domingo, 30 de setembro de 2012

Fruet desativa campanha

A campanha de Gustavo Fruet (PDT/PT/PV) despediu o pessoal de apoio de rua. O pessoal do barracão - distribuição de placas, cavaletes, formiguinhas e bandeireiros - foi dispensado já na sexta-feira, 28. "A ordem era para que os cavaletes nem fossem mais recolhidos das ruas", disse um dos coordenadores do barracão. 
 
O Comitê Suprapartidário Luciano 40 aproveitou e reuniu os demitidos de Fruet ainda na noite de sexta-feira. "São mais de 50 militantes da base do PDT, PT e PV que passam integrar o nosso comitê. Todos já estavam no sábado, 29, na Boca Maldita, engajados, juntos com o prefeito Luciano Ducci na reta final do primeiro turno e também no segundo turno", disse Doático Santos, coordenador do comitê.

Biblioteca Comunitária da Vila das Torres: Livros que andam por aí


Aconteceu em 2009. Um grupo de moradores da Vila das Torres, zona de ocupação das mais antigas de Curitiba, se deu conta da quantidade de livros encontrados no lixo recolhido pelos carrinheiros. Estima-se que a reciclagem ocupe 30% dos cerca de 8 mil habitantes do local. Foi essa gente, a seu modo, que reuniu o primeiro milheiro de títulos, colocou numa sala emprestada por José Francisco Sanches, o Baleia, chamou as crianças para ver e se tornou um assunto sem fronteiras. A Biblioteca Comunitária da Vila das Torres virou um símbolo da cidade.
Pudera. Nesses tempos velozes em que muitos adiantaram que os livros de papel morreriam, os mesmos livros chamaram atenção para uma vila mais conhecida pelo noticiário policial. Comovidos, muitos levam cestas de romances e gibis até lá, engrossando o acervo que beira os 2,5 mil exemplares. A turma da Torres não ficou imune ao acontecido. Fala com orgulho da biblioteca.
Na balança
Analistas indicam os melhores espaços de leitura
A série Leitura na Prática perguntou a cinco especialistas o que faz de um espaço de leitura um espaço adequado. Foram consultados o arquiteto Manoel Coelho; a educadora Margareth Fuchs; a pesquisadora Elisa Dalla Bona; a biblioteconomista Suely Ferreira da Silva, e a presidente do Conselho de Biblioteconomia do Paraná, Marta Sienna.
“A biblioteca tem que ser algo encantador, onde as pessoas possam se encontrar, bater papo sobre os livros. Participar de projetos, de encontros com escritores”, observa Elisa Dalla Bona. Este é tom da conversa. Foi-se o tempo do silêncio de velório e dos livros guardados a chaves. Espaço que se preste à leitura garante a paz e a ordem, mas também dinamismo, estímulo e garantia de que ali nenhum dia é igual ao outro.
Entre os espaços citados pelos entrevistados como modelares se destacam a Biblioteca Pública do Paraná, pela grandeza do acervo e por garantir o encontro dos usuários com grandes autores; A Biblioteca da Universidade Positivo, que tem arquitetura arrojada e é aberta à comunidade vizinha; E a Biblioteca da Vila das Torres, símbolo da resistência da leitura na capital.
Curiosidades
Minibibliotecas pelas praças
Em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, foram instaladas pela Secretaria de Cultura cinco minibibliotecas pela cidade. O projeto funciona desde o dia seis de setembro. Cada minibiblioteca tem um acervo de 30 títulos, sendo 10 infanto-juvenil, 10 infantil e 10 de literatura adulta. Os acervos são verificados a cada 15 dias por funcionários da Divisão de Literatura, para avaliação dos pontos e possível renovação e reposição de acervo. Os empréstimos são realizados sem a burocracia habitual de preenchimento de fichas ou cadastros – funciona na base da confiança de que a pessoa irá devolver a obra.
As bibliotecas estão disponíveis na Praça João Paulo II (em frente à Câmara Municipal), na Praça Doutor Vicente Machado e na Praça São Vicente de Paulo. Também existem os espaços na Unidade de Saúde do Tupy e no Núcleo Integrado de Saúde (NIS III).
Informações pelo telefone da Divisão de Literatura: (41) 3905-6065.
Viagem literária
Em Avaré, no interior de São Paulo, há o projeto "Embarque nessa viagem", idealizado pela prefeitura, que disponibiliza livros na rodoviária. A ideia do projeto é fazer com que o usuário aproveite o tempo de espera do ônibus para ler. A meta é incentivando o hábito da leitura. A atividade começou no mês de agosto e se manteve em setembro. Ela será realizada durante três dias dos meses de outubro, novembro e dezembro. A pessoa pode ler os livros no local, levar para a casa com devolução no mês seguinte ou, levar o livro sem precisar devolver, como doação.
Anatomia das bibliotecas
Iluminação. Um café. Um convite para quem entende dos livros dar uma palavrinha. Os espaços dedicados aos livros podem sim perder a sisudez e ganhar adeptos.
Analistas mostram como e por quê. Leia.
Próxima semana
A escola – afinal – promove ou afugenta o leitor? O tema mobiliza pesquisadores e acende paixões.
O espaço hoje funciona no Clube de Mães e atraiu um voluntário tão inspirador quanto a biblioteca. Maicon Arruda, tem 21 anos, cursa Odontologia e gasta a maior parte do seu tempo na lida com os livros. É da vila. Calcula ter catalogado 1,5 mil títulos, nas horas vagas, porque nas “horas gordas” o que faz mesmo é ajudar a piazada da região nas lições de Matemática. Também faz contação de histórias. E dá conselhos aos candidatos à literatura.
Ainda chegam livros do lixo – o que explica a excentricidade do acervo. Está ali uma edição de O Capital, de Karl Marx, e a biografia de Obama, escrita por David Remnik. O que não para nas estantes, contudo, é a série Crepúsculo. E o título do coração de Maicon, O segredo, de Rhonda Byrne, que indica sempre que consultado pelos 30 usuários dia que atende. “Tem quem não saiba ler. Com esses eu sento, abro um livro de imagem e vou conversando”, conta o jovem que lembra figuras como Otávio Júnior, criador da “barracoteca” do Morro do Alemão, no Rio de Janeiro.
A Biblioteca Comunitária da Vila das Torres é o exemplar mais famoso de um movimento informal que varre as cidades – o de culto aos espaços alternativos de leitura. São incontáveis. Há quem transforme saletas de prédios em espaços para ler – como o fotógrafo Alberto Viana [assista vídeo]. E quem se ocupe de dividir todas as sobras de livros por lugares onde possam ser reaproveitadas. É o caso de Josiane Mayr Bibas, 52, e Ângela Marques Duarte, 51, há um ano à frente da Freguesia do Livro.
O projeto nasceu por acaso. Depois de 25 anos atuando como fonoaudiólogas, as duas decidiram doar o acervo de livros infantis que guardavam nos consultórios. Desembarcaram com as caixas na Vila Zumbi, em Pinhais. “Tudo cheirozinho e arrumadinho”, como lembra Ângela. Foi quando descobriram que sabiam muito pouco sobre a realidade de lugares em que o livro é um luxo, e que por isso mesmo, sem a ação dos mediadores, estavam muito próximos do lixo. “A primeira experiência foi meio autofágica”, diverte-se.
Ouvi-las falar da aventura que viveram é uma escola. Não pararam mais de reunir exemplares descartados. “Um dia alguém dizia – ‘preciso abrir espaço nesta sala’ – e lá estávamos nós, carregando enciclopédias”, lembram. Josiane teve a ideia de oferecer na internet os livros sob sua custódia. Surpresa. Pensava que viria um pedido do Cajuru, mas recebeu um pedido de Xapuri, no Acre. “Viramos aquelas pessoas que ao saber que alguém vai viajar perguntamos se podem levar uma caixa de livros...”
Não pensem em caixas molambentas, com o fundo caindo. São caixotes reciclados, com a logo da Freguesia. Os livros estão bem apanhados e selecionados, a depender do interesse do freguês. Uma escola de inglês adorou a seleta que a dupla preparou. Do contrário, os livros cairão em desgraça. Alguém quer Dale Car­negie de 30 anos atrás? Elas têm.
Não é difícil prever que a iniciativa toma todas as tardes das idealizadoras. Marcam tudo num mapa. Calculam ter enviado caixas de livros a 50 lugares pelo menos. Planejam agora ir a feiras e praças e pousadas. E seguem com o atendimento ao Eco Cidadão, nos quais instalaram velhas Barsas para carrinheiros. “Quem disse que não servem mais?”, desafiam. Abandonada, só a ideia de comprar um ônibus, enchê-los de livros, levando às últimas instâncias o espírito de Thelma e Louise. De resto, não lhes falta estrada. “Vamos a lugares que sequer imaginávamos existir. A gente liga o GPS e pronto”, conta Josiane.
O poder público parece ter passado por febre semelhante à da Freguesia. Há dois anos, a Fundação Cultural de Curitiba criou 15 espaços inusitados de leitura. São o que há. Funcionam em terminais de ônibus e não raro em formatos que afugentam o pior inimigo do livro – a indiferença.
Não é a única qualidade do programa. Os acervos são seletos. E os atendentes – alçados ao status de mediadores de leitura – estudam em universidade e são leitores confessos. “Eu me sinto formando gente para o livro. Mesmo quando ouvi gritos de um passageiro horrorizado com o Caio Fernando Abreu”, lembra a acadêmica da Letras da UFPR Hellen Suzy Santos, 20. Ela atua no Espaço de Leitura do Terminal do Pinheirinho. Inesquecível? O morador de rua que lê para o pai na carreira de rodas. “Ele me vê e grita: ‘Ô moça da leitura’. Quer mais?” (GP)

Candidatos tomam fôlego para a reta final de campanha


Mais dois dias de programa eleitoral no rádio e na televisão, dois debates na televisão, quatro dias para o fim da campanha de rua, comício e carros de som rodando pelos bairros. Esse é o tempo que os candidatos a prefeito e vereador de Curitiba têm para conquistar os indecisos, ou mesmo mudar a tendência de voto dos eleitores.
Nas eleições para prefeito, se a votação estivesse marcada para hoje, Ratinho Júnior (PSC) e Luciano Ducci (PSB) provavelmente continuariam na disputa de segundo turno. Mas até o próximo domingo todos terão de tomar um fôlego final para a corrida eleitoral, na tentativa de manter ou mudar a tendência de voto.
Round final
Veja a estratégia dos quatro principais candidatos a prefeito de Curitiba para a última semana de campanha antes do primeiro turno:
“Seguiremos normalmente as atividades, com intenso contato com os eleitores. Serão carreatas, caminhadas e visitas, os debates na TV e o programa eleitoral gratuito, para apresentar aos eleitores as ideias centrais da candidatura.”
“Vamos continuar a destacar nossas propostas, nossa experiência de gestão. Quando o eleitor comparar nossas propostas, que são propostas de verdade, viáveis e com planejamento, ele se decidirá por nossa candidatura.”
“Vamos intensificar o corpo a corpo. Reforçar a presença do candidato nas ruas e, consequentemente, o contato com os eleitores.”
“A estratégia permanece a mesma. Seguimos com o tom propositivo e crítico, sustentado por ideias e pela experiência. Com a campanha nas ruas, próxima à população, e os últimos debates, devemos atrair os eleitores indecisos.”
É nessa última semana que os eleitores indecisos, principalmente aqueles que estavam desinteressados do movimento das campanhas, precisarão começar a se preocupar com o assunto para decidir em quem votar. O horário eleitoral no rádio e televisão, as notícias de jornais, a movimentação das campanhas nas ruas e as conversa com parentes e amigos devem ser as fontes de informação mais importantes para essa decisão. “Para esse eleitor pouco mobilizado, as informações boca a boca sobre os concorrentes, a presença desses candidatos no bairro, apertando as mãos, é importante”, diz a cientista política Luciana Veiga, da Universidade Federal do Paraná.
O presidente da Associação Brasileira de Consultores Políticos, Carlos Manhanelli, afirma que é importante ir às ruas e mostrar volume de campanha. Segundo ele, uma significativa parcela do eleitorado escolhe o candidato por esse motivo. “Muitas pessoas ainda tendem a se impressionar com o volume da campanha nas ruas”, explica. “Também é imprescindível realizar uma pesquisa qualitativa, que aponte os motivos de os indecisos ainda estarem indecisos.”
Luciana Veiga acredita que, tão ou mais importante que tentar conquistar os indecisos é buscar atrair os que não estão muito confiantes na sua decisão. Na rodada anterior do Datafolha, de 10 e 11 de setembro, 30% dos que citaram um candidato disseram que poderiam mudar o voto. É o chamado voto flutuante. “Esse eleitor está quase decidido. Está esperando para ver se nada de ruim aparecerá sobre seu candidato e se tudo se mantiver como está, ele confirma o voto”, diz Veiga.
A estratégia de ataque entre os adversários, entretanto, não é aconselhável, diz Luciana. “As denúncias, se vierem, terão de ser muito bem fundamentadas porque se fizerem a pessoa a pensar que não é muito verossímil, pode haver um efeito bumerangue, ou seja, se voltar contra quem atacou.” Geralmente, os coordenadores de campanha preferem que o candidato apareça apresentando propostas e se despedindo, evitando ataques. “É a hora de ficar doce, mostrar confiança”, diz.
Por outro lado, Manhanelli avalia que essa é a hora de ir partir para o ataque, ir para o tudo ou nada. “Comparo a eleição a uma luta de boxe. Esse é o último round, no qual um lutador aguarda para ganhar por pontos e o restante tem de tentar o nocaute. É preciso abrir a guarda e tentar o golpe de misericórdia”, diz.
O consultor político cita a última eleição presidencial como exemplo bem-sucedido dessa estratégia, quando José Serra usou os temas aborto e religião contra Dilma Rousseff (PT) e conseguiu forçar o segundo turno.
Os dois debates que ocorrem nesta semana também podem ser palco de ataques. Na terça-feira, a RIC TV faz a transmissão a partir das 23h15. Na quinta-feira, o debate na RPCTV começa às 23 horas. (GP)

Classe média no crime



Os meninos de famílias humildes, cujos crimes em grande parte são de origem famélica, apodrecem na cadeia!

RIC Mais transmite ao vivo debate entre candidatos à prefeitura de Curitiba

No dia 1º de outubro, segunda-feira, a partir das 23h15, a RICTV Record promove o encontro entre os cinco principais nomes que disputam a prefeitura de Curitiba. De acordo com a Lei eleitoral, foram convidados concorrentes de partidos que contam com representantes na Câmara Federal. São eles: Ratinho Júnior, Luciano Ducci, Gustavo Fruet, Rafael Greca e Bruno Meirinho.  Mediado pela jornalista Joice Hasselmann, o evento encerra o ciclo de entrevistas dos candidatos, promovido desde o mês de agosto pela RICTV Record.
A ordem de participação de cada candidato será definida mediante sorteio prévio, acompanhado pelos representantes de cada um, momentos antes do início da transmissão ao vivo.  O documento com as regras foi assinado por todos os representantes. Nas perguntas da mediadora aos candidatos serão abordados temas como: saúde, educação, transporte/mobilidade, habitação, segurança/drogas, Copa do mundo, meio ambiente, cultura/esporte, assistência social e acessibilidade.

sábado, 29 de setembro de 2012

Vereadora comemora decisão que cassou o registro do ex-presidente Conselho Federal de Enfermagem


Candidata a vereadora em Curitiba, onde tenta a reeleição, a enfermeira Maria Goretti David Lopes comemora pela segunda vez a decisão do Conselho Federal de Enfermagem, que manteve a cassação do registro profissional de Gilberto Linhares Teixeira, ex-presidente do órgão. A decisão foi tomada na última quinta-feira (27), em Brasília, durante reunião da Assembleia de Presidentes.
Na sua segunda gestão como presidente da Associação Brasileira de Enfermagem (2007-2010), a corajosa Maria Goretti não se intimidou com o viés criminoso do “enfermeiro gatuno” e protocolou no Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro pedido de julgamento de conduta ética de Gilberto Linhares, preso em 2005 na Operação Predador, da Polícia Federal.
A ação policial foi deflagrada no vácuo das investigações de um inquérito de 1998 da Delegacia Fazendária, aberto a partir de denúncias da então presidente da Associação Brasileira de Enfermagem. De acordo com o delegado José Mariano, do grupo Missão Suporte, os acusados causaram prejuízo de R$ 50 milhões (valor da época) aos cofres públicos.
A prisão de Gilberto Linhares se deu apenas e tão somente por peculato, formação de quadrilha, homicídio, fraude em licitações, lavagem de dinheiro, interceptação não autorizada de comunicação telefônica e falsidade ideológica. Já Hortência Linhares, casada com o tal enfermeiro, foi presa em São Paulo. Ambos foram acusados de chefiar uma quadrilha que envolvia funcionários do Cofen nos estados do Rio de Janeiro, Goiás, Piauí, Sergipe e Alagoas.
Inconformado com a perda de seu registro profissional, Linhares recorreu ao Conselho Federal e viu a decisão ser ratificada sem hesitação, o que sepulta de vez as suas pretensões de retomar ofício como se os crimes que praticou fossem um teimoso e repetitivo carrossel do parque de diversões da esquina mais próxima.
A exclusão de Gilberto Linhares dos quadros da enfermagem brasileira foi uma assepsia necessária, apesar de ter sido demorada, mas o feito deve ser creditado à vereadora Maria Goretti Lopes, que espera dar à capital do Paraná, mais uma vez, não apenas uma história ilibada na seara da enfermagem, mas sua incontestável coerência no momento de defender os interesses da população e enfrentar as questões do cotidiano de um País tão gigante quanto complexo.
“Mesmo sob suspeita de outros crimes e condenado pela Justiça brasileira, Teixeira mantinha o registro enfermeiro, o que envergonhava a categoria. A cassação é mais uma vitória contra a impunidade e os desmandos que ocorreram por muitos anos no Sistema Cofen-Coren”, disse Maria Goretti. (U. Info)

A Caravana da Anistia estará em Curitiba nos dias 25 e 26/10. Caso você tenha processo em tramitação junto a Comissão de Anistia, e queira a inclusão do mesmo em pauta utilize o formulário abaixo


Nos dias 25 e 26 de outubro de 2012 o Paraná receberá a Caravana da Anistia. No dia 26, a Comissão de Anistia realizará audiência Pública de julgamento de processos em Curitiba.
Em breve estaremos divulgando todas as informações relativas aos eventos relacionados a Caravana da Anistia.
Caso você tenha processo em tramitação junto a Comissão de Anistia aguardando julgamento e deseje solicitar a inclusão do mesmo em pauta no dia 26 de outubro 2012, utilize o formulário abaixo para informar os dados do mesmo, até o dia 30 de setembro de 2012.
Informações sobre andamento de processos junto a Comissão de Anistia podem ser acessadas no site do Ministério da Justiça, no link http://portal.mj.gov.br/data/Pages/MJDC5E093DPTBRNN.htm
Solicitação inclusão de processo em pauta para audiência a ser realizada em Curitiba, no dia 26 de outubro de 2012. A efetiva inclusão em pauta na referida audiência dependerá das condições efetivas de análise e instrução do processo:

Fruet, nada será como antes amanhã?

Mudanças no governo Dilma, as ministras irão sair por causa da "pouca visibilidade" ou as ministras não cumprem com as expectativas?



Expectativa de mudanças no núcleo da coordenação política


Em Brasília é dado como certo que a presidenta Dilma Rousseff terá que recompor seu ministério no início de 2013.
Primeiro, porque, passadas as eleições municipais, haverá nova correlação de forças entre os partidos governistas e, portanto, a presidenta precisará reequilibrar a distribuição de seus ministros políticos.
Depois, porque haverá a sucessão no comando da Câmara e do Senado e isso deve levá-la a recompor seu núcleo de coordenação política, que não anda muito bem.
É aí que aparecem as ministras da Casa Civil, Gleisi Hoffman, e das Relações Institucionais, Ideli Salvatti.
Ambas precisam de mais visibilidade para concorrem aos governos de seus estados em 2014, e a pasta palaciana não dá essa visibilidade.
Resultado: Gleisi pode reassumir o mandato de senadora pelo Paraná e se jogar na campanha. Já Ideli, sem mandato, tende ser transferida para uma pasta mais operacional. (Poder Online)

Mais visibilidade do que as ministras obtém nestes cargos é impossível de se ter em qualquer outro espaço político!!!

Fruet afirma: "as pessoas citadas no referido vídeo não têm qualquer participação oficial na minha campanha", mas ....


Junior Zarur e Gustavo Fruet 
Nota oficial de Gustavo Fruet:
Nota de Esclarecimento
Circula na internet um vídeo cujo conteúdo acusa a Coligação Curitiba Quer Mais de ter fabricado um jornal contra o candidato Ratinho Jr.
Esclareço que não tenho compromisso com a estupidez ou aloprados. Não venha a campanha de Luciano Ducci querer criar um “Ferreirinha” contra mim.
Ao longo dos últimos meses tenho sido vítima de ataques baixos e covardes que tentam denegrir a minha imagem e inviabilizar a minha candidatura. São os ataques mais baixos que já enfrentei em toda a minha vida política.
Afirmo que as pessoas citadas no referido vídeo não têm qualquer participação oficial na minha campanha a prefeitura de Curitiba.
Por isso, defendo a apuração dos fatos e a punição rigorosa de todos os envolvidos.
Att.
Gustavo Fruet
Mas:
... "Em Curitiba, o PMDB perdeu muita gente boa para o PDT de Gustavo Fruet. O ex-presidente dos Consegs (Conselhos de Segurança), Junior Zarur, por exemplo, deixou o velho MDB de guerra para acompanhar o ex-deputado" ... http://www.esmaelmorais.com.br/2011/10/ex-prefeito-de-morretes-troca-o-pmdb-pelo-psdb/

Wilson Picler preside reunião da Executiva Estadual que homologou a Provisória do PDT de Curitiba

Dia 14 de dezembro no auditório da Executiva Estadual sob a Presidência de Wilson Picler e secretariado por Adalberto Grein , a Executiva Estadual homologou a nova executiva municipal de Curiba agora persedida por Gustavo Fruet , a chapa foi de consenso e nehum dos presentes contestou as indicações. Essa foi mais uma demonstração de unidade  do PDT de Curitiba e do Paraná em torno de Gustavo Fruet.
Todas as correntes partidárias participaram da composição da chapa que tem também Wilson Picler como Primeiro Vice Presidente e Léo de Almeida Neves como segundo Vice Presidente, a Secretaria Geral ficou com Cristiano Dionísio e a Tesouraria com Fernando Klein.

Diretório Municipal do PDT de Curitiba
Presidente: Gustavo Fruet
1° Vice Presidente: Wilson Picler
2° Vice Presidente: Léo de Almeida Neves
3° Vice Presidente: Jorge Bernardi
1° Secretário: Cristiano Dionísio
2° Secretário: Edson Feltrin
3° Secretário: Nardi Casanova
1° Tesoureiro: Fernando Klein
2° Tesoureiro: Junior Zarur
3° Tesoureiro: Neivo Beraldin
Líder: Tito Zeglin

Fruet anuncia novo diretório do PDT em Curitiba


Fruet renova o PDT.
O ex-deputado federal Gustavo Fruet, pré-candidato a prefeito pelo PDT, acabou de anunciar o novo diretório municipal do partido em Curitiba.
A armata presidida por Fruet também terá os seguintes integrantes: Wilson Picler (1º vice); Léo de Almeida Neves (2º vice); Jorge Bernardi (3º vice); Cristiano Dionísio (1º secretário); Edson Feltrin (2º secretário); Nardi Casanova (3º secretário); Fernando Klein (1º tesoureiro); Júnior Zarur (2º tesoureiro); Neivo Beraldin (3º tesoureiro); e Tito Zeglin (líder na Câmara).



 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | belt buckles