sábado, 25 de setembro de 2010

Depósito bancário comprova propina de R$ 120 mil para filho de Erenice


CRISTIANO MARIZ

Documentos bancários em poder da Polícia Federal, obtidos ontem pelo Estado, confirmam que o filho da ex-ministra Erenice Guerra recebeu propina de R$ 120 mil seis dias depois de a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) conceder permissão de voo à Master Top Linhas Aéreas (MTA).

Infraero. Israel também quis cobrar propina em corte de multa
Os papéis mostram ainda que Israel Guerra e seus sócios tentaram cobrar propina numa negociação para que a Infraero reduzisse, em fevereiro deste ano, uma multa de R$ 723 mil imposta à MTA por deixar um avião parado na pista por mais de 30 dias. O valor da propina, nesse caso, era de R$ 50 mil.

A polícia recebeu a documentação quinta-feira das mãos do empresário Fábio Baracat, que representava a MTA em Brasília. Pela primeira vez, documentos bancários comprovam o pagamento do lobby feito na Casa Civil. O escândalo derrubou Erenice Guerra da chefia da pasta.

O Estado teve acesso à integra das 16 páginas do depoimento prestado por Baracat e aos documentos que ele entregou à PF. O empresário disse que, num encontro com Erenice, em março deste ano, ela não cobrou o pagamento dos serviços prestados pelo filho, mas deu um "conselho" aos "presentes": "Erenice Guerra disse aos presentes que todos os compromissos assumidos, sejam políticos, pessoais ou profissionais, devem ser cumpridos".

Véspera de Natal. Um comprovante bancário mostra que, às 9h17 de 24 de dezembro de 2009, Baracat fez uma transferência eletrônica de sua conta bancária, no valor de R$ 120 mil, para a conta da Capital Assessoria, empresa de Israel Guerra e de Vinicius Castro, então assessor da Casa Civil. O pagamento foi feito seis dias depois de a Anac revogar, numa decisão emergencial, a punição que proibia a MTA de operar por falta de documentos.

E-mails entregues à PF mostram que a MTA foi orientada pelos lobistas a procurar a direção da Anac, incluindo a sua presidente, Solange Vieira. Ela já negou qualquer irregularidade no episódio. Segundo a Anac, a MTA apresentou a documentação necessária para reverter a punição.

Segundo Baracat, dos R$ 120 mil depositados na véspera de Natal, R$ 100 mil foram pelo lobby na Anac. O restante era a mensalidade que pagava aos lobistas do Palácio do Planalto desde outubro. O empresário contou que, no total, foram pagos, entre outubro e março, R$ 220 mil para a Capital - R$ 100 mil referentes ao episódio da Anac e R$ 120 mil divididos em seis parcelas mensais para as consultorias.

Os pagamentos eram feitos em dinheiro vivo e entregues em hotéis, ou na conta corrente da empresa e de Vinicius Castro. Baracat entregou à PF, além dos comprovantes de transferência, os recibos emitidos em março em nome da Capital Assessoria, com valores correspondentes a possíveis pagamentos anteriores. O empresário anexou também procurações e e-mails internos confirmando que representava os interesses da MTA, desmentindo a versão da empresa de que ele não tinha ligações profissionais com ela.

Os documentos revelam que, em fevereiro, a Capital se ofereceu para ajudar a MTA a sanear multa imposta pela Infraero por deixar um avião na pista por mais de 30 dias. Segundo o empresário, no mesmo mês a empresa "fez um pedido de isenção e encaminhou para o depoente. Que, em decorrência do serviço prestado pela Capital Assessoria houve a redução de aproximadamente 30% da multa que seria cobrada pela Infraero e o parcelamento da mesma". A multa de R$ 723 mil foi reduzida para R$ 121 mil.

Ele afirma que o filho de Erenice e seus sócios cobraram R$ 50 mil pelo serviço "extra". "O depoente entendeu que se tratava de pagamento de propina", diz o relato dele à PF. Segundo Baracat, o ex-assessor Vinicius Castro, que pediu demissão do cargo há duas semanas, disse que o dinheiro era necessário porque eles "tinham se comprometido com pessoas na Infraero e precisavam honrar com tal compromisso". Não houve, segundo ele, menção a nomes de pessoas envolvidas. A propina, disse o empresário, não foi paga e o episódio deu início ao rompimento entre eles.

O depoimento é longo e durou mais de cinco horas. Baracat foi um dos personagens da queda de Erenice Guerra da chefia da Casa Civil. Ele revelou o lobby do filho dela, Israel, dentro do governo.

Marina diz ter confiança de que vai para o 2.º turno









O crescimento na pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, divulgada nesta sexta-feira, 24, entusiasmou a candidata do PV à presidência, Marina Silva. A ex-ministra de Meio Ambiente diz ter certeza de que disputará o segundo turno com a candidata líder nas pesquisas, a petista Dilma Rousseff, apesar de ter menos da metade dos votos indicados para o segundo colocado, José Serra (PSDB), a uma semana das eleições. "Nós vamos para o segundo turno. O dia 3 de outubro vai se revelar como uma grande surpresa", afirmou Marina, em encontro com candidatos e militantes do PV no Iate Clube do Rio de Janeiro.

7.000 pessoas em Jaguariaíva aclamam Beto Governador!



"Chegou a hora da vitória no primeiro turno", disse Beto, que também participou de carreata com mais de 500 carros.

Jaguariaíva já decidiu. Dia 3 de outubro vai eleger Beto Richa governador do Paraná. Na noite da última sexta-feira (24), mais de 7.000 pessoas ocuparam a avenida Antônio Cunha para participar de um comício com Beto Richa e lideranças da região. “Durante 20 anos apenas duas pessoas governaram o Paraná. Isso não aconteceu em nenhum Estado brasileiro. Está na hora de mudar”, anunciou Beto, acompanhado pelos deputados estaduais Valdir Rossoni, Plauto Miró Guimarães e Marcelo Rangel, entre outras lideranças como Sandro Alex; Ademar de Barros, ex-prefeito de Jaguariaíva; e o vereador José Marcos Pessa Filho (PSDB), presidente da Câmara Municipal.

Na chegada à cidade, Beto participou de uma carreata, que reuniu mais de 500 veículos pelas principais avenidas de Jaguariaíva. Ao desembarcar na Avenida Antônio Cunha, Beto foi aclamado pela população e carregado nos ombros até o palanque. “Jaguariaíva está com Beto Richa, acho que mais de 70% daqui é Beto Richa”, disse o ex-prefeito Ademar de Barros. Para ele, Beto é um gestor público empreendedor. “Ele já deu demonstração disso, inclusive foi nosso representante estadual. Posso dizer com segurança o quanto ele fez por Jaguariaíva. Sabendo e conhecendo ele há muitos anos tenho certeza que vai fazer muito pelo Paraná. E provou isso em Curitiba, sendo eleito o melhor prefeito do Brasil por várias vezes”, completou Barros.

Receoso com os ataques à imprensa, Lula se acovarda e muda o discurso no RS

Ucho

Luiz Inácio da Silva é um homem experiente e precavido, especialmente quando não está sob o efeito de substâncias que por certo fariam a alegria redacional do jornalista norte-americano Larry Rohter. Depois de disparar sua metralhadora verborrágica na direção da imprensa, que nas últimas semanas tem revelado diversos escândalos de corrupção do governo do PT, o presidente-metalúrgico preferiu minimizar as críticas aos veículos de comunicação. Há dias, Lula chegou a afirmar que determinados setores da mídia “destilavam ódio e mentira”.

Durante comício em Porto Alegre, Lula destacou a importância da imprensa. “A imprensa é muito importante. A gente às vezes fica zangado quando a imprensa fala mal da gente, a gente fica feliz quando a imprensa fala bem. Quando a matéria dos jornais sai falando mal a gente ninguém gosta, quando fala bem o ego da gente cresce. A gente precisa ter humildade. Democracia é exatamente isso, cada um fala o que quer, e o povo na última hipótese faz o grande julgamento, balizando e consolidando a democracia”, declarou Lula.

Que não se engane o eleitor, pois essa repentina mudança de opinião do presidente não passa de uma estratégia chicaneira para ludibriar a opinião pública e não comprometer a campanha da companheira Dilma Rousseff.

O NOVO ENDEREÇO DO EDUARDO REQUIÃO




O Dr. Eduardo Requião, embora esteja pessoalmente sendo altamente requisitado por algumas esferas de poder, não está disponível, já que está tratando de alguns importantes assuntos no exterior e assim não estando disponível não possui condições de se apresentar junto as mesmas para prestar cordialmente alguns esclarecimentos. Mais conhecido pelo carinhoso apelido de Vovó Naná, ele viajou para uma confortável estada em Miami, de onde dizem que parte para um período ainda maior e talvez definitivo na Austrália. O aconchegante, mas não definitivo, atual endereço do Eduardo nos States:






PARA SUA "SEGURANÇA": PM acusado de matar vendedor e duas crianças é julgado no Oeste do PR

O julgamento de um policial militar acusado de matar um vendedor e duas crianças, em Marechal Cândido Rondon, no Oeste do Paraná, teve início na manhã desta sexta-feira (24).

O vendedor Euclides Henrique Erzen, de 37 anos, foi à casa do policial militar Almir Soares para cobrar uma dívida e foi morto. A filha dele, de 12 anos, e um sobrinho, de 2 anos, estavam no carro. Eles saíram de Pato Bragado, também no Oeste do estado, e foram assassinados em Marechal Cândido Rondon, em 24 de janeiro de 2009.

Crime ocorreu em Marechal Cândido Rondon, em 2009.

O policial militar é acusado de ter atirado na cabeça do vendedor e depois teria feito o mesmo com os dois menores. O veículo de Erzen foi encontrado queimado no dia seguinte ao crime. Testemunhas contaram à polícia que o PM foi visto rebocando um veículo no dia do crime. Um dia depois, Soares teria comprado gasolina em um posto de combustível da cidade.

Os corpos das crianças foram encontrados em 29 de janeiro de 2009 e o do vendedor em 30 de janeiro em uma plantação na zona rural de Marechal Cândido Rondon.

Outras pessoas foram presas acusadas de participar do crime. Segundo a polícia, o irmão e um tio do policial ajudaram o acusado a ocultar pistas dos assassinatos. O sobrinho do PM – na época com 17 anos – também teria participado.

Por volta das 20h desta sexta-feira, o policial estava prestando depoimento, mas a previsão é de que o julgamento termine somente na madrugada de sábado (25).

MUNDO CÃO: Mãe deixa filha com casal para comprar drogas e criança é estuprada


FERNANDA LEITÓLES

Uma criança de 7 anos foi estuprada depois ser deixada com um casal de conhecidos da mãe, que havia saído para comprar drogas. O caso ocorreu na manhã de quinta-feira (23), em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba. A menina foi encontrada nesta sexta-feira (24). Ela foi achada abandonada na rua, após ter sido abusada duas vezes pelo homem, de 26 anos, segundo informações da Polícia Militar. A mãe da criança e o estuprador, que confessou o crime, foram presos.

A avó materna da criança contou aos policiais que ligou, na quinta-feira, para o pai da menina – que é separado da mãe - informando que a mulher, de 32 anos, e a menina tinham sumido. O pai da criança acionou a PM e as buscas tiveram início.

A mulher foi encontrada e contou à polícia que havia deixado a criança com o casal. A PM foi até o endereço e, segundo o órgão, o homem confessou que estuprou a menina e que a abandonou após a segunda violência sexual.

O homem tem passagens pela polícia por roubo e por tráfico de drogas. De acordo com a PM, os abusos ocorreram no período da manhã e da tarde de quinta-feira em um cemitério e em um matagal da cidade. A polícia não soube informar se há participação da mulher dele no caso.

A criança foi encontrada deitada, sozinha, em uma rua do Jardim Guarituba, em Piraquara, por moradores da região, na manhã desta sexta-feira, por volta das 5 horas. Ela foi encaminhada para um hospital da capital para ser examinada.

Inicialmente, a PM havia informado que a mãe teria trocado a criança por pedras de crack. A versão foi corrigida pela polícia a partir dos fatos relatados pelos dois presos e pela menina.

Os dois detidos foram encaminhados para a delegacia de Piraquara. De acordo com a Polícia Civil, ainda não foi decidido se a mãe será indiciada por abandono de incapaz ou por exposição de menor a uma situação de risco. A mulher estava com pedras de crack e será indiciada também por tráfico de drogas.

A criança será ouvida novamente pela polícia – na presença do Conselho Tutelar - no período da tarde, em Piraquara. Outras testemunhas também prestarão depoimento nesta sexta-feira (24).

O RISCO DA ABSTENÇÃO DE 2006 SE REPETIR EM 2010






Mônica Bergamo

As estatísticas de eleições anteriores mostram que a abstenção é maior no eleitorado de baixa renda e nas regiões Norte e Nordeste.
Entre outros fatores que levaram a eleição de 2006 para o segundo turno, de acordo com especialistas, está a alta abstenção em regiões em que Lula abria dianteira sobre Geraldo Alckmin (PSDB), e onde Dilma Rousseff (PT) repete o fenômeno.
No Norte, a abstenção foi de 19%. No Nordeste, de 18%. No Sul, de 15% e no Sudeste, de 16%.

PT entra com ação contra exigência de dois documentos



Com medo de que a exigência de dois documentos na hora da votação faça aumentar a abstenção, o PT entrou com uma ação direta de inconstitucionalidade no STF. O partido se colocou contra a nova lei, que torna obrigatória a apresentação de título de eleitor e um documento oficial com foto.

De acordo com estatísticas de eleições anteriores, a abstenção é maior no eleitorado de baixa renda, especialmente nas regiões Norte e Nordeste, onde a candidata petista Dilma Rousseff abre dianteira.

‘Lula, O Filho do Brasil’ merece estar no Oscar?

O filme 'Lula, O Filho do Brasil' foi escolhido como candidato brasileiro ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Veja a crítica de Francisco Taunay:


O filme escolhido para concorrer ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro não é comum, e tem alguns fatores que nitidamente delimitaram esta escolha. Gostaria de esclarecer que é uma escolha eminentemente política; ela acontece todos os anos através da decisão de uma comissão de notáveis, que geralmente não escolhe o melhor filme, mas sim aquele que tem mais a cara do Brasil, que se insere melhor na engrenagem de poder do cinema brasileiro.

O primeiro fator, que sem dúvida influenciou na escolha, é o mais correto: Lula, O Filho do Brasil é muito bom! É um filme biográfico, que lida com as dificuldades desse gênero de uma forma coerente. Tem bons atores, uma fotografia ótima, que mistura cenas de ficção com imagens de época de forma exemplar, e tem uma narrativa bem trabalhada, auxiliada pela música de Jacques Morelenbaum. Conta uma história quase de contos de fada; a trajetória de alguém pobre, quase miserável, que ascende socialmente até chegar ao cargo máximo do poder executivo.

Um outro fator que sem dúvida pesou na escolha foi a tragédia que acompanhou a história deste filme: Fábio Barreto, o diretor, antes do lançamento de sua obra, capotou várias vezes de carro e permanence em coma até hoje. Ele, que diferente de Lula, nasceu em berço de ouro e sempre teve facilidade para fazer filmes, não pôde ver provavelmente a sua obra máxima, um filme de grande qualidade, lançado e assistido pelo grande público. Era acima de tudo uma pessoa entusiasmada com o Brasil, e contou muito bem esta história, de um imigrante do Nordeste que vira presidente da República.

Acredito que o filme teve várias facilidades para ser feito, no sentido de obter recursos. A maior delas é a de ser a história do próprio presidente em exercício, que é um fenômeno de popularidade. No início dos créditos, aparecem todos os patrocinadores, que simplesmente doaram recursos de forma direta, sem leis de incentivo, para a realização do filme. Estão todos lá, desde as empreiteiras, que multiplicaram seu patrimônio no governo, uma empresa de Eike Batista, e uma cervejaria que praticamente detém o monopólio das vendas no Brasil. Aliás, a única cena do filme que me incomodou realmente foi uma propaganda explícita de uma marca de cerveja, o que acontece muitas vezes mesmo nos filmes internacionais, mas deveria ter sido evitada, principalmente nesse filme.

Lula sem dúvida tem grandes qualidades, talvez a maior delas foi sua habilidade de compor um governo que se aliou às forças mais conservadoras, para tentar realizar mudanças significativas na sociedade. Por mais paradoxal que isto possa parecer, no Brasil, o conservadorismo, desde antes da República, sempre ditou as regras, e se o PT tivesse tentado realizar suas propostas de forma radical, muito provavelmente haveria uma tragédia histórica de grandes proporções. Outro fator que auxiliou seu governo foi a sorte: a crise nos EUA e nos países do primeiro mundo favoreceu a economia brasileira, assim como as descobertas do petróleo e a própria herança do governo FHC.

Por outro lado, apesar de várias conquistas, existe um certo clima de autoritarismo no ar. O Estado, cada vez mais aparelhado, inchado com os cargos de petistas, partidos aliados, e seus familiares, alimenta uma máquina que passa por cima das vozes dissonantes; tudo isso com o apoio dos meios de comunicação, que provavelmente têm como seu maior cliente o próprio governo. Por mais democrática que a ascensão de Lula ao governo possa parecer, existem alguns exemplos concretos de ações autoritárias, ou similares, que acontecem cotidianamente. Como um exemplo pessoal, fui um dia a uma biblioteca da FIESP, na Avenida Paulista. Esta biblioteca era um exemplo de democracia e convivência de cidadania: lá passavam estudantes, empresários, aposentados, desocupados, todos convivendo em um local de leitura e de cultura, de forma exemplar, em plena Avenida Paulista, coração financeiro da cidade de São Paulo. Qual não foi a minha surpresa, ao constatar que a biblioteca havia sumido, dando lugar a uma galeria de arte, destas bem ascéticas, áridas, que afastam o povo com sua arte enclausurada. Me informaram que a biblioteca se mudara para a Vila Guilherme. Onde fica a Vila Guilherme?

No Rio de Janeiro, agora os artistas de rua são proibidos de se apresentar. O espaço público, que antes era de todos, agora está cada vez mais privatizado. Com as bênçãos da classe média, que acredita em segurança acima de tudo, o choque de ordem institui uma espécie de limpeza étnico-financeira das ruas: saem os desocupados, ou mesmo aqueles que trabalham de maneira informal, para dar lugar à empresas, que passam a lotear o espaço público. Tudo isso com o pretexto de uma ordem… Lembro que na Itália de Mussolini, jamais os trens chegavam atrasados.

Estes exemplos se multiplicam em todo o país, onde o conservadorismo se alia ao sindicalismo para criar um país ascético, onde a pobreza não é combatida com cultura e educação, mas maquiada e tirada da vista daqueles que passam nas ruas. Penso que a Internet possibilitou uma espécie de revolução na política. Até o apagar das luzes do século XIX, e mesmo no XX, existia no Brasil uma prática medieval, onde alguém lia as notícias em praça pública, para a massa analfabeta. Com o desenvolvimento das práticas de leitura, dos jornais e da TV, as informações começaram a circular em uma esfera mais individual. A manifestação das pessoas foi contida no âmbito de suas casas e da família. Com a Web, agora cada leitor também vira um comentarista: é isso que vivenciamos aqui e agora.

Um ano sem o Walmor








WALMOR MARCELLINO, PRESENTE!!!!!!








Bater de asas

Walmor Marcellino

De ter feito os exercícios
não me adonei da arte.
Posso falar das tentativas
limitadas, circunstanciais
em que me empenhei,
e dos anti-resultados, os pífios
sucessos que me couberam.

Tenho pertinência em apontar
os alvos e descrever caminhos e processos
em que trotei compelido,
e fui atropelado de ânsias e urgências.

Sem pretensões nem escusas, hoje
devo mais confessar do que proclamar:
o homem é seu alvo e suas frechas;
o homem é seu projeto e seus meios;
o homem não é senão sua própria estrutura;
porque necessita, porque deseja, porque se impõe.
À sua natureza aparentemente conhecida
à sua característica enovelada pelos desejos
cada um de nós acresceu a sua cultura
e utopias.

Então, sejamos esse projeto
mas sob advertência do que é
insistentemente procurado, hipoteticamente conseguido...
e satisfatoriamente alcançado.
E seus fracassos, naturalmente.

DESEMPREGO ENTRE JOVENS E POBRES É MAIS QUE O DOBRO DA TAXA MÉDIA DA POPULAÇÃO


Desemprego entre os que têm entre 18 e 24 anos e pobres é mais que o dobro da taxa média da população

Saiu a taxa de desemprego de agosto. A pesquisa do IBGE traz um bom número: caiu para 6,7%, abaixo do dado de julho (6,9%). É a menor taxa desde o início da série, em março de 2002. Mas é bom não perder de vista o cenário geral: essa taxa de desocupação é calculada em apenas seis capitais do Brasil.

Agora, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), feita uma vez por ano, visita o país inteiro. O último dado, de 2009, ano que pegou a crise, mostra um quadro preocupante, porque mesmo no melhor momento da economia brasileira, o atual, temos muita gente desempregada e sem carteira assinada. No ano passado, ainda tínhamos 8 milhões de brasileiros desocupados e taxa de informalidade de 41%.

Isso foi em 2009; em 2010, melhorou, mas não o suficiente. Há outros dados preocupantes: a taxa de desemprego entre os que têm entre 18 e 24 anos é o dobro da taxa média da população. Nas regiões metropolitanas chega a 24% entre jovens e entre pobres.

A queda da taxa de desocupação tem que ser comemorada, mas é bom lembrar que carregamos um estoque de problemas no mercado de trabalho brasileiro, que não tem o dinamismo necessário para incluir todos os que precisam de emprego.

A crise econômica mundial cobrou seu maior preço sobre a juventude e o desemprego entre pessoas de 15 a 24 anos atingiu sua marca recorde. Dados divulgados pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) apontam que, entre 2007 e 2009, 7,8 milhões de jovens foram demitidos e a entidade já fala de uma "geração perdida".

Metade desse número de novos desempregados foi registrado nos países ricos, epicentro da crise. Mas um milhão de jovens na América Latina também perderam seus empregos, o que faz a região a pior entre todas as economias em desenvolvimento. Já o Brasil seguiu uma tendência contrária. Em 2007, 22% dos jovens estavam desempregados. Em 2010, essa taxa é de 17%. Mas o número ainda é bem superior à média mundial e chega a ser mais elevada que a média de jovens desempregados na América Latina.

Pelos cálculos da OIT, 29 milhões de pessoas perderam seus empregos no mundo entre 2007 e 2009. Um a cada quatro, porém, eram jovens. No início de 2010, 80,7 milhões de jovens estavam sem trabalho, o maior número já registrado pela OIT. A taxa de desemprego nesse segmento passou de 11,9% para 13,2% em apenas dois anos e a tendência é de que continue a crescer em 2010.

Entre os jovens, são as mulheres que encontram mais dificuldades na hora de procurar emprego; em 2009, a taxa de desemprego entre elas foi de 13,2%, enquanto entre os homens foi de 12,9%.

Muitos cortes. "Nunca havíamos visto números assim em um espaço tão curto de tempo e tememos que os últimos anos tenham criado uma geração perdida de jovens que dificilmente conseguirão voltar ao mercado de trabalho em condições ideais", afirmou Steven Kapsos, um dos autores do levantamento.

Gustavo Fruet em Umuarama

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | belt buckles