sábado, 20 de novembro de 2010

Yale vai devolver relíquias de Machu Picchu ao Peru


REUTERS

O governo do Peru informou que a universidade norte-americana de Yale concordou em devolver milhares de artefatos retirados do sítio arqueológico de Machu Picchu no início dos anos 1900, encerrando um longo período de disputa.

De acordo com o Peru, cerca de 40 mil artefatos, incluindo jóias, ossos e cerâmica das ruínas montanhosas dos incas estão em poder da influente universidade norte-americana.

O presidente peruano, Alan García, disse na televisão estatal que ele negociou o acordo com a universidade e que as peças começarão a ser devolvidas a um dos principais pontos turísticos da América do Sul no início de 2011.

'O governo peruano está agradecido por essa decisão e reconhece que Yale conservou as peças, que poderiam ter parado em coleções particulares ou até se perdido, e reconhece as pesquisas realizadas nesses anos', disse ele na noite de sexta-feira. A Yale não se pronunciou sobre a notícia.

Os artefatos foram retirados do Peru depois que um pesquisador graduado em Yale, o explorador norte-americano Hiram Bingham, redescobriu Machi Picchu em 1911. O Peru alega que os objetos foram emprestados à universidade por 18 meses, mas que nunca foram devolvidos.

García enviou uma carta ao presidente norte-americano, Barack Obama, na semana passada pedindo ajuda para conseguir as peças de volta.

No reino do "Lulalá e nóis aqui ó ..." tudo vira história de terror, inclusive a suserana Dilma e seus três porquinhos:

O Pisseti, ex-secretário da Comunicação do Governo do Paraná, é condenado por improbidade administrativa






Do Blog Politica em Debate:


Segundo informações divulgadas pelo deputado estadual Marcelo Rangel (PPS) hoje, o ex-secretário de Estado da Comunicação Social no governo Requião, Airton Pisseti, foi condenado por improbidade administrativa na 1ª Vara Cível de Curitiba. Segundo decisão do juiz Luiz Henrique Miranda, Pisseti teria usado, em 2007, a estrutura pública do Estado para fazer ataques pessoais contra Rangel.

Na época, o deputado presidia comissão de investigação da Assembleia Legislativa que apurava denúncias de irregularidades na Comunicação Social do governo. Pisseti foi condenado à perda dos direitos políticos mais o pagamento de multa.

Crescimento dos países ricos deve diminuir em 2011



A Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Econômica (OCDE) espera que o crescimento do PIB médio de seus membros mais ricos caia de 2,8% em 2010 para 2,3% em 2011, antes de voltar a 2,8%, em 2012.


O crescimento nos Estados Unidos e no Reino Unido deve seguir esse padrão. Mas, para o Japão e a Alemanha, o crescimento em 2012 deve ser menor que o de 2011. A Austrália e a Polônia têm mais motivos para ficarem animadas. Seu crescimento deve aumentar nos dois próximos anos.


O gráfico abaixo mostra a expectativa de crescimento para 2011 e 2012 em 12 países da OCDE:

Juiz reabre caso Toninho do PT

Opinião e Notícias

José Henrique Torres não vê indícios que sustentem a tese de que Toninho estava 'no lugar errado e na hora errada'

O presidente do 1º Tribunal de Júri de Campinas, juiz José Henrique Torres, determinou a reabertura das investigações do assassinato em 2001 do então prefeito de Campinas, Toninho do PT, na saída de um shopping center da cidade.

Segundo o Ministério Público, Wanderson Nilton de Paula Lima, o Andinho, teria atirado contra Toninho porque seu carro teria “atrapalhado a fuga” da quadrilha do bandido.

Arma nunca foi encontrada

O juiz José Henrique Torres, no entanto, não vê indícios que sustentem a tese de que Toninho estava “no lugar errado e na hora errada”. A arma do crime, uma pistola de calibre 9 mm, jamais foi encontrada.

Andinho está preso, condenado a 400 anos de prisão por sequestros, extorsão e latrocínio. Ele confessou dezenas de crimes, mas nega que tenha matado Toninho do PT.

Motivação política

A viúva de Toninho do PT, Roseana Garcia, acredita que a morte de seu marido teve motivação política por “atrapalhar e desagradar interesses de muita gente”.

As investigações sobre a morte de Toninho do PT serão reabertas no momento em que acontece o julgamento dos réus pelo assassinato de um outro prefeito do PT, Celso Daniel, ex-prefeito de Santo André. O promotor do caso, Francisco Cembranelli, diz que o crime teve motivação política.


Relembrando:


Viúva de Toninho do PT reafirma que assassinato teve motivação política

FELIPE RECONDO/Folha Online

08/11/2005 - 13h16

Roseana Morais Garcia, a viúva de Antônio da Costa Santos, o Toninho do PT, repetiu nesta terça-feira que o assassinato de seu marido teve motivação política. Roseana, que presta depoimento na CPI dos Bingos, afirmou que Toninho do PT, quando estava à frente da Prefeitura de Campinas (95 km a noroeste de São Paulo), contrariou pelo menos 11 setores com negócios no município.

Disse também que, quando era vice-prefeito da cidade, Toninho do PT entrou com ações públicas contra o então prefeito Jacob Bittar em obras superfaturadas que ele via irregularidades.

Toninho do PT foi assassinado em setembro de 2001 quando dirigia seu carro, perto de um shopping da cidade.

Roseana, viúva de Toninho do PT, fala à CPI dos Bingos

Ainda na primeira parte de sua apresentação, Roseana afirmou que se assustou com a notícia da morte do legista Carlos Delmonte Pires, no último dia 12 de outubro. "Eu me assustei profundamente com a morte desse legista", afirmou, acrescentando que as pessoas envolvidas no caso estão morrendo. "Isto é um desespero."

Segundo Roseana, Delmonte fez o laudo de quatro pessoas assassinadas em Caraguatatuba (litoral norte de São Paulo) que foram apontadas como responsáveis pelo crime. A Polícia Civil encontrou disquetes com laudos do caso Toninho na casa dele.

Além de defender a tese de que a morte de seu marido teve motivação política, Roseana acredita haver um elo entre as mortes de Toninho do PT e Celso Daniel, prefeito de Santo André (Grande São Paulo) assassinado em 2002.

Emocionada, Roseana fez comentários sobre a morte do marido contendo o choro. Chegou a fazer algumas pausas para se recompor. "Hoje estou bem melhor, não conseguiria falar isso [no passado] sem chorar."

A viúva --que afirma já ter sofrido ameaças anônimas-- disse que Toninho pode ter sido morto por contrariar interesses de "grupos poderosos". Nos últimos dias, ela disse ter pedido que fosse realizada uma varredura em seus telefones por suspeitar que estavam "grampeados". O resultado da vistoria foi negativo.

Crime planejado

Para o relator da comissão, senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), as declarações de Roseana indicam que o assassinato de Toninho do PT foi planejado. "Tenho desconfiança de que esse crime também foi planejado", declarou, indicando que o assassinato de Celso Daniel também não foi um crime comum. "O que ela falou leva a isso."

O senador criticou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que ontem, em entrevista ao programa "Roda Viva", da TV Cultura, defendeu a tese de crime comum no caso de Celso Daniel. "O presidente, com a responsabilidade que tem, não deveria ter falado daquele jeito, se colocando contra a versão da família [de Celso Daniel]."

Segundo o líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), a Polícia Federal deverá entrar nas investigações de Toninho do PT a pedido do Conselho Nacional do Direito da Pessoa Humana.

Resposta

Em maio do ano passado, a viúva entregou um abaixo-assinado ao presidente Lula com cerca de 53 mil assinaturas, no qual solicitava a intervenção da Polícia Federal nas investigações. A viúva diz que não teve resposta sobre a solicitação.

Em uma nota divulgada no ano passado, a ONG "Quem matou Toninho?" afirmou que o "presidente Lula foi omisso" em relação ao caso. Garcia e a ONG não aceitam a versão da Polícia Civil de que o prefeito tenha sido assassinado porque seu carro atrapalhou a fuga da quadrilha do seqüestrador Wanderson Newton de Paulo, o Andinho --único sobrevivente da quadrilha.

Os outros quatro membros da quadrilha de Andinho acusados pela polícia de envolvimento no crime foram mortos pela Polícia Civil em uma ação em Caraguatatuba, dias após a morte de Toninho. O caso é investigado pelo Gaerco (Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado).

Com Folha de S.Paulo

Pesquisa revela altissima rotatividade no EMPREGO FORMAL

Empregos no Brasil duram menos de dois anos, diz pesquisa da UnB

40% das pessoas que trabalham com carteira assinada perdem o emprego todos os anos, uma taxa altíssima de rotatividade. 50% dos empregos duram menos de 24 meses; 25% duram menos de oito meses. Apenas 25% têm duração maior que cinco anos, segundo dados do Caged

Metade dos trabalhadores brasileiros fica menos de dois anos no mesmo emprego. Essa é uma das conclusões da pesquisa feita por Roberto Gonzalez, sociólogo e mestre em Sociologia pela Universidade de Brasília (UnB). A dissertação de mestrado Flexibilidade e Permanência - A Duração dos Empregos no Brasil foi defendida, no Departamento de Sociologia da instituição.

Gonzalez concentrou o levantamento nos trabalhadores de carteira assinada do setor privado. Ele calculou que 50% dos empregos duram menos de 24 meses; 25% duram menos de oito meses. Apenas 25% têm duração maior que cinco anos. Segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), 40% das pessoas que trabalham com carteira assinada perdem o emprego todos os anos, uma taxa altíssima de rotatividade.

Na defesa da dissertação, a professora Astrid Küchemann elogiou a habilidade do pesquisador em trabalhar com números, algo que estava em desuso na Sociologia nos últimos anos. Segundo ela, a análise quantitiva foi estigmatizada como uma abordagem positivista, mas Gonzalez soube trabalhar bem os dados. "Em alguns momentos, eu me senti como se estivesse lendo O Suicídio de Durkhein", compara a professora.

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | belt buckles