domingo, 29 de julho de 2012

Saúde esquenta debate entre candidatos à prefeitura de Porto Alegre

Os sete candidatos à prefeitura de Porto Alegre ficaram frente a frente, nesta sexta-feira, no debate organizado pela Rádio Guaíba. O encontro reuniu Adão Villaverde (PT), Érico Corrêa (PSTU), Jocelin Azambuja (PSL), José Fortunati (PDT), Manuela D'Ávila (PCdoB), Roberto Robaina (PSOL) e Wambert Di Lorenzo (PSDB), e foi mediado pelo jornalista Juremir Machado da Silva. Por cerca de duas horas e meia, os concorrentes discutiram quatro assuntos: habitação, gestão, cultura e saúde, que intensificou o embate político.

Nos quatro primeiros blocos, os postulantes ao cargo de prefeito da Capital responderam a perguntas entre si sobre determinado tema, conforme sorteio. O último bloco foi para considerações finais de cada concorrente. O primeiro assunto a ser abordado foi habitação, seguido por gestão, cultura e saúde, assunto que acendeu os ânimos dos candidatos. 

O prefeito José Fortunati (PDT) foi questionado por Adão Villaverde (PT), que já havia criticado a administração atual em outros momentos do embate. “A saúde em sua gestão vai muito mal. Há filas para buscar consultas, que não são encontradas, os postos estão fechados em alguns horários”, disparou o petista. Fortunati se defendeu, citando um dado apontado pelo governo federal. "Conforme o Ministério da Saúde, no índice de desempenho do SUS, a Capital está em 4º lugar entre todas em termos de administração com melhor qualidade de atendimento”.

O candidato Jocelim Azambuja (PSL) ressaltou que pretende trabalhar em conjunto com o governo na área da saúde. “Vou cobrar a parceria com municípios, pois o governo tem que cumprir com a lei. Se tivéssemos as unidades, teríamos o atendimento básico”. 

Wambert di Lorenzo (PSDB) afirmou que se governar a Capital vai “descentralizar a saúde”. “Nós temos que levar a saúde às comunidades, aos bairros, levar atendimento para a população”. O candidato Roberto Robaina (PSol) lembrou a questão das vacinas contra a gripe A. "Não acho aceitável que as vacinas para gripe A não tenham sido providenciadas, que é o mínimo de prevenção", destacou o socialista.

A comunista Manuela D’Ávila (PC do B) reforçou como prioridade a saúde da mulher. “Quando eu for prefeita, a gestão da saúde terá prioridade para que as mulheres não morram de câncer de mama, que tem cura”, citando dados sobre a alta incidência de câncer de mama em Porto Alegre. O candidato Érico Corrêa (PSTU) foi categórico. “As pessoas precisam de respeito. É preciso investimento, dinheiro público para ser usado para as necessidades da população. Não para grandes obras, grandes eventos, mas para a saúde”. (CP)

Confira os principais momentos abaixo:


 

1 comentários :

Lau Meli disse...

Foi um ótimo debate que serviu para mostrar quem está mais preparado para assumir a prefeitura: Fortunati mostrou bastante coerência e pode expor suas conquistas nestes 2 anos de governo.

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | belt buckles