sexta-feira, 20 de julho de 2012

Estudantes decidem desocupar a reitoria da UFPR


Os estudantes que ocupavam a Reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR), desde o dia 3 de julho, decidiram deixar o prédio em assembleia na manhã desta sexta-feira.
Os alunos devem desocupar o prédio às 14 horas.
Uma reunião dos estudantes com a diretoria da universidade está marcada para às 16 horas desta sexta-feira.
Já os professores da UFPR e da Unila reprovaram a proposta de reajuste salarial do governo federal e decidiram manter a greve em assembleia na tarde de quinta-feira.
A paralisação já dura mais de dois meses. No Brasil, docentes de mais de 20 instituições em greve já tomaram a mesma decisão, de acordo com os sindicatos. (GP)

Em nota de protesto, DCE criticou ocupação da Reitoria



Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) divulgou nesta quinta-feira (5) uma nota de protesto contra a ocupação da Reitoria feita por cerca de cem alunos na última terça-feira (3). No texto, o DCE considera o ato antidemocrático e precipitado que banaliza “o instrumento de ocupação dos espaços públicos”.
“Estamos cientes das conquistas alcançadas por elas [as ocupações]. Porém, interpretamos a ocupação ocorrida no dia 03/07 como um ato antidemocrático e precipitado”, diz a nota. A decisão de ocupar a Reitoria, continua o texto, “foi tomada às pressas, sem uma consulta efetiva aos estudantes” e o grupo responsável por ele “tem agido e tomado decisões de maneira opressora, sem considerar a opinião dos representantes do DCE ou qualquer outra”.



A ocupação, para o DCE, “exalta o individualismo, o corporativismo e a desmobilização da maioria dos estudantes para a luta”.
Segundo o DCE, “posto que a gestão administrativa da universidade não havia se recusado a negociar antes desta ocupação, compreendemos que os estudantes que impulsionaram este ato o fizeram com intuito de reforçar a banalização do instrumento de ocupação dos espaços públicos, levando o movimento estudantil a um afastamento da sociedade e acabando por desmobilizar os próprios estudantes”.
De acordo com o DCE, foram vários os motivos que levaram à publicação da nota. “Em primeiro lugar, alguns meios de comunicação e representantes da sociedade começaram a vincular o ato ao DCE, o que é um grande equívoco”, afirmou Bruno Lopes, um dos coordenadores do diretório.
Depois, como as negociações com a universidade já estavam avançadas, muitos universitários veem na motivação do ato outros interesses, que não os estudantis. Além disso, a nota tem o objetivo de esclarecer os alunos que estão longe da universidade. “Como estamos em um período turbulento, greve e período de férias, temos poucos estudantes na instituição e é preciso deixá-los informados”, acrescentou Bruno. (GP)

Paraná receberá 400 mil doses de vacina contra a gripe A


O Paraná receberá mais 400 mil doses de vacina contra a gripe na próxima quinta-feira (26). A informação foi confirmada nesta quinta-feira (19), em Brasília, pelo superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz, durante reunião realizada pelo MS, para o enfrentamento da gripe nos três estados do Sul. 

A Secretaria Estadual de Saúde distribuirá equitativamente as doses aos municípios e orientará quais grupos deverão ser atendidos. "Vamos definir em conjunto com a Comissão Estadual de Infectologia os grupos que poderão ser contemplados com as novas doses", explica o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto. A reunião com a comissão será segunda-feira (23). 

A vacina é a mesma oferecida durante a campanha de vacinação que ocorreu em maio e junho e protege contra os três vírus influenza que mais circulam no país: Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e Influenza B. A estimativa de proteção da vacina é de um ano. 

Desde o início da campanha, o Paraná já recebeu mais de 2,2 milhões de doses para imunizar idosos, crianças de seis meses a dois anos, gestantes, trabalhadores de saúde, indígenas e outros grupos de risco definidos pela Secretaria da Saúde em consonância com os municípios. 

Enfrentamento 

Mesmo com a chegada das novas doses, a Secretaria reforça que a principal estratégia de enfrentamento é a oferta do antiviral oseltamivir (Tamiflu) para todos os pacientes com suspeita de síndrome gripal. O medicamento, se administrado em até 48 horas, pode evitar o agravamento do quadro clínico e a morte. 

A Secretaria da Saúde disponibilizou mais de 150 mil tratamentos com o medicamento e possui quantia equivalente em estoque para continuar abastecendo as secretarias municipais de saúde e hospitais. "O medicamento é gratuito e o cidadão poderá ter acesso a ele com a receita médica", explica o superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz. (FL) 

A campanha de Roseli Isidoro(PT), a preferida da ministra Gleisi, veio com tudo e muito mais

A candidata petista Roseli Isidoro está mostrando que fará uma campanha sem preocupações com o custo. Desde quarta-feira cabos eleitorais dela espalharam banners, com aproximadamente um metro, em vários cruzamentos da capital. A chegada da propaganda da ex-vereadora ofuscou a do companheiro Jonny Stica e do candidato a prefeito Luciano Ducci. (Bem Paraná)

MP vai investigar morte de cães em Sorocaba

O promotor de Justiça Jorge Alberto de Oliveira Marum, curador do Meio Ambiente do Ministério Público Estadual em Sorocaba, abriu inquérito civil nesta quinta para apurar denúncia da matança de cães no Centro de Zoonoses da cidade. O promotor deu à prefeitura prazo de 30 dias para prestar as informações sobre o caso. De acordo com a denúncia de organizações não-governamentais, trinta cães que estavam abrigados no centro de zoonoses municipal teriam sido mortos com emprego de meio cruel.
Fotos postadas em redes sociais mostram os animais mortos ao lado de uma morsa, um aparelho de ferro usado para prender e prensar peças e componentes. As postagens sugerem que os animais teriam sido mortos mediante prensagem. A prefeitura informou que a morsa é usada para prender o animal já morto e possibilitar a retirada de parte do cérebro. A medida é necessária para o diagnóstico epidemiológico da raiva, procedimento adotado em toda unidade do gênero. De acordo com o prefeito Vitor Lippi (PSDB) a foto foi usada para induzir as pessoas a erro e, segundo ele, o caso está sendo usado com fim eleitoral. Os animais, sendo três cães adultos e 27 filhotes, foram encontrados mortos na unidade de controle do Centro de Zoonoses.
De acordo com Honno Marques, do Instituto Cahon e da Comissão de Justiça e Direito dos Animais de Sorocaba, na quarta-feira os cães estavam vivos e aparentavam estarem saudáveis. Mesmo assim, foram separados dos demais e levados para os fundos do centro. Ao saber que os bichos tinham sido sacrificados, ele entrou em contato com outras entidades de defesa dos animais. Representantes de cinco ONGs formalizaram denúncia à Polícia Civil. A polícia recolheu cinco cães mortos para autópsia. Os laudos devem ficar prontos em 15 dias. De acordo com a delegada Cássia Almagro, que acompanhou a vistoria ao Centro de Zoonoses, se os exames comprovarem que os animais estavam saudáveis, os responsáveis serão enquadrados no artigo 32 da Lei 9.605, que pune abusos e maus tratos contra animais. A pena prevista vai de quatro meses a um ano e quatro meses de prisão.
O prefeito de Sorocaba, Vitor Lippi (PSDB) convocou uma coletiva de imprensa para explicar a morte dos cães. Segundo ele, os veterinários do Centro de Zoonoses constataram que a maioria dos animais estava com cinomose, doença altamente contagiosa, por isso foram submetidos ao processo de eutanásia, conforme as normas estaduais e federais. Segundo ele, os animais foram sacrificados com a aplicação de injeção letal. Outros cães já chegaram à unidade em precárias condições de saúde, entre eles, alguns animais atropelados. Os animais mortos são conservados num freezer até serem removidos para deposição em aterro sanitários. Entidades de defesa dos animais anunciaram a realização de um protesto, nesta sexta, em frente ao Centro de Zoonoses. (AE)

Oito ex-vereadores são condenados à prisão


Jamil Janene (PMDB), Sidney de Souza (PTB) e Luiz Carlos Tamarozzi (PTB)
Oito ex-vereadores de Londrina foram condenados à prisão por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e concussão, que é a utilização do cargo público para obter vantagem indevida, pelo juiz da 3ª Vara Criminal de LondrinaKatsujo Nakadomari, de acordo com sentença publicada na quarta-feira (18). Três deles são candidatos nas eleições deste ano.
Flávio VedoatoGláudio Renato de LimaHenrique BarrosJamil JaneneLuiz Carlos TamarozziSidney de Souza foram condenados a 9 anos e 10 meses de prisão cada um. O também condenado ex-vereador Renato Araújo recebeu uma pena maior, de 10 anos e 10 meses em regime fechado. Sidney de Souza, Luiz Carlos Tamarozzi e Jamil Janene são candidatos nas próximas eleições.

Julio Cesar de Lima Romagnolli
, ex-assessor parlamentar de Bergamin, recebeu pena de 6 anos de prisão em regime semiaberto pelos crimes de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.Na sentença, o ex-vereador Orlando Bonilharecebeu uma pena menor, de 4 anos e 2 meses em regime semiaberto, por ter colaborado com as investigações. O ex-vereador Osvaldo Bergamin também era réu na ação, mas o processo foi extinto após sua morte.
Segundo a denúncia, oferecida pelo Ministério Público (MP), os vereadores da legislatura 2005/2008 se associaram para aprovar o projeto de lei que autorizava a doação de um terreno noJardim Bela Suíça ao empresário Ângelo Marcelo CaldarelliRenato Araújo foi escolhido pelo grupo para tratar com o empresário sobre o pagamento de propina no valor de R$ 30 mil, necessária, segundo o MP, para que o projeto fosse aprovado e o terreno, doado.
A sentença mostra que o empresário não conseguiu dinheiro suficiente para pagar a propina. Então, Araújo sugeriu que Caldarelli pagasse uma dívida na qual ele, Araújo, e Orlando Bonilhaeram avalistas. A dívida era de R$ 51 mil e foi paga com o uso de 11 cheques.
Em 7 de dezembro de 2006, Bonilha, que estava ocupando interinamente o cargo de prefeito, outorgou a escritura pública de doação do terreno para Caldarelli. O dinheiro, segundo a denúncia do MP, foi depositado na conta de Julio Cesar de Lima Romagnolli e posteriormente dividido entre os ex-vereadores. Por ter arquitetado o plano, Araújo foi considerado pelo juiz como o mentor do crime.
O advogado Fernando Boberg, que representa Renato Araújo, contestou a decisão. “É uma pena muito alta, próxima à de um homicídio qualificado. Hoje mesmo vou entrar com um recurso de apelação contra a sentença no Tribunal de Justiça do Paraná”, declarou. “Entendo que a sentença é nula, já que não atendeu a diversos questionamentos da defesa, mas isso vamos ver com o tempo.”
Dely Dias das Neves, advogado de Sidney de Souza, Jamil Janene e Luiz Carlos Tamarozzi, avaliou a sentença como “espantosa”. “Temos sempre de respeitar a decisão do juiz, mas essa sentença foi absurda”, disparou. “Não existe a mínima prova, somente a fala do [Orlando] Bonilha. A cronologia dos fatos não bate. A reunião que aprovou a doação do terreno aconteceu um ano antes do suposto pagamento. Isso não faz sentido”. O advogado confirmou que irá recorrer da decisão.
O advogado de Henrique Barros, Rodrigo José Mendes Antunes, disse que também vai recorrer da decisão. Segundo ele, uma ação civil pública anterior já absolveu o ex-vereador. “São os mesmos fatos, os mesmos fundamentos, as mesmas provas, aplicadas em duas ações, uma civil pública e esta criminal. Na ação anterior, o Henrique foi absolvido. Não há evidências de ilícito, não há nenhum fundamento ou mesmo provas da participação dele neste suposto esquema”, declarou o advogado.
João Gomes Filho, advogado de Flávio Vedoato, disse ainda não ter tomado conhecimento da sentença, mas afirmou que acha “muito difícil” seu cliente ter sido condenado. “Consegui uma absolvição para ele nessa ação recentemente, deve fazer mais de dois meses.”
O advogado Ronaldo Gomes Neves que defende Orlando Bonilha e Julio Cesar Romagnolli não estava no escritório nesta tarde e não atendeu o celular. Carlos Alberto Paoliello Azevedo, advogado de Gláudio estava em uma reunião na tarde desta quinta-feira e, até por volta das 16h50, não havia retornado as ligações da reportagem.

Reni Pereira lidera disputa em Foz


O deputado Reni Pereira, do PSB, lidera a disputa pela prefeitura de Foz do Iguaçu. Pesquisa da Radar Inteligência, divulgada pela rádio CBN local, mostra que ele tem 55,7% de intenções de votos, contra 20,8% de Chico Brasileiro, do PCdoB.
A pesquisa foi feita nos dias 12 e 13 de junho ouvindo 600 eleitores. Registrada no TSE, tem margem de erro de 4.1 pontos para mais ou para menos.
Em terceiro lugar está o candidato do PSol, José Elias Aiex Neto, com 1,7%; e em quarto, o candidato do PTdoB, Elvis Gimenez, com 0,8%.
Na pesquisa espontânea, Reni Pereira é citado por 22% dos eleitores, Chico Brasileiro por 8,3% e Elvis Gimenez por 0,5%. Os indecisos somam 69,2%.
O deputado do PSB é quem tem a menor rejeição: 8.1% não votariam nele de jeito nenhum. A maior rejeição é do candidato do Psol, Aiex Neto: 26%. (ROSELI ABRAHÃO)

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | belt buckles