domingo, 28 de agosto de 2011

Enquanto o governador Sérgio Cabral delira com os bilhões que serão investidos no trem bala: Bonde de Santa Teresa tinha peça presa com arame

Engenheiros do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), que fizeram vistoria neste domingo no bonde que descarrilou ontem em Santa Teresa, constataram que, em vez de parafuso, um pedaço de arame prendia uma peça próxima a uma das sapatas de freio. Segundo o engenheiro Luiz Carlos Cosenza, a superlotação do bonde não seria o único motivo para o acidente que provocou cinco mortes e deixou 57 feridos. Ele alerta que o desgaste de peças e a falta de manutenção podem ter causado o descarrilamento.

Equipes do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) fizeram, pela manhã, a perícia do veículo e também constataram desgaste nas peças. Representantes da Agetransp, a agência reguladora de transportes do Rio, e da empresa que administra o bonde de Santa Teresa acompanharam o trabalho dos peritos na Rua Joaquim Murtinho. O tráfego de veículos na via é feito em apenas uma pista. Guardas municipais estão no local para orientar os motoristas.

A Associação de Moradores e Amigos de Santa Teresa (Amast) divulgou uma nota em seu site em que classifica o acidente como uma tragédia anunciada. A Amast culpa o governo do estado por omissão e descaso com o sistema de bondes no bairro. O secretário estadual de Transportes, Julio Lopes, que esteve ontem à noite no local do acidente, lamentou as mortes e anunciou a suspensão do serviço. Ele disse que só vai se pronunciar sobre as denúncias da associação após o resultado da perícia.

Moradores do bairro colocaram um pano preto no alto do muro em frente ao local do acidente para marcar o luto pelos mortos. Flores também foram deixadas perto do local. Os corpos de Nelson Correa da Silva, João Batista Soares e Ivone da Silva já deixaram o Instituto Médico-Legal, mas ainda estão lá os de uma turista do Rio Grande do Sul e de uma menina de 12 anos. De acordo com a Secretaria municipal de Saúde, 54 vítimas continuam internadas, entre elas cinco turistas (três franceses, um português e um inglês). Dez estão em estado grave.

Segundo o comandante do Destacamento de Bombeiros do bairro, Fábio Couri, quatro vítimas do acidente morreram na hora. Uma chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Entre os mortos, estava o motorneiro que conduzia o veículo e que, segundo testemunhas, estava fazendo aniversário.

Embora seja o mais grave, este não é o primeiro acidente com o transporte em Santa Teresa. Em junho, o turista francês Charles Damien Pierson morreu após despencar de um bonde que passava sobre os Arcos da Lapa. Ele viajava no estribo quando escorregou e caiu de uma altura de aproximadamente 15 metros.

Em 2009, a professora Andreia de Jesus Resende, de 29 anos, morreu e outras dez pessoas ficaram feridas após um bonde perder o freio numa ladeira de Santa Teresa e ser atingido por um táxi. Ao deixar o veículo em pânico, a professora foi atropelada por um ônibus. (O Globo)

Cem anos depois, sonda da Nasa confirma teoria de Einstein sobre o espaço-tempo

Quase cem anos depois, uma sonda espacial da Nasa, a agência espacial americana, confirmou previsões cruciais feitas pelo físico alemão Albert Einstein em 1915.

As observações da sonda de gravidade B (GP-B) comprovaram que a massa da Terra está muito sutilmente causando uma curvatura no tempo e no espaço ao seu redor, e até arrastando-os consigo.

Os cientistas conseguiram observar esses efeitos através do estudo do comportamento de quatro esferas super-precisas levadas dentro do satélite.

Os resultados foram publicados na revista científica Physical Review Letters.

Einstein

As confirmações das previsões de Einstein são significativas não apenas por comprovar uma vez mais a genialidade do cientista alemão, mas também por trazer instrumentos mais refinados para a compreensão da física que rege o cosmos.

As descobertas também representam o ápice de uma longa jornada para os líderes da missão, alguns dos quais dedicaram mais de cinco décadas à pesquisa.

Entre eles está Francis Everitt, o principal pesquisador da missão na Universidade de Stanford, que participou da concepção da sonda de gravidade B no fim dos anos 50.

"Completamos este experimento histórico, testando o Universo de Einstein - e Einstein sobrevive", disse ele.

A GP-B só foi lançada ao espaço em 2004 e desde então a missão da equipe é interpretar as informações e checar a correção das observações feitas.

Teorias confirmadas

O objetivo da sonda de gravidade B era confirmar duas importantes consequências da Teoria da Relatividade Geral, publicada por Einstein em 1915.

Foto: Katherine Stephenson, Stanford University e Lockheed Martin Corporation

A GP-B foi lançada ao espaço em 2004

As previsões descrevem a forma como o tempo e o espaço são distorcidos pela presença de enormes objetos como planetas e estrelas.

Uma delas é o efeito geodético - que trata da forma como a Terra curva o espaço-tempo - e a outra, o efeito de arrasto - sobre como a rotação da Terra distorce o espaço-tempo ao seu redor ao girar.

A sonda GP-B verificou ambos os efeitos medindo movimentos mínimos nos eixos de rotação de quatro giroscópios em relação à posição de uma estrela chamada IM Pegasi (HR 8703).

Precisão

Para garantir a precisão do experimento, as esferas tinham de ser resfriadas até quase o "zero absoluto" (-273ºC) e então colocadas para flutuar dentro de um recipiente a vácuo gigante, contendo hélio superfluido. Esta e outras medidas isolavam as esferas de qualquer distúrbio externo.

Se Einstein estivesse errado, os giroscópios deveriam ter girado sem a influência de forças externas (pressão, calor, campo magnético, gravidade e carga elétrica).

Mas como o físico alemão concluiu que o espaço-tempo ao redor da Terra é curvo e distorcido pelo movimento do planeta, os cientistas esperavam um desvio, apesar das grandes dificuldades em medi-lo.

Ao longo de um ano, o desvio previsto no eixo das esferas devido ao efeito geodético foi calculado na escala de apenas alguns milhares de miliarcosegundos. O efeito de arrasto deverá ser ainda menor.

"Um miliarcosegundo representa a largura de um fio de cabelo humano visto a uma distância de 16 quilômetros. É um ângulo extremamente pequeno e este é o grau de precisão que a sonda de gravidade B tinha de alcançar", explicou Everitt.

Tecnologia

A missão foi proposta inicialmente em 1959, mas teve de esperar vários anos para que a tecnologia necessária fosse inventada.

"A GP-B, apesar de simples conceitualmente, é um experimento extremamente complexo tecnologicamente", disse um ex-gerente de programas na GP-B, Rex Geveden.

"A ideia surgiu cerca de três ou quatro décadas antes que a tecnologia estivesse disponível para testes. Treze novas tecnologias foram criadas para a GP-B."

As inovações criadas para a missão levaram diretamente à melhoria do Global Positioning System (GPS) e ao sucesso de outras missões espaciais da Nasa. (BBC)

Avançado degelo do Ártico abre duas rotas navegáveis

PARIS - A cobertura de gelo marinho do oceano Ártico registrou níveis mínimos, segundo os dados divulgados nesta sexta-feira, 26, pela Agência Espacial Europeia (ESA), que revelam que pela segunda vez na história se abriu para navegação a Passagem do Noroeste, que se soma à Rota do Mar do Norte.

Diminishing Arctic sea ice

A abertura dessa passagem "pode ser um atalho para a navegação entre a Europa e a Ásia", embora "possam surgir reivindicações de soberania e a possibilidade de que espécies marinhas migrem através do Oceano", de acordo com os cientistas da ESA.

É a segunda vez que ambas as passagens se abrem no Ártico desde que começaram as observações científicas com satélites na década de 1970, da mesma forma que ocorreu pela primeira vez em 2008. Isto indica que "a velocidade com que o degelo é produzido se acelerou" e avança para níveis históricos, segundo os especialistas da ESA.

"Estamos em uma nova etapa, com muito menos gelo do que antes do verão", explica o pesquisador do Instituto Meteorológico Dinamarquês Toudal Pedresen, que afirma que nos últimos cinco verões foram observadas "as menores coberturas geladas nunca antes registradas".

Os cientistas temem que em poucas semanas o recorde de perda de gelo de 2007 seja batido, quando no mesmo oceano se abriu pela primeira vez uma passagem navegável e foram contabilizados apenas 4,2 milhões de quilômetros quadrados de água gelada, metade do início dos anos 1980.

Em 2007, aconteceu uma série de "condições meteorológicas incomuns", como a chegada de ventos quentes à região central do Ártico, provocando um "forte degelo".

"O clima não se comportou da mesma forma este ano, mas a adiantada abertura das vias de navegação sugere que poderíamos estar a ponto de bater um novo recorde de perda de gelo", acrescentam os cientistas da Agência Espacial Europeia. (Efe)


Chegou nas livrarias "A ÁRVORE DE IZAÍAS", livro de Fábio Campana




Paraná desperdiça a “eletricidade de cana”

O Paraná tem condições de erguer um parque gerador de energia de até 600 megawatts (MW) a partir da queima da biomassa (no caso, o bagaço) da cana-de-açúcar. Esse potencial, originado a partir de uma fonte renovável de energia, equivale a pouco menos da capacidade de uma turbina de Itaipu – cada uma das 20 máquinas da usina tem 700 MW – e poderia gerar eletricidade suficiente para as cidades de Curitiba e São José dos Pinhais, que juntas têm cerca de 2 milhões de habitantes.

O setor sucroalcooleiro do estado, entretanto, ainda não se preparou para aproveitar esse tipo de geração. Apenas seis das 30 usinas em operação no Paraná produzem, a partir da biomassa, mais energia elétrica do que consomem, vendendo o excedente para a rede de distribuição. Em 2010, as usinas do grupo Alto Alegre (nas cidades de Santo Inácio e Colorado) e as do Santa Terezinha (em Paranacity, Itapejara, Cidade Gaúcha e Terra Rica) geraram 1,2 mil megawatts-hora (MWh), revendendo aproximadamente um terço dessa energia para distribuidoras.

Segundo o superintendente da Associação dos Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar), José Adriano da Silva Dias, a falta de capital é o principal entrave para novos investimentos na geração de energia – os atuais equipamentos são capazes de gerá-la, mas são antigos e pouco eficientes.

“O bagaço, que era um resíduo, hoje é um subproduto. Mas para produzir energia é preciso readequar as fábricas [usinas]. O aumento na eficiência é para fazer sobrar bagaço e poder gerar energia excedente, mas isso tudo é investimento, e cada usina tem uma capacidade de endividamento diferente”, explica. Segundo Dias, alguns grupos acabam optando por investir o capital disponível para outras finalidades, como o aumento da área plantada ou outros equipamentos.

“É [necessário] muito dinheiro, esse é o problema. Para assinar um projeto desses há uma série de exigências, como capacidade de endividamento e de moagem de cana, para tornar o projeto viável. Vai da prioridade de cada um”, resume.

O potencial de energias renováveis para o setor de cana no Paraná foi calculado com base na safra de 2009 pela Diretoria de Engenharia da Companhia Paranaense de Energia (Copel). No início deste ano, a empresa abriu uma chamada pública para exposição de projetos de geração de energias renováveis – biomassa, eólica e pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) – nos quais a companhia poderia se tornar sócia.

Há cerca de três meses, durante uma conferência com analistas e investidores, o presidente da Copel, Lindolfo Zimmer, revelou que a empresa tem em mãos “mais de uma centena de proposições” para projetos de parcerias. Mas a empresa disse que não poderia, por regras de mercado, informar quantos projetos são de biomassa. (GP)

Cérebro humano serve de modelo para microchip da IBM

A empresa IBM se espelhou na natureza para criar dois chips minúsculos. Segundo a empresa, os microchips cognitivos foram inspirados no cérebro humano e são capazes de reproduzir a complexidade de conexões do mesmo.

Os chips foram capazes de jogar Pong (antigo jogo eletrônico, que simula tênis de mesa) e identificar dígitos — tarefas já feitas por outros computadores antes. A diferença é que eles não precisaram ser programados para cada uma das atividades. A tecnologia pode até mesmo “aprender” a completar tarefas.

Os neurônios são compostos por uma parte chamada de axônio, responsável por enviar os sinais do sistema nervoso, e por outra chamada de dendrito, que é a parte receptiva da célula nervosa. As informações são passadas de um neurônio a outro por meio das sinapses — que são feitas sem os neurônios se encostarem, através de neurotransmissores.

Já os minúsculos chips da IBM são compostos de 256 fios paralelos semelhantes aos dendritos. A “fenda sináptica”, espaço entre os neurônios, são transistores de 45 nanômetros — 1 nanômetro equivale a um bilionésimo do metro. Os transistores atuam como a memória do chip. Um dos chips tem 263.144 transistores, o outro tem 65.536.

Os novos chips usam menos energia do que os convencionais. Isso porque os fios e transistores estão mais próximos do que nos computadores comuns. O objetivo da IBM é construir um supercomputador do tamanho de uma caixa de sapato. Ele teria o equivalente a 10 bilhões de neurônios, 100 trilhões de sinapses e consumiria 1 kilowatt de potência.

Enquanto um computador comum consome apenas centenas de watts, um supercomputador tradicional usa centenas de kilowatts. O cérebro humano, porém, consegue ser ainda mais eficiente: com 100 bilhões de neurônios e 100 trilhões de sinapses, ele consome apenas 20 watts.

A produção dos chips é patrocinada pela Agência de Projetos de Pesquisa Avançados em Defesa dos Estados Unidos (Darpa). (ON)

Casais de aves do mesmo sexo podem ter relação estável, aponta estudo

Uma nova pesquisa aponta que pares de aves do mesmo sexo têm relacionamentos tão estáveis e duradouros como os casais de pássaros do sexo oposto.

Pesquisadores analisaram o comportamento dos mandarins - Julie Elie
Julie Elie
Pesquisadores analisaram o comportamento dos mandarins

Os cientistas da Universidade da Califórnia Berkeley e da Universidade Saint-Etienne, na França, analisaram o comportamento de mandarins (Taeniopygia guttata), aves canoras que cantam para seus parceiros, em um hábito apontado como algo que fortalece o relacionamento do casal.

Segundo os pesquisadores, pares formados por aves do mesmo sexo cantam e cuidam um dos outro da mesma forma que os casais formados por aves do sexo oposto.

A pesquisadora americana Julie Elie, que liderou o estudo, afirma que os resultados mostram que "relacionamentos entre animais podem ser mais complexos do que apenas um macho e uma fêmea que se encontram e se reproduzem".

Elie e os outros pesquisadores da equipe se interessaram pelo comportamento dos mandarins, pássaros que estabelecem relacionamentos que duram a vida toda e são muito sociais.

Os machos cantam para os parceiros, e os pássaros alisam as penas uns dos outros, além de dividir um ninho. "Eu me interesso em como eles estabelecem os relacionamentos e como usam a comunicação acústica em suas interações sociais", disse Elie à BBC.

"Minhas observações me levaram a um resultado surpreendente: indivíduos do mesmo sexo também interagem de uma forma associativa, como pares de machos e fêmeas", afirmou.

O estudo foi publicado na revista especializada Behavioural Ecology and Sociobiology.

Observação

Julie Elie e seus colegas de pesquisa, Clementine Vignal e Nicolas Mathevon, da Universidade de Saint-Etienne, criaram jovens mandarins em grupos do mesmo sexo. Mais da metade dos pássaros formaram pares com outra ave.

A equipe então monitorou os pássaros para captar sinais de que os pares estavam totalmente ligados.

Segundo Elie, pares de aves que formaram casais ficavam lado a lado e faziam ninhos juntos. Eles também se cumprimentavam tocando os bicos.

No estágio seguinte da pesquisa, os cientistas introduziram fêmeas nos grupos de pares de machos. De oito machos que já tinham formado casais do mesmo sexo, cinco ignoraram completamente as fêmeas e continuaram interagindo com o parceiro macho.

Segundo os pesquisadores, as descobertas indicam que, mesmo entre aves, o impulso para encontrar um parceiro é bem mais complicado do que simplesmente a necessidade de reprodução.

"O relacionamento de um par entre espécies socialmente monogâmicas representa uma parceria cooperativa que pode dar vantagens para a sobrevivência. Encontrar um parceiro social, não importa seu sexo, pode ser uma prioridade", diz a cientista.

Outros exemplos

Além dos mandarins, existem outros exemplos de casais do mesmo sexo entre aves.

Entre gaivotas e albatrozes monogâmicos, este tipo de relacionamento dá às fêmeas a chance de criar filhotes sem um parceiro macho.

"Fêmeas copulam com machos, e então criam os filhotes juntas", afirma a pesquisadora Julie Elie.

Em cativeiro, ocorreram pelo menos dois casos de pinguins machos formando relacionamentos longos entre si quando existiam fêmeas disponíveis.

Talvez o caso mais famoso seja o de dois pinguins machos, Roy e Silo, do zoológico do Central Park, de Nova York. Eles formaram um casal e não deram atenção para nenhuma fêmea durante pelo menos um ano.

Eles até construíram um ninho juntos e chocaram um ovo doado a eles por um dos tratadores. (BBC)

Gleisi espera que denúncias contra ela e Bernardo não reflitam disputa política

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, disse neste sábado (27), em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, esperar que as denúncias que têm envolvido seu nome e o de seu marido, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, não tenham relação com a política regional do Paraná. O PT enfrenta uma divisão em suas próprias fileiras em relação ao apoio que será dado nas eleições municipais do próximo ano. Enquanto alguns defendem candidatura própria, outros, entre eles comenta-se que está Bernardo, estariam propensos a dar apoio ao ex-deputado Gustavo Fruet (sem partido).

"Acredito que seja questão de política, mas espero que não seja. Sinceramente", disse a ministra. "Estamos tentando fazer o melhor trabalho, representar bem o Paraná e fazer com que as coisas caminhem." Gleisi também é cotada para possível candidata ao governo do Estado em 2014. Ela esteve no município para inaugurar o Residencial Arvoredo, um conjunto com 248 casas do programa Minha Casa Minha Vida. Enquanto a entrevista versava sobre o programa, Gleisi entusiasmou-se acentuando esperar que seja superada a meta de 2 milhões de casas.

No entanto, quando os repórteres tocaram nos assuntos que agitam Brasília, os assessores já começaram a encerrar a entrevista. Ela respondeu apenas sobre a sua saída da Hidrelétrica Itaipu Binacional, afirmando ter procurado a Procuradoria Geral da República (PGR), a fim de receber uma orientação. Sobre a possibilidade de restituir os valores do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), ela ressaltou que aguarda orientação da PGR.

Gleisi citou o diretor-geral da binacional, Jorge Samek, que disse ter sido ele o responsável pela exoneração. "Recebi meus direitos de verbas rescisórias", acentuou. Mas, depois que a informação veio a público, ela afirmou ter falado com o procurador Roberto Gurgel. "Procurei a procuradoria para explicar a situação em que houve a exoneração e me coloquei à disposição para fazer esclarecimentos e também que me oriente em relação a essa situação", disse. "Mas estou muito tranquila." (AE)


Unesco tenta proteger as relíquias no sítios arqueológicos da Líbia

A Unesco fez um apelo ontem para que rebeldes líbios, forças aliadas ao ditador Muamar Kadafi e mesmo tropas estrangeiras protejam os diversos sítios arqueológicos ainda preservados na Líbia. A preocupação da entidade é a de que verdadeiras organizações criminosas internacionais aproveitem o caos para roubar peças de um valor incalculável, além de que artefatos sejam destruídos em meio ao caos dos combates.

No Egito, a queda do presidente Hosni Mubarak foi seguida pelo desaparecimento de mais de mil peças de antiguidade dos museus nacionais, muitas das quais ainda não foram recuperadas. O mesmo ocorreu na invasão do Iraque, em 2003, e no Afeganistão, em 2001.

Agora, a agência da ONU que cuida da preservação de patrimônios culturais não quer que o mesmo ocorra na Líbia, que abriga um verdadeiro museu a céu aberto com peças bizantinas, romanas, gregas e fenícias.

"A herança de uma nação é essencial, assim como a capacidade de seus cidadãos de preservar sua identidade e autoestima, para construir um futuro melhor", disse ontem a diretora-geral da Unesco, Irina Bokova.

O território líbio conta com cinco sítios arqueológicos considerados Patrimônio da Humanidade. Um dos locais que preocupa a Unesco é a cidade de Sabratha, com mais de 2 mil anos. Ela abriga um dos sítios arqueológicos mais bem preservados para o estudo da Antiguidade e inclui um teatro romano, fórum e outros edifícios, como um templo a Dionísio.

A cidade, declarada Patrimônio da Humanidade em 1982, foi liberada pela oposição há dias e um dos primeiros símbolos destruídos foi uma bandeira do regime de Kadafi.

Outro ponto crítico é a cidade romana de Leptis Magna, a leste de Trípoli, que também caiu na semana passada nas mãos dos rebeldes. Na luta pelo controle do local, a Unesco diz ter recebido informações de que alguns edifícios antigos foram atingidos.

Aberto ao público. A entidade, no entanto, não esconde que espera que, caso a democracia seja instalada no país, o acesso a esses locais seja facilitado.

Durante o regime de Kadafi, parte dessa história foi ignorada pelo governo, que chegava a restringir a entrada de pesquisadores estrangeiros.

"Peço a todos na Líbia, nos países vizinhos e todos os envolvidos no mercado internacional de arte e antiguidades que façam o que estiver a seu alcance para proteger a herança cultural da Líbia, de valor inestimável", disse Bokova.

Ontem, a Unesco entrou em contato com os países vizinhos da Líbia para pedir colaboração na repressão contra a exportação ilegal de bens culturais. "A experiência nos mostra que, em tempos de caos social, há uma ameaça séria aos bens culturais de um país ", afirmou a diretora-geral. (AE)


Risco de saque ameaça obras de arte do país


Obras de arte que vão do Neolítico à Idade Moderna e são parte do patrimônio cultural mundial estão à mercê de saqueadores em Trípoli. A constatação foi feita pela reportagem do "Estado", que entrou sem dificuldade no Museu de Trípoli após rastejar por uma grade que isola o prédio, no centro da capital.

Sem vigilância, basta empurrar uma das portas principais para ter acesso a obras de arte que fazem parte da história da humanidade. As peças estão no interior de um dos prédios do antigo Palácio Real de Trípoli. Entre os apreciadores de arte, o museu é conhecido como um dos mais importantes do país, apesar de suas dimensões reduzidas.

Algumas delas reconstituem a história da Líbia e de sua relação com Roma - mais do que terem sido parte do Império Romano, os líbios chegaram a fazer um imperador, Flavius Libius Severus Serpentius, que governou o Império Romano do Ocidente entre 461 e 465. Dessa época, há estátuas e mosaicos retirados de Leptis Magna, Oea (hoje Trípoli) e Sabratha.

No interior do prédio, a reportagem verificou que o museu foi usado até recentemente como acampamento militar. Há pares de coturnos em diversas galerias e colchões no chão em salas administrativas. Além disso, o ar-condicionado central e a eletricidade seguiam em funcionamento, sinal de que um gerador de energia continua intacto, já que a capital está sem luz.

Outro que também corre perigo é o Museu de Jamahiriya, organizado com o apoio da Unesco. A instituição abriga tesouros da Idade Antiga, quando a Líbia concorria pela hegemonia da região com o Egito. Um dos mais impressionantes objetos expostos é o Mausoléu de Ghirza, além de peças preciosas do Império de Garamantian, que ajudam a explicar a história e a cultura dos povos que hoje formam a Líbia.

Há também objetos de arte de fenícios e cartagineses, da transição da era cristã do Império Bizantino para a islâmica, além de um andar dedicado à cultura islâmica. No terceiro piso, há artefatos de diferentes povos contemporâneos da Líbia. Já o quarto destoa do restante: é um tributo a Muamar Kadafi.

Até agora, nenhuma autoridade do Conselho Nacional Transitório (CNT) foi designada para administrar o patrimônio histórico. A preocupação maior em Trípoli é com as ruínas das cidades de Sabratha e Leptis Magna, que constituem a parte mais importante do legado da era romana no país.

Em Trípoli, o patrimônio arquitetônico histórico não teria sido atingido pelos bombardeios da Otan, que, desde março, atingem a capital da Líbia. (AE)

CID GOMES ESTÁ COM MEDO DO POVO??? Cid Gomes transforma 40 quarteirões em volta de palácio em área de segurança


O governo do Ceará conseguiu aprovar nesta semana um projeto na Assembleia Legislativa tornando área de segurança permanente 40 quarteirões no entorno do local onde o governador Cid Gomes(PSB) trabalha e mora com a família. Com isso, a Casa Militar poderá fechar essa área sempre que julgar necessário e sem aviso prévio aos moradores. Vizinhos, a Residência Oficial e o Palácio da Abolição estão localizados no bairro Meireles, em uma região residencial e com intenso fluxo de veículos.

O quadrilátero delimitado pelo governo abrange as avenidas Abolição e Rui Barbosa e as ruas Costa Barros e Nunes Valente. As três primeiras são vias movimentadas da capital cearense por ligarem o centro aos bairros Meireles e Aldeota, na área nobre da cidade.

A nova lei autoriza a Casa Militar a desviar o trânsito da área e restringir o acesso às vias do entorno quando entender que a segurança do governador pode estar em perigo. Contudo, o governo não especifica nenhuma situação em que esse isolamento possa acontecer. O modo como isso será feito e como serão tratadas as pessoas que residem e trabalham na vizinhança é outra lacuna deixada pelo projeto encaminhado ao Legislativo e aprovado pelos deputados.

O governo

Segundo a assessoria do governo, a área de segurança permanente já existia na prática. A lei apenas consolidaria o procedimento adotado pela segurança do governador, como no caso de uma manifestação que ofereça algum tipo de risco.

Recentemente a Casa Militar adotou essa medida para conter os professores da rede estadual de ensino, que estão em greve. No último dia 19, quando a categoria realizou um ato em frente ao Palácio da Abolição, o entorno do prédio foi isolado pela Polícia Militar e pela Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania (AMC). O trânsito foi desviado e até os transeuntes foram impedidos de passar pelo local. Não houve confronto, mas o Batalhão de Choque foi chamado.

O governador Cid Gomes transferiu a sede para o Palácio da Abolição recentemente. Durante todo primeiro mandato, ele despachou no Palácio Iracema, para onde a sede foi transferida em 2003 pelo seu antecessor o ex-governador Lúcio Alcântara (PR).

A antiga sede do Executivo cearense era resguardada por um decreto de lei de conteúdo semelhante ao da mensagem em questão. Contudo, a área de segurança era bem menor. Além disso, o Palácio tem como “quintal” o Parque do Cocó. No início deste ano, quando Cid se mudou para a nova sede, chegou a declarar que a anterior “era um local pesado, carregado”.

Críticas

Lúcio Alcântara, adversário político dos irmãos Ferreira Gomes, afirmou à reportagem do iG que Cid Gomes demonstra ter uma “obsessão por segurança”. “Mesmo quando ele era prefeito do município de Sobral já era assim. Muitos seguranças. Uma guarda ostensiva e desproporcional”, avaliou. “Durante meus quatro anos de governo vivi na minha residência particular com minha família e nunca sofri um constrangimento. E olha que havia oposição”, comparou.

O ex-chefe da Casa Militar, coronel Zenóbio Alcoforado, reconhece a necessidade de se criar uma área de segurança como precaução, mas acredita que houve “exagero” em relação ao tamanho do quadrilátero que foi estabelecido. “Isso é normal com qualquer chefe de Estado, mas como aquela é uma região residencial, uma área tão grande pode causar algum tipo de transtorno para a população. Tem que ter bom senso”, critica. (iG)


Furacão chega a NY; costa leste dos EUA fica em estado de emergência

O furacão Irene atingiu a cidade de Nova York neste domingo com ventos fortes e chuva torrencial, o que levou a ameaça de enchentes no distrito financeiro da cidade. O sistema de transporte foi fechado e o prefeito, Michael Bloomberg, afirmou que agora é muito tarde para as pessoas deixarem suas casas.

Cerca de 370 mil habitantes das áreas mais baixas de Nova York receberam ordens para sair de suas residências. Mas o prefeito de Nova York alertou que, aqueles que insistiram em ficar, devem permanecer em suas casas. "O tempo para a evacuação acabou. Neste momento, se você não foi embora, nossa sugestão é que você fique onde está. A natureza é muito mais forte do que nós", disse.

O temor é que a tempestade afete o rio Hudson, o que pode causar a inundação das barragens da parte baixa de Manhattan e uma enchente em Wall Street, o distrito financeiro. Sacos de areia foram colocados em volta das entradas do metrô e todos os trabalhos de construção foram suspensos na cidade inteira.

Cerca de dois milhões de pessoas na costa leste dos Estados Unidos estão sem energia elétrica. O Irene já tinha atingido os Estados americanos da Carolina do Norte e da Virgínia, causando danos e a morte de pelo menos oito pessoas. O olho da tempestade, com ventos de até 120 quilômetros por hora, deve atingir Nova York nas próximas horas.

O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos informou que, na madrugada deste domingo o Irene se movia pela costa de Nova Jersey, a 185 quilômetros de Nova York.

O Irene já levou 30 centímetros de chuva na Carolina do Norte e Virgínia. A região atingida pelo furacão, a nordeste, é a área mais habitada dos Estados Unidos com mais de 65 milhões de pessoas vivendo em cidades como Washington, Baltimore e Nova York.

Costa leste em estado de emergência

Scott Snyder, da Cruz Vermelha dos Estados Unidos, disse à BBC que cerca de 13 mil pessoas estão nos 150 abrigos da Cruz Vermelha mantidos na costa leste.

Foi declarado estado de emergência desde Virginia até Massachusetts, passando por Maryland, Nova Jersey, Nova York, Connecticut e Rhode Island, para que o governo preste socorro as áreas mais afetadas.

Os aeroportos John F. Kennedy e La Guardia, de Nova York, além do Newark em Nova Jersey, foram fechados. Foram cancelados cerca de 8 mil voos.

Um reator nuclear em Maryland foi desligado automaticamente depois que um grande pedaço de alumínio, levado pelo vento, entrou em contato com o principal transformador da usina.

O presidente americano, Barack Obama, interrompeu suas férias para supervisionar os preparativos para a passagem do furacão. O correspondente da BBC em Washington, David Willis, afirmou que Obama está tentando evitar as críticas que cercaram a ação do governo federal há seis anos, quando o furacão Katrina atingiu Nova Orleans.

A Amtrak, a rede ferroviária dos Estados Unidos, anunciou que o cancelamento de seus serviços entre Washington e Boston. A companhia também já tinha suspendido operações ao sul do Estado da Virgínia.

O Pentágono carregou 200 caminhões com suprimentos de emergência e 100 mil soldados da Guarda Nacional estão de prontidão.

Mortes

Pelo menos oito pessoas já morreram devido aos efeitos do furacão Irene nos EUA. No Estado da Virginia, um garoto de 11 anos omrreu ao ter sua casa atingida por uma árvore, enquanto na Carolina do Norte, uma outra criança morreu em um acidente de carro - o cruzamento de trânsito teve os semáforos apagados.

Quatro pessoas morreram em decorrência de quedas de árvores, duas em Virginia, uma na Carolina do Norte e a última em Maryland. Na Flórida, um surfista e um banhista morreram ao serem pegos por ondas gigantes. (iG)


Juíza critica réu e defesa por postura no Júri

Uma juíza, que presidia o Júri de um homem acusado de homicídio, não conteve sua indignação ao ver o réu e a defesa tentando demonstrar que o crime não passou de uma reação à forte emoção provocada pelo fato de a vítima, um rapaz de 26 anos, conversar com a ex-namorada do agressor. “O macho alfa não suportou a dor e a vergonha de perder seu patrimônio. Ao menos, foi isso que buscou a defesa ver nos olhos e corações dos senhores jurados”, escreveu a juíza Simone de Faria Ferraz, do 1º Tribunal de Júri do Rio de Janeiro.

Segundo a juíza, com a decisão, que considerou o réu culpado pelo homicídio, os jurados afastaram a “licença para matar, para lavar a alma, a malsinada dor do traído”. Ela também criticou a postura da defesa e do réu de atacar a figura da ex-namorada do condenado. “Para a defesa, a ex-namorada do assassino deveria sentar com ele no banco dos réus. Feiticeira essa moça, lançou suas magias e transtornou o pobre réu”, ironizou.

“Somos um povo de rincões, de coronéis donos de vacas e mulheres. Somos um povo de proprietários de escravas que servem somente para saciar os desejos de seu macho. Seu dono. Somos uma gente de baixa estima quando não gritamos para que todos ouçam que evoluímos. Os direitos são iguais”, disse, ainda, a juíza Simone Ferraz.

O Júri, presidido por ela na última segunda-feira (22/8), diz respeito a um assassinato que aconteceu em novembro de 2002 e que ganhou destaque por envolver uma conhecida família do sul fluminense. O Ministério Público e o Tórtima Advogados Associados, que atuou como assistente de acusação, conseguiram provar que Joubert Eduardo de Souza foi o autor do crime que vitimou o arquiteto Rodolfo Gigante Iannuzzi.

De acordo com a acusação, o arquiteto conversava com a ex-namorada de Joubert de Souza em um baile à fantasia. Foi quando o rapaz deu um soco no arquiteto e disparou quatro tiros contra ele. Durante o julgamento, frisou a juíza, o réu confessou ter disparado os tiros. No caso, a juíza não reconheceu a confissão como atenuante, já que, segundo ela, a declaração de ter sido o autor dos disparos foi para tentar diminuir a pena. “Logo, o que se vê é que não há que se falar em confissão pura e, sim, o que sobressai das palavras do réu é a confissão qualificada”, concluiu.

O réu, condenado a 17 anos de prisão, poderá recorrer em liberdade. A juíza levou em consideração o fato de que, após obter Habeas Corpus por excesso de prazo da prisão cautelar, não se furtou aos atos processuais. Ele foi condenado com base no artigo 121, incisos II e IV, do Código Penal, ou seja, por ter matado por motivo fútil e de modo a não permitir que a vítima se defendesse. (Conjur)

Leia a decisão

COMARCA DA CAPITAL
JUÍZO DE DIREITO DA 1ª VARA CRIMINAL
I TRIBUNAL DO JÚRI
Processo nº 2002.033.000616-6
Acusado: JOUBERT EDUARDO DE SOUZA

S E N T E N Ç A

Vistos, etc.

JOUBERT EDUARDO DE SOUZA, qualificado nos autos, restou denunciado e pronunciado, dado como incurso nas penas do artigo 121, § 2º, incisos II e IV, do Código Penal. O feito foi relatado conforme relatório acostado aos autos e entregue aos Jurados.

O Ministério Público sustentou integralmente a acusação contida na denúncia e na pronúncia.

A Defesa sustentou a tese da existência da figura do crime de homicídio privilegiado nos moldes do art. 121, § 1º do Código Penal sob o fundamento da violenta emoção, logo em seguida a injusta provocação da vítima. No mais, buscou ver aplicada ao caso dos autos duas atenuantes, quais, a menoridade penal à época da prática delituosa e a confissão espontânea do réu.

Realizado o Julgamento nesta data, por maioria de votos os Senhores Jurados reconheceram a materialidade delitiva, em seguida, em reposta ao segundo quesito, afirmaram a autoria. Em resposta ao terceiro quesito, obrigatório, manifestaram-se negativamente. Prosseguindo, os Senhores Jurados afastaram a tese sustentada pela Defesa, não acolhendo, pois, a configuração do homicídio privilegiado.

Após, e, sempre por maioria de votos reconheceram a qualificadora subjetiva, qual da prática em virtude de motivo fútil. Reconheceram, ainda, os Senhores Jurados, a qualificadora respeitante ao emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima.

Por fim, os Senhores Jurados votaram positivamente quanto ao quesito respeitante ao falso testemunho.

Posto isto, os Senhores Jurados, Juízes Naturais da Causa, julgaram PROCEDENTE, a pretensão estatal, pelo que declaro o réu JOUBERT EDUARDO DE SOUZA CONDENADO nas penas do artigo 121, § 2º, incisos II e IV, do Código Penal.

Antes de passar a dosimetria da pena forçoso é tecer algumas considerações. O que se viu hoje neste Sagrado Plenário do Júri foi a tentativa de restabelecer a fogueira de Joana D`Arc. Buscou a Defesa Técnica e mesmo o réu, destruir a figura da senhora Ana Júlia, asseverando um suposto desvalor moral. Para a Defesa a ex-namorada do assassino deveria sentar com ele no banco dos réus. Feiticeira essa moça, lançou suas magias e transtornou o pobre réu. Somos um povo de rincões, de coronéis donos de vacas e mulheres. Somos um povo de proprietários de escravas que servem somente para saciar os desejos de seu macho. Seu dono. Somos uma gente de baixa estima quando não gritamos para que todos ouçam que evoluímos. Os direitos são iguais. Ocorre que foi o réu quem desferiu tiros em seu concorrente. O macho alfa não suportou a dor e a vergonha de perder seu patrimônio. Ao menos, foi isso que buscou a Defesa ver nos olhos e corações dos Senhores Jurados. Os Senhores Jurados, soberanos em seus votos afastaram a ´licença para matar, para lavar a alma, a malsinada dor do traído.

Postas tais considerações, atenta às diretrizes do artigo 59 e 68 do Código Penal, passo a fixação da pena. De plano constato que o réu não apresenta outras anotações em sua folha de antecedentes criminais diversa da que originada dos presentes autos. A conduta do réu não ultrapassa a normal perpetrada em crimes de homicídio duplamente qualificados. Não há notícia nos autos respeitante a conduta social do réu. Ausente pois, qualquer laudo ou estudo social que aponte um desregrar excessivo, tenho que a conduta social do réu deve ser tida por normal.

No que tange as conseqüências do crime perpetrado, uma fala chama a atenção desta Julgadora. Com todas as tintas a genitora da vítima, rapaz de boa índole, como sustentado, inclusive pela Defesa, de futuro promissor, afirmou com lágrimas nos olhos - ´minha família foi destruída´. Ainda, fez questão de informar que o golpe da morte prematura e brutal de seu filho, importou na enfermidade do avô protetor, amigo e amado. Ora, não há como fazer olhos frios às conseqüências nefastas de tão hediondo crime. Desta forma, presentes duas qualificadoras fixo à pena-base em 18 (dezoito) anos de reclusão.

Na segunda fase de aplicação da pena, constato a presença da atenuante obrigatória da menoridade penal do réu à época dos fatos. Assim, opero a redução de 01 (um) ano.

No que tange ao pleito de reconhecimento da confissão, ao contrário do sustentado pela Defesa, as palavras do réu não lhe socorrem. Ora, o réu, de fato afirmou ter sido o autor dos disparos de arma de fogo, contudo, demonstrou com suas palavras a vontade e tentativa de ver diminuída a reprimenda legal. Logo, o que se vê é que não há que se falar em confissão pura e, sim, o que sobressai das palavras do réu é a confissão qualificada.

Destarte, deixo de reconhecer a atenuante disposta no art. 65, inciso III, alínea ´d´. E nesse sentido a Jurisprudência de Nosso Egrégio Tribunal:

0018347-89.2005.8.19.0038 - APELACAO DES. CLAUDIO DELL ORTO - Julgamento: 25/07/2011 - PRIMEIRA CAMARA CRIMINAL APELAÇÃO CRIMINAL. HOMICÍDIO DUPLAMENTE QUALIFICADO - ART. 121 § 2º, II E IV, DO CP. Motivo fútil reconhecido pelo Conselho de Sentença. CONFISSÃO QUALIFICADA - não incidência da atenuante genérica referida no art. 65, III, 'd', do CP. Condenação em custas - competência para execução do Juízo da Execução Penal (Súmula 74, do TJRJ). RECURSO DESPROVIDO.

0009626-48.2009.8.19.0026 - APELACAO DES. M.SANDRA KAYAT DIREITO - Julgamento: 14/06/2011 - QUARTA CAMARA CRIMINAL EMENTA: APELAÇÃO TRIBUNAL DO JÚRI - ART. 121, §2º, INCISOS II E IV C.P. REJEITADAS AS PRELIMINARES DE NULIDADE DO JULGAMENTO POR FALTA DE QUESITAÇÃO E DE NULIDADE DA SENTENÇA, POR VÍCIO NA APLICAÇÃO DA PENA - NO MÉRITO, PENA CORRETAMENTE FIXADA, NÃO HAVENDO COMO REDUZÍ-LA AO PATAMAR MÍNIMO, EM RAZÃO DAS CIRCINSTÂNCIAS JUDICIAIS E DA IDADE DA VÍTIMA - CONFISSÃO PARCIAL ¿ IMPOSSIBILIDADE DE RECONHECIMENTO DA ATENUANTE ¿ LEGÍTIMA DEFESA SUSTENTADA PELO APELANTE QUE VISA O BENEFÍCIO PRÓPRIO NA TENTATIVA DE CONFUNDIR OS JULGADORES. As preliminares argüidas pela defesa não merecem acolhida, eis que as nulidades verificadas pelas partes na formulação dos quesitos devem ser argüidas de plano e a defesa do apelante quedou-se inerte, não se manifestando no momento oportuno, conforme se depreende da ata de julgamento. Em sendo assim, operou-se o fenômeno da preclusão e em sede de apelação não cabe tal pleito. Demais disso, após a reforma trazida pela Lei 11.689/08, todas as teses defensivas estão concentradas em uma única indagação, ou seja, no quesito o jurado absolve o acusado? A não argüição da nulidade na assentada de julgamento convalida os atos processuais praticados. Um conjunto de circunstâncias judiciais desfavoráveis levou o magistrado a exacerbar a pena-base em cinco anos, quais sejam: maus antecedentes, a sentença transitada em julgado por receptação qualificada, conduta social manifestamente inadequada e as duas qualificadoras reconhecidas em plenário. Em se tratando de homicídio, segundo a corrente majoritária da doutrina e jurisprudência, todas as qualificadoras devem ser analisadas no momento da fixação da pena-base, tudo isso em observância ao que determina o artigo 59 do Código Penal, que não exige especificação do quantum para cada uma das aludidas circunstâncias. No mérito, melhor sorte não socorre à defesa, já que a exasperação da pena-base foi muito bem fundamentada, com base na reprovabilidade do crime, na sentença penal condenatória com trânsito em julgado, que aponta os maus antecedentes do apelante, sua conduta social, voltada para a prática de crimes, sua personalidade deturpada e na motivação fútil do delito, que ocorreu por insatisfação em negócio que envolvia duas motocicletas. Na segunda fase de dosimetria, a pena foi elevada em um ano, em razão da idade da vítima, que era pessoa maior de sessenta anos, não tendo a defesa questionado a agravante em nenhum momento antes das razões da apelação. O apelante maneja a confissão, visando ser beneficiado legalmente com ela, para alcançar o reconhecimento da legítima defesa. Assim, não há como considerar a aludida confissão como espontânea, sincera e desejada em seu íntimo. DESPROVIMENTO DO APELO.

Ante a ausência de outras modificadoras, fixo a pena definitiva em 17 (dezessete) anos de reclusão. O regime inicial de cumprimento da pena será o fechado. Poderá o réu recorrer em liberdade vez que após ser solto por acórdão da Lavra do Eminente Desembargador Geraldo Prado, no qual restou reconhecido o excesso da constrição cautelar do réu, este, não se furtou aos atos processuais.

Sem custas.

Operando-se o trânsito em julgado, anote-se e comunique-se. Lance-se o nome do réu no rol dos culpados e expeça-se carta de sentença ao Juízo das Execuções Penais.

No que tange à testemunha Antonio Laranja Fernandes, extraia-se peças ao MP para apuração de eventual prática de crime de falso testemunho.

Publicada em plenário, intimadas as partes, registre-se. Sala das Sessões de Julgamento do II Tribunal do Júri - Comarca da Capital, 22 de agosto de 2011, às 02h10min.

SIMONE DE FARIA FERRAZ
Juiz Presidente

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | belt buckles