o suficiente para transporte e manipulação durante o processo construtivo. Obtendo-se assim novos materias para construção civil em condições ecologicamente sustentáveis.

EXTRUSÃO

Na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) os resíduos da indústria sucro-alcooleira — fibra do bagaço de cana-de-açucar e as cinzas resultantes da queima do bagaço em caldeiras — estão sendo aproveitados na produção de fibrocimento, material de construção usado na fabricação de produtos como telhas, caixa d’água e divisórias. O método consiste em substituir alguns dos componentes que formam o fibrocimento pela fibra do bagaço da cana e pelas cinzas.

Segundo o pesquisador Ronaldo Soares Teixeira, autor do trabalho, a intenção foi buscar uma nova forma de aproveitar esses resíduos, normalmente descartados pela indústria sucro-alcooleira. “Eles normalmente são subaproveitados.

Parte do bagaço é queimada em caldeiras, tornando-se cinzas; o bagaço até tem outros empregos, como nas rações para animais, mas a maior parte é descartada”, comenta o pesquisador. Ele estima que, de cada tonelada de cana-de-açúcar processada, 260 quilos são transformados em bagaço.Para criar o fibrocimento, o pesquisador utilizou um processo chamado extrusão, método alternativo para a produção do material cimentício. Teixeira explica que a máquina, chamada extrusora, contém uma rosca sem fim dividida em três câmaras: mistura, pressão negativa e compressão. Na extremidade da rosca, encontra-se a boquilha, que promove a compactação final da mistura e forma a geometria do produto.

O método de extrusão para criar o fibrocimento é inédito no Brasil.

"Quando se coloca a mistura dos componentes do fibrocimento na extrusora, a rosca sem fim faz a massa fluir sob pressão crescente através das câmaras, forçando-a sair no formato que se desejar, formando o fibrocimento", detalha.

O pesquisador diz que o método foi usado somente para fins acadêmicos, sem pensar em sua adequação para as indústrias, num primeiro momento. "A extrusora normalmente é utilizada na indústria de cerâmica. Na pesquisa, ela foi adaptada para produzir fibrocimento", acrescenta.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | belt buckles